Hark – “Machinations” Review

1. Fortune Favours the Insane
2. Disintegrate
3. Nine Fates
4. Speak in Tongues
5. Transmutation
6. Son of Pythagoras
7. Premonitions
8. Comnixant 3.0
9. The Purge
Duração 46:55
Depois da excelente impressão deixada três anos atrás com “Crystalline”, já se impunha o regresso dos britânicos Hark. A expectativa, confessamos, era alta antes de ouvirmos estes nove temas e talvez sabendo disso ou não – não querendo acreditar em coincidências, a banda abre este álbum com um tema de grande qualidade. “Fortune Favours The Insane” é um tema resume na perfeição aquele que é, na nossa opinião, o som da banda: poderoso, bruto e ainda assim com um sentido de progressão que à partida não se esperaria que se lhes atribuisse. 
Não é necessário ter uma música com dez minutos para se ter esse sentido de progressão, isso é algo que os Hark já tinham comprovado com “Crystalline” e que voltam a fazer aqui novamente, embora isso seja mais que evidente em “The Purge”, um temazorro de proporções bíblicas que encerra este trabalho. Temos o stoner, temos o sludge e temos o doom. Até temos hard rock. Tudo no mesmo tacho, tudo bem misturado de forma a que não se consiga distinguir o que é. No entanto, este pormenor não é importante. Não tanto quanto a qualidade das músicas em si.
“Machinations” espalha encanto e charme em forma de riffs sujos, passagens complexas e ainda aquele feeling de rock puro e duro que torna qualquer argumento contra desarmante. Este é o seu grande poder. Soa a clássico. Não é que não tenha lugares-comuns (tem todos) dos géneros atrás mencionados. Apenas tem algo superior, a capacidade de fazer esquecê-los sem grande dificuldade. Este é o tipo de álbum que se ouve umas quantas vezes sem sequer se dá conta. E depois de darmos conta… ouvimos mais umas contas.
Nota 9/10

Support World Of Metal







Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.