Reportagem Annihilation, Grog, Burn Damage @ Stairway Club, Cascais – 12.05.18

 

Uma noite especial no Stairway Club. Este é o primeiro concerto da tour nacional “The Age of the Undivided Rituals Tour“, que durante este ano irá percorrer vários sítios do nosso país e que junta no mesmo palco Annihilation, Grog e Burn Damage. Todos eles nos irão apresentar os mais recentes trabalhos, e no caso particular dos Annihilation, assinala o regresso ao vivo, com novíssima formação. Confiram as datas, pois para os adoradores do género, garanto que este é o concerto que não querem perder! As datas marcadas são 5, queiram apanhar:

12 Maio – Cascais
19 Maio – Santarém
2 Junho – Marinha Grande
20 Outubro – Viana do Castelo
21 Outubro – Porto

A celebração da nossa cena nacional. Temos grandes músicos, bons talentos, sejam veteranos ou mais novos e isto é algo que precisamos cultivar e valorizar. A nossa Alma Mater. Com isto em mente, vamos então avançar.

 

Burn Damage

 

“E porque esta é uma noite cósmica. Fecha-se a cortina e entra-se numa nova dimensão”. É assim que a Inês, a gutural mistress de Burn Damage, introduz ‘Fire walk with me’, um tema recente já tocado ao vivo em algumas ocasiões e hoje trazido de novo à ementa.

A casa estava composta ao estilo Stairway, com uma audiência acima da média para uma típica noite de metal, e era o ambiente que estava excelente. O ambiente nesta noite estava excelente, mas depois veio o som. E sim, posso afirmar e penso que muitas pessoas partilham esta opinião, o som nesta noite estava incrível.

Burn Damage: a introdução, luzes baixas, e começa ’Age Of Vultures’, do álbum homónimo, editado em Outubro de 2016 pela Raging Planet. E se começaram bem. A malha que iniciou as hostilidades, o groove, a escuridão, com alternâncias para o speed nesta mistura que eles conseguem bem. A continuar por este disco, saem os temas ‘Refugee’ e ‘Slaughterhouse Of Cowards’.

Resumidamente, tocaram a setlist que aconteceu na passada atuação do Female Growlers United Front Fest, 21 de Abril, que pode ser revisitada aqui. Apenas reforçando o que já foi dito nesta reportagem anterior, estão em boa forma, o som ao vivo está consistente e implacável, e dito isto, ficamos ansiosamente a aguardar esse novo disco. E por falar em novo disco, é tempo para a malha fresca, ‘They Live’, que está a ser tocada apenas pela segunda vez ao vivo. Terminam com uma trilogia que regressa a Age Of Vultures, com a inquietante ’Acid Rain’, ‘4 Little Pigs’ e o groove / death de ‘Beyond Good And Evil’, o tema que encerra o disco.

Agradecimentos aos Grog e Annihilation, e breve anúncio desta “The Age of the Undivided Rituals Tour”, que se espalha em algumas datas pelo país. Aplaudidos, bem recebidos e com o som impecável: abertura em grande deste concerto.

 

 

Grog

 

Aquele som dilacerante. A brutalidade conhece o death metal com o grind, o gutural, em altos níveis de velocidade e loucura. Mais ou menos isto… tudo junto, e as malhas que têm… uns 2 ou 3 minutos de duração em média? O que for, aqui ninguém vai ficar quieto! Mestria do Grindcore nacional: são 27 anos e a contar. Já estão a tocar a ‘Cardiaxe’, e vai ser servido o banquete.

O alinhamento dos Grog traz ao vivo muitos temas do disco mais recente, oito temas mais concretamente, deste 4ª álbum de originais, “Ablutionary Rituals” (2017, Murder Records).

Malhas como ‘Sarco-Eso-Phagus’, ‘Savagery’, ‘A Scalpel Affair’ ou ‘Gut Throne’ vão abusar da casa e abrir o moshpit. O som está a rasgar! O grindcore, ’expoente máximo da música extrema’ segundo o Pedro Pedra; ele tem razão, este som ao vivo não perdoa.
Uma viagem ao passado, 1996, com ‘Rotten Grave’, traz aquele momento deste clássico poderoso, e altos ritmos de um metal muito puro. Riffs cheios de classe!

A luz é pouca. Os Grog estão grandes agitadores do público. A luz é vermelha, ou azul no baixo do Alexandre Ribeiro. A bateria do Rolando Barros está a detonar um sismo ali na casa junto ao mar. A guitarra do Ivo Martins é aquele pulso estridente. E depois, parte-se a loiça toda! Porque a terminar, foi um shot de ‘Barbie Doll Fuck’Em’All’. Menos de um minuto. Menos de um minuto insano e brutal.

“Era uma vez uma data de Sábado à noite que servia de mote para iniciar um conjunto de espectáculos ao vivo entre 3 bandas que nunca tinham tocado juntas neste contexto. A “The Age of the Undivided Rituals Tour” iniciou-se ontem com uma cabal demonstração de empenho, esforço e dedicação de todos os envolvidos.” Assim o disse Pedro Pedra.

 

 

Annihilation

 

Regresso em grande. Enormes esta noite, é a minha interpretação do que os Annihilation nos apresentaram. E provaram que estão em forma, com a novíssima formação e o recém lançado trabalho, o segundo álbum de originais ‘The Undivided Wholeness Of All Things’, saído a 28 de Novembro de 2017, através da Nice To Eat You Records.

E aqui temos o momento. O primeiro concerto de apresentação ao público de tudo o que há de novo na banda, com quase 15 anos de história. Para melhor situar tudo, temos a entrevista do mestre António Freitas na véspera do concerto, onde convidou à Alta Tensão a Sofia Silva (Neoplasmah, A Tree OF Signs) e o Fábio Da Silva, o membro original desde os tempos de formação em Almeirim. Façam o favor de conferir aqui: Alta Tensão de 11 de Maio. Fala-se sobre a motivação, atribulações e histórias de empenho em trazer este disco à luz da noite. E sobre matéria-prima.

Começa a introdução ao som instrumental que abre o disco, com o tema ‘M.A.S.S.’, a criar o mood para esta viagem cósmica, ao som e energia do death metal técnico. A Sofia entra no palco e começa logo ali o rasganço e o caos de ‘Universal Dismal Collapse’. Aquele riff de entrada! A setlist do concerto foi precisamente a apresentação literal do disco, pela mesma ordem das faixas. E foi muito bom: o som está pesado, está sólido, e aquele gutural da Sofia assenta muito bem e ainda confere um cariz mais exótico à música dos Annihilation. Agora eles têm tudo para dominar. A hora é intensa e aplaudida! Quando chegamos ao oitavo tema, ‘Nagas’, o último desta noite, há agradecimentos. São aplaudidos pelos mais de 100 presentes na casa. Foi excelente.

Em jeito de conclusão, queiram verificar a potencialidade deste novo álbum de Annihilation, que entretanto, a banda já estará a trabalhar para o próximo EP. Fiquem atentos às novidades.

 

 

Texto e Fotografia por Hélio Cristóvão para a World of Metal
Agradecimentos ao Stairway Club e Amazing Events

 

Ver a galeria de fotos Annihilation
Ver a galeria de fotos Grog
Ver a galeria de fotos Burn Damage

 

Support World Of Metal
Become a Patron!

New WOM Android APP – Read All Our Issues for free!
World Of Metal Magazine – Out Now
Download It Here!

Hélio Cristovão

www.instagram.com/heliocristovao

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: