Máquina do Tempo – Venustra / Ghost On Mars / Rejection / Dreamlord / Hot Sunday Blood / Silent Winter / Niamh / Vulvathrone

Máquina do Tempo - Venustra / Ghost On Mars / Rejection / Dreamlord / Hot Sunday Blood / Silent Winter / Niamh / Vulvathrone

Venustra – “Candy Apples Custom Made“

2019 – Misery Theatre Records

Os norte americanos têm um som moderno, agressivo e pesado. Melhor cartão de apresentação não pode haver? Sim, pode. Apresentar um disco com qualidade e eles têm então esse complemento, uma vez que esta proposta é forte q.b. para se virarem os holofotes dos media para aquela zona do globo. É difícil arranjar aqui um rótulo para o que eles fazem e ainda bem porque é sinal de algo potencialmente novo para os fãs uma mais valia para o mundo do heavy. A qualidade do som é muito boa, o resultado final é perto, muito perto do brilhante… Recomendo.

9.5/10
Miguel Correia

Ghost On Mars – “Lost Signals”

2019 – Edição de Autor

A sonoridade dos Ghost On Mars é ao mesmo tempo refrescante apesar de apresentar inúmeras sensações de déjà vú. Isto por que se baseia numa mistura daquelas ambiências frias e próprias do gótico ao mesmo tempo que tem fortes traços progressivos. Aliás a própria banda assume que o seu móbil era misturar o gothic/doom com sonoridades pós rock/metal. O déjà vú podem indicar que não são propriamente originais. Hoje em dia poucos os são. Aliás, poucos são os que são originais e também audíveis. No entanto como é que algo que nos soa familiar, também nos soa como uma lufada de ar fresco? A resposta não é definitiva mas aquilo que se sente é graças a toda a alma que consegue colocar nestes cinco temas que são uma apresentação perfeita desta banda.

9/10
Fernando Ferreira

Rejection – “A New Age Of Insanity”

2019 – Edição de Autor

Os Rejection respondem à pergunta que não sabíamos que tinhamos interesse em fazer que é… “o que se aconteceria se os Meshuggah dos primeiros álbuns decidisse tocar de forma mais acessível”. Respondem com “A New Age Of Insanity”, um álbum que se move em ritmos compassados mas com uma assertividade que acaba por nos cativar. Tudo isto soa-nos a algo que já ouvimos antes, mas apresentado da forma interessante que é apresentado faz com em pouco tempo sejamos convertidos ao seu culto. Surpreendentemente bom.

8/10
Fernando Ferreira

Dreamlord – “Disciples Of War”

2019 – No Remorse Records

Thraaaaaaaaaash! O segundo disco dos gregos Dreamlord chega-nos doze anos após a estreia e soa a como se tivesse sido lançado muito antes disso. Lembram-se de quando a febre thrash metal se instalou em Portugal, onde bandas como Metallica, Anthrax, Megadeth e, claro, Slayer eram as grandes fontes de inspiração? Neste caso principalmente Slayer, na altura mais lenta do “South Of Heaven”. Pois, é como se tivessemos voltado atrás até essa era e não estamos muito longe do que encontramos aqui. O que é excelente para quem gosta de thrash, afinal é old school, bons riffs, bons solos com produção… mais ou menos. Os Dreamlord não esmagam ninguém com este trabalho, não reinventam a roda mas fazem aquilo que gostam e que muitos apreciam em igual medida. Thrash metal. Para muitos este tipo de coisa é uma ofensa, mas nós, que gostamos de thrash, não deixamos de ficar contentes.

7/10
Fernando Ferreira

Hot Sunday Blood – “Kein Licht”

2019 – Edição de Autor

Interessante banda italiana que através de algo mais gasto que os sapatos dos peregrinos a Fátima – concretamente o grunge – conseguem apresentar algo novo e muito bom. Neste EP de cinco temas (seis se contarmos com a intro “Habits Abyss”) a banda traz-nos momentos que lembram bandas como Tool e Candlebox sem andar propriamente a roubar ideias dos outros. Poderoso mas muito emocional, fiquei agradavelmente surpreendido pela força destes temas e só tive pena de não termos mais alguns.

7.5/10
Fernando Ferreira

Silent Winter – “The Circles Of Hell”

2019 – Sonic Age Records

A história da banda grega Silent Winter começou na década de noventa e como muitas, após duas demos acabaram por cessar funções. Como nada no mundo da música fica exactamente morto, voltaram em 2018 com o primeiro EP e no ano seguinte lançaram este álbum de estreia. “The Circles Of Hell” está refém daquilo que é (ou foi) o género num dos seus maiores momentos, na década de noventa, mas felizmente pertence ao lote dos que apresentavam realmente boa – e não na facção que acabou por estrangular o interesse no género. Bons temas, melodias marcantes, não há muito mais que seja preciso.

7.5/10 
Fernando Ferreira

Niamh – “Supersonic”

2019 – Ghosts Label Record

Não temos muitas informações acerca dos Niamh mas por vezes o melhor é mesmo concentrar-nos na música e este parece ser o exemplo perfeito para isso. Com um som poderoso e moderno dentro do metal alternativo temos a adicionar à conta um série de arranjos electrónicos que trazem valor acrescentado e positivo ao que temos no final. Não é profundamente original mas temas como “Siberian” e “Poloroids” não deixam de ser interessantes.

7/10
Fernando Ferreira

Vulvathrone – “Whoreification

2019 – Nice To Eat You Records

Os detractores da música extrema não sabem como, apesar de para eles soar tudo ao mesmo, na realidade há bastante diversividade nos mais variados subgéneros. Os Vulvathrone, por exemplo, trazem-nos brutal death metal que anda assim a modos que metido com o grindcore mas que acaba por o fazer de forma bem refrescante. Mesmo que tenham os samples da praxe na grande parte dos tempos. Brutalidade mas com sentido e melhor que isso, com uma produção bem forte que empolga e convida ao headbang – ou seja, com groove. A banda pode ter estado afastada dez anos mas este é um grande regresso. Valeu a pena a espera.

8.5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.