Delain – “Moonbathers” Review

[amazon_link asins=’B0757Y3ZTR,B00I32F31S,B001QBAMIC,B01HJRBVTU,B00BJDASZ4,B0195R4NVA,B007R5IRBA,B000MTFFZY’ template=’ProductGrid’ store=’woofme-21′ marketplace=’ES’ link_id=’00166f89-6fa4-11e8-bc20-cbd9a8137e6e’]
É impressionante o crescimento que os Delain têm tido nestes últimos anos. Com bandas como Within Temptation e Lacuna Coil a tornarem-se cada vez mais pop, a banda holandesa (que também tem ligações com os Within Temptation, já que Martijn Westerholt, o seu membro fundador, fez parte dos primeiros tempos da banda de Sharon Den Adel e Robert Westerholt, seu irmão) tem aos poucos solidificando-se como uma alternativa viável no que diz respeito ao metal sinfónico de contornos góticos. E como é que fazem isso? Simples, não esquecer que a palavra metal não pode aparecer apenas no rótulo mas tem que significar alguma coisa em termos sonoros.
“Hands Of Gold” é o primeiro tema e trata-se de uma abertura fantástica. Peso, melodia e onde a voz de Charlotte Wessels e a de Alissa White-Gluz (dos Arch Enemy) funcionam muito bem. Claro que a melodia acaba por ter sempre algum papel preponderante. Já conhecíamos “Suckerpunch” do EP de introdução lançado meses atrás, “Lunar Prelude”, e as suas melodias eurovisão. E.. sabem de uma coisa? Gostamos. É azeiteiro, certamente foleiro e provavelmente fomos programados por anos de infância a ver o Festival da Eurovisão pré-Lordi, mas não queremos saber, é uma música catchy e que resulta. Enjoa depressa mas resulta. “Danse Macabre” é uma outra música que segue por este caminho.
Felizmente não temos apenas disto. Temos alguns momentos mais melódicos, mas um pouco mais contidos no azeite como a “The Hurricane”e “Chrysalis – The Last Breath” (que poderia estar num qualquer filme de animação da Disney que meta princesas a cantar) mas outras como “Fire With Fire” e “Pendulum”, o peso dá o ar de sua graça e entrega-nos aquilo que mais gostamos de ouvir nos Delain. É um álbum equilibrado (na maneira desequilibrada como o género sempre se apresentou) onde temos as músicas com toques pop de mão dada a outras mais pesadas. Nesta balança não sabemos onde colocar a surpreendente cover dos Queen, “Scandal”. O original não é grande espingarda, mas parece que com esta roupagem até ganha um novo fólego.
Pesado q.b., este é um álbum que deverá atrair os fãs tanto da banda como do género em geral – olá fãs descontentes de Within Temptation – sem grandes dificuldades.
1. Hands of Gold
2. The Glory and the Scum
3. Suckerpunch
4. The Hurricane
5. Chrysalis – The Last Breath
6. Fire with Fire
7. Pendulum
8. Danse Macabre
9. Scandal (Cover dos Queen)
10. Turn the Lights Out
11. The Monarch
Duração 49:01
Nota 7.8/10

[quadsvi id=1]

Support World Of Metal
Become a Patron!

New WOM Android APP – Read All Our Issues for free!
World Of Metal Magazine – Out Now
Download It Here!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.