Máquina do Tempo – Ketzer / Moonspell / Apotheus / Armagedda / Aurora / Ketzer / Anacrusis / Anacrusis

Ketzer – “Endzeit Metropolis”

2012 – 2019 Metal Blade Records 

Os Ketzer são mais uma interessante banda que saiu do black metal para algo próprio e que cuja evolução não foi totalmente bem recebida por todos. No entanto, aquilo que a Metal Blade Records reapresenta em vinil e CD é quando a banda tinha uma abordagem mais directa e até thrash ao seu black metal. O resultado é um álbum que sabe-nos bem pegar e recordar. E para quem não o apanhou na altura, lançar agora este segundo álbum no mesmo ano em que a banda lançou o quarto também é uma forma de satisfazer os insatisfeitos. Ou tentar. Tal como com o álbum de estreia que teve o mesmo destino, temos aqui faixas ao vivo (com um bom som) para garantir o interesse dos indecisos.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Moonspell – “Sin/Pecado”

1998 – 2019 – Napalm Records

O disco maldito de Moonspell. Pelo menos na altura em que foi lançado. Confesso que, talvez possam achar de forma estranha, este álbum foi muito bem recebido da minha parte. Não que o tenha preferido aos outros dois, mas depressa interiorizei a faceta diferente que a banda apresentava, e este álbum rodou imensas vezes. Em vinte anos muita coisa mudou, a própria banda mudou bastante, tendo voltado alguns anos mais tarde ao caminho que tinham deixado com este álbum. Foi uma época de transição. A maior parte das bandas que tinham deslumbrado na primeira metade da década de noventa o underground, continuavam insaciáveis, à procura de algo diferente, de novos desafios. Invariavelmente todas (ou quase todas voltaram ao caminho mais deixado para trás com uma visão diferente. É um pouco essa a riqueza de “Sin/Pecado”, nunca perdeu o seu valor e nunca deixou de ser um trabalho ousado por quebrar o molde daquilo que a banda fez até então. As ambiências electrónicas, o groove quase chill-out, este é um dos trabalhos que prova a máxima “o tempo será o melhor juiz”. E é realmente, Hoje “Sin/Pecado” soa tão refrescante como soou na altura, um trabalho que os fãs de Moonspell continuam a gostar e que continua a apelar para lá das barreiras do domínio da banda. Traz ainda como bónus os temas registados especialmente para o EP “2econd Skin”, a versão modernizada de “Erotic Alchemy” intitulada “Erotik Alkemy”, a versão do vídeo da “2econd Skin” e a cover de Depeche Mode “Sacred”.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Apotheus – “When Hope And Despair Collide”

2013 – 2019 – Raising Legends Records

Trabalho de estreia dos Apotheus que nos apetece revisitar a propósito do excelente segundo álbum “The Far Star”. É certo que encontramos aqui os elementos que tão grande impacto tiveram sobre nós no segundo álbum de originais, mas de uma forma mais crua. Para já o mais óbvio, que é a produção, mais áspera e até um pouco old school de mais. A contrastar temos o death metal melódico da banda, já a evidenciar os caminhos que iriam desaguar no já mencionado segundo álbum. Com uma produção mais pujante, este seria um trabalho que potencialmente poderia ter tido um impacto maior, mas como também estamos num país onde nada é o que parece, vou apenas dizer que musicalmente, e para um álbum de estreia, é um trabalho muito acima da média.

Nota 8/10
Review por Fernando Ferreira


Armagedda – “Only True Believers”

2003 – 2019 – Nordvis Produktion

Reedição do segundo álbum dos Armagedda, banda ou duo sueco que existiu num curto espaço de tempo (entre 2000 e 2004) mas que teve um um impacto no underground forte o suficiente para ser uma banda de culto – não um culto generalizado entre as hostes do black metal mas ainda assim. Posto isto, esta reedição de “Only True Believers” de 2003 em cd e vinil com temas extra é bastante apetecível. Black metal escandinavo em todo o seu esplendor e com especial apetência para a dinâmica entre os midtempos hipnótico e algo claustrofóbicos e os uptempo ocasionais que surgem para contrabalançar. Numa época em que os duos ainda não eram moda, em qualquer género, os Armagedda eram reis.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Aurora – “Viszlat Ivan”

2019 – Hammer Music

Consta que os Aurora são uma das bandas mais clássicas do punk húngaro e que este uma das grandes obras do género na Hungria. Originalmente gravado em 1989 e já há muito tempo esgotado, é tempo de reapresentar o trabalho que até nem está muito longe dos nossos Mata-Ratos, pelo menos musicalmente. Já a voz é bastante melódica. No entanto, ao ouvir estes temas, não me deixa de ficar a impressão de que se trata uma regravação – segundo as informações que temos é uma reedição – já que a produção revela-se demasiado moderna para ser retirada do ano em questão. Até revela alguma da falta de dinâmica que as produções de hoje em dia têm. Se calhar apenas estavam à frente do seu tempo.

Nota 7/10
Review por Fernando Ferreira


Ketzer – “Satan’s Boundaries Unchained”

2009 – 2012 Metal Blade Records

É inegável que este álbum de estreia tem um poder impressionante. Muitos de certeza que vão alegar que esse poder se foi perdendo com os anos e com os trabalho, mas voltando aqui vemos uma mistura mais que perfeita entre black e thrash metal. Grandes riffs, solos de guitarra de extremo bom gosto mas melhor que as partes, o todo, ou seja, grandes músicas que resultam num grande álbum. Esta reedição surge numa boa altura, quando ainda existem muitos fãs a abandonar o barco (ou que ainda estão na dúvida após o último álbum. No entanto este pertence aos clássicos, além de que esta capa em vinil é obrigatória. Para finalizar temos dois temas ao vivo cujo som é bastante aceitável.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Anacrusis – “Manic Impressions”

1991 – 2019 Metal Blade Records

Os Anacrusis sempre foram uma banda difícil de encaixar onde quer que fosse no underground da música de peso. Começaram no thrash mas desde cedo evidenciaram vontade de progredir para além desse campo, e aqui ao terceiro álbum é algo que já se nota bastante, numa altura em que o thrash via os seus grandes mestres a partirem para outros campos ou para períodos de desinspiração prolongada. “Manic Impressions”, revisitado hoje em dia dá-nos ideia de caminhos mais extremos e também de soluções que se convencionariam muito mais tarde. No que ao death metal progressivo há por aqui muitos pontos em comum e este álbum, apesar de ser estranho – para ilustrar este ponto basta apresentar a “I Love The World”, a estranha escolha para cover dos New Model Army que surge logo como segundo tema – é sem dúvida um daqueles que sobreviveu o teste do tempo apesar de ter uma produção algo datada. Esta reedição traz-nos também a demo de 1990 com o mesmo nome como brinde.

Nota 8.5/10
Review por Fernando Ferreira


Anacrusis – “Screams And Whispers”

1993 – 2019 Metal Blade Records

Estavamos em 1993, e o thrash metal estava definitivamente a esmorecer no mainstream. O thrash tradicional, já que apenas Pantera demonstrava vitalidade para pegar no género e levá-lo para paragens novas. Os Anacrusis no entanto continuaram a sua viagem, sem se preocupar muito com o que estava à volta. Facilmente concluímos que este trabalho pega no que “Manic Impressions” tinha apresentado e leva-o um bocadinho mais longe, conseguindo quer soar mais alternativo quer ainda mais pesado. Não é, contudo, um trabalho fácil de interiorizar mas é daquelas esquisitices que em pouco tempo não conseguimos passar sem. E em relação ao anterior, envelheceu muito melhor.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Support World Of Metal
Become a Patron!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.