Prosternatur – “Abyssus Abyssum Invocat” Review

Mais uma estreia no mundo do black metal e mais um projecto a ter em conta. Não se sabendo ao certo por quem é composto – e provavelmente isso ajuda à mística da coisa – a forma como este álbum se inicia, na bela e fantasmagórica intro “Hydragyrum”, contrasta com aquilo que podemos encontrar nos restantes cinco temas, black metal frio e violento. O facto de não se ter praticamente informação nenhuma acerca deste colectivo faz com que se tenha um maior foco na parte musical. Sabemos que este é um truque usado muitas vezes por bandas dentro deste estilo mas continua a resultar.
Além de se tratar de um black metal como mandam as regras escandinavas, há por aqui um pouco mais do que simplesmente cumprir com aquilo que está estabelecido – embora na prática, também se cumpra. As melodias de guitarra algo intrincadas, não se limitam aos riffs em tremolo picking sonantes, também debitando algumas sonoridades peculiares que acabam por intrigar antes de começar a viciar. Bastante dinâmico, alternando o midtempo com o uptempo, este é um trabalho que consegue cativar logo à primeira embora não seja propriamente o som recomendado para quem procura por algo mais directo.
Acaba por ser essa a razão do sucesso do seu impacto, porque acaba por trazer, mais do que seis (ou cinco, sem contar com a já mencionada intro) músicas, mas um álbum com a duração certa e com o ambiente certo, aquele ambiente que não nos é possível de reproduzir, ajudado muito pelo factor ritualista que as composições têm. Para quem gosta de música extrema que não seja propriamente imediata, tem aqui um excelente álbum para ouvir e um projecto a acompanhar.
1. Hydragyrum
2. Mortification of the Flesh
3. Zoroastrianism
4. Eleusinian Mysteries
5. Scrying Mirror
6. Heterodox
Duração 36:03
Nota 7.5/10

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.