Inhuman – “Foreshadow” Review

E que desilusão este álbum foi… lembro-me do impacto teve em mim a primeira vez que ouvi os Inhuman. O tema foi “Eternal Martyr” e foi simplesmente arrasador. Lembro-me que na altura também estava a descobrir Ramp e Moonspell, e sem dúvida que o impacto dos Inhuman foi superior. A demo “Pure Redemption” é um belo exemplo do poder que Portugal tinha (e ainda tem, felizmente) no domínio da mistura do death metal com a melodia gótica. Depois de um álbum menos intenso, “Strange Desire”, mas ainda acima da média, é chegada a vez do segundo trabalho, este “Foreshadow”.
Com produção de Simon Efemey conhecido pelo seu trabalho com Paradise Lost e que depois produziu também os Ramp, “Foreshadow” apresenta uns Inhuman quase irreconhecíveis. Não é que seja um mau trabalho. É até bastante competente no seu metal gótico mais ligeiro, no entanto sofre de uma considerável falta de pujança principalmente no que diz respeito à voz de Pedro Garcia. Para quem estava habituado ao seu registo gutural, a voz limpa aqui soa algo fraca e genérica. Se recuarmos até à altura em que foi lançado – 1998 – este era o caminho que as bandas na altura, por todo o lado, estavam a seguir. Os Moonspell lançaram o seu álbum mais acessível de sempre, “Sin/Pecado, os Heavenwood também ficaram menos pesados com “Swallow” e lá fora temos ainda mais exemplos – Rotting Christ com “Dead Poem”, Tiamat com “A Deeper Kind Of Slumber”, Samael com “Eternal” e os próprios Paradise Lost com “Host”.
Infelizmente os Inhuman não tiveram a mesma “sorte” que todas as bandas atrás citadas, que bem ou mal, continuaram as suas carreiras e tornaram-se mais fortes, a maior parte até endurecendo o seu som. Apesar de algumas tentativas de voltar, as mesmas revelaram-se inconsequentes e a banda acabou por encerrar funções. Ouvindo este álbum quase vinte anos depois do seu lançamento, nota-se que o mesmo envelheceu bem, mas a voz de Pedro Garcia continua a ser uma sombra daquilo que era – tudo bem, é um registo diferente mas mesmo assim. Quando saiu, foi uma desilusão para mim. Hoje em dia, consegue-se apreciar melhor, apesar da questão da voz, tendo envelhecido graciosamente.
1. Shadowy but Immortal
2. The Redeemer
3. Last Whispering
4. Mansized Heaven
5. The Scars at Your Heart
6. Crystal
7. A Blessing in Disguise
8. Divinity
9. Lifeless Seasons
10. Stigma
Duração 42:42
1998 União Lisboa IV
Nota 7/10
 

[quadsvi id=1]

Support World Of Metal
Become a Patron!

New WOM Android APP – Read All Our Issues for free!
World Of Metal Magazine – Out Now
Download It Here!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.