Almah – “E.V.O.” Review

Os Almah sempre foram a menina dos olhos de Edu Falaschi, mesmo quando ele estava nos Angra. O vocalista nunca escondeu que a mítica banda brasileira era apenas um emprego enquanto a sua paixão era mesmo o projecto Almah que em pouco tempo passou a banda a sério. Como é sabido, não se consegue amar duas coisas distintas a tempo inteiro, pelo que não foi surpresa quando soubemos que o vocalista desistiu dos Angra, isto em 2012. Depois disso, este “E.V.O.” é já o segundo álbum de originais e o quinto da carreira da banda no ano em que atinge precisamente a primeira década.
Como seria expectável, não temos propriamente uma evolução que coloque os Almah para fora do power metal melódico onde têm estado desde que surgiram, portanto não há espaço para surpresas, tanto para bem como para o mal. Admitamos, este é o registo onde Edu Falaschi se sente melhor e onde consegue grandes resultados, mas isso também não quer dizer que acerte sempre em cheio, mesmo num trabalho com um conceito rico como este – “E.V.O.” é um álbum conceptual sobre a evolução em termos de mente e alma das pessoas nesta nova era onde estamos agora, a Era do Aquário.
Temos muito euro-metal, que nos faz lembrar os Angra mas também tal seria difícil já que a voz é a mesma que teve lá durante dez anos. De uma “Age Of Aquarius” que chega de mansinho e se revela a introdução ideal para este trabalho para uma “Speranza” que poderia estar num álbum dos Coldplay caso eles decidissem colocar mais tomates na sua música vai um tirinho e estes momentos melódicos são uma constante (“The Brotherhood”, “Innocence”, “Infatuated”, “Indigo” e “Capital Punishment”) mas a balança fica equilibrada com o peso de temas como “Higher”, “Pleased To Meet You”, “Final Warning” e “Corporate Way”, nunca colocando de parte a melodia, claro. 
É um bom regresso dos Almah, que não faz esquecer os Angra mas provavelmente não seria essa a intenção. Embora tenha algumas semelhanças, os Almah assumem-se como uma proposta bem mais melódica e não tão desafiante em termos de composição, embora não haja virtualmente nenhum defeito com este álbum. Melódico, conceito interessante, o que é que se pode pedir mais?
1. Age of Aquarius
2. Speranza
3. The Brotherhood
4. Innocence
5. Higher
6. Infatuated
7. Pleased to Meet You
8. Final Warning
9. Indigo
10. Corporate War
11. Capital Punishment
Duração 51:27
Nota 8.3/10

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.