WOM Reviews – Asphyx / Devotion / Putrid Offal / Ki Project / Morbosatan / Necrocarnation / Oreamnos

WOM Reviews - Asphyx / Devotion / Putrid Offal / Ki Project / Morbosatan / Necrocarnation / Oreamnos

Asphyx – “Necroceros”

2021 – Century Media Records

Os Asphyx são um dos poucos consensuais do death metal. Ajuda também não ter praticamente nenhum momento mau na sua discografia. Ninguém é perfeito mas os Asphyx são daqueles que dentro daquilo que sempre se propuseram a fazer, nunca desiludiram. E assim parecem querer continuar. “Necroceros” é death metal dinâmico (a forma como se funde com o doom, em vários momento sem que seja algo propriamente anunciado continua a ser fantástico) que nos puxa e impele ao movimento. Seja um leve abanar de cabeça ou bater de pé, seja um violento headbanging ou mosh. Não há como falhar quando se fala de Asphyx, estamos sempre à espera de algo brilhante.

9/10
Fernando Ferreira

Devotion – “The Harrowing”

2020 – Memento Mori

Nuestros hermanos com mais uma jóia para a colecção. Um album digno de ser revisitado e colocado em rotação permanente. Produção deslumbrante e bem incorporada num estilo que os Devotion pretendem manter vivo. Death Metal como deve ser onde vão buscar um pouco ao doom como no tema “Valley Of Death”. A separação entre os instrumentos é notável e gratificante, transformando este numa escuta fácil e atractiva. Trata-se de um registo digno de poder ser considerado um dos melhores de 2021, e o ano só agora começou.

10/10
Fernando Monteiro

Putrid Offal – “Sickness Obsessions”

2020 – Xenokorp

Death/grind impiedoso e bruto, aliás como deve é suposto ser. Os Putrid Offal são uma das grandes referências da podridão francesa e são uma daquelas bandas da qual se espera sempre algo em grande. Neste caso foram cinco anos de espera pelo que a expectativa era também grande. Expectativas que foram bem tratadas por quarenta minutos de violência sonora. E até custa a acreditar que este seja apenas o segundo álbum da banda, cuja carreira começou há trinta anos atrás – embora tenha havido uma interrupção de quase vinte anos. Custa a acreditar quer pela vitalidade com que nos atinge, quer pela frescura. É um clássico instântaneo. E talvez inesperado para quem não os conhece.

9/10
Fernando Ferreira

Putrid Offal – “Live At Hellfest 2017”

2020 – Xenokorp

Numa altura em que o underground parou quase por completo, é o momento apropriado por este tipo de lançamentos. Quando a banda francesa lançou um álbum poucos meses atrás e não teve hipótese de o promover devidamente, há aqui esta possibilidade de recordar sempre que se quiser a passagem devastadora que a banda teve pelos palcos do já consagrado festival Hellfest. Não chega a meia hora mas o seu death/grind também é bruto o suficiente para nos deixar derreados mesmo em metade desse tempo. Bom som – a imagem está disponível no canal de YouTube da editora – e uma das bandas mais interessantes de podridão francesa. Apesar de ter sido há três anos, ainda está dentro do prazo de validade.

8/10
Fernando Ferreira

Ki Project - "Ravenous“

2020 – Edição de Autor

Bom impacto que tem esta estreia dos italianos Ravenous. Uma sonoridade sem novidades mas que compensa isso por uma atitude forte. Death metal moderno e cheio de groove, sem esquecer alguma melodia mas que consegue causar boa impressão. Quando a arma é groove, convém (é obrigatório!) ter riffs e músicas que puxem ao headbanging, mesmo que seja tímido e dissimulado. Podemos dizer que é isso que temos aqui, sem tirar nem por. Claro que por vezes se sente falta de algum arrojo técnico – uns solos seriam bem vindos, por exemplo – ou algo que quebrasse a rotina de algo que começa desde cedo a tornar-se muito familiar. Ainda assim, para os fãs do groove, este é um álbum recomendado.

7/10
Fernando Ferreira

Morbosatan – “Versus Christvs”

2020 – Fallen Temple

Décadas atrás, o underground sul-americano pulsava de energia crua do metal extremo. Hoje as coisas mudaram mas mesmo assim ainda temos algumas entidades, como os Morbosatan, uma banda que tem lutado no underground do Peru com a sua mistura blasfema de death, black e thrash metal. Um 7” que poderá ser apetecível para os coleccionares.

7/10 
Fernando Ferreira

Necrocarnation – “Fragments Of Dark Eternity”

2020 – Fallen Temple

Têm passado pela minha secretária muitas propostas cavernosas do underground trazidas pela Fallen Temple. A editora polaca tem estado muito atenta ao underground e apoiado entidades que têm sempre um grande amor pelo old school. Os argentinos Necrocarnation são um exemplo perfeito. Sem grande historial, com apenas uma demo editada em 2007, a banda traz agora uma série de temas que é do mais cavernoso possível, com uns guturais que nos fazem pensar que a caverna estava inundada quando gravaram o disco. Poderá custar tais níveis de primitividade a entrar, mase não for o caso, então estarão no sítio certo.

6/10
Fernando Ferreira

Oreamnos – “Into The Night”

2020 – Bloody Mountain Records

Este é um novo projecto, uma segunda vida para Weverin, um trio de black/death metal norte-americano que ainda chegou a lançar quatro álbuns, sem grande repercussão no underground. Oreamnos é uma nova vida para dois dos seus membros e a sonoridade não foge muito ao que foi apresentado anteriormente, talvez com um foco maior no death metal em vez do black. Sem grandes brilhantismos, uma produção para lá de abafada – se calhar para manter a aura vintage – os temas aperesentados são como o logo e lettering achatado na capa. Causa sensação de estranheza inciialmente e depois fica-se com a sensação de que talvez se tivesse a capacidade para fazer melhor. A ilusão dos dias modernos. A música carece de dinâmicas e de algo que seja forte o suficiente para que se ouça mais do que uma vez.

5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.