WOM Reviews – Deadline / BPMD / Oxidize / Draggin Ass / Ivar Kuura / Rock Twice / Freeways / Validor

WOM Reviews - Deadline / BPMD / Oxidize / Draggin Ass / Ivar Kuura / Rock Twice / Freeways / Validor

Deadline – “Cathedral Point”

2020 – Edição de Autor

O meu primeiro contacto com os sul-africanos Deadline foi este “Cathedral Point”, o segundo trabalho, e posso dizer que foi uma surpresa bem agradável. Heavy metal tradicional, com produção sólida que não tem um carácter nostálgico, apesar de em termos de estrutura de composição ir buscar muito daquele feeling da década de oitenta que foi estabelecido em grande parte pelos Iron Maiden. A devida actualização sonora é também importante para que este álbum seja tão forte e consiga ter um impacto tão profundo e ser tão sólido tal como é. Um vício que de certeza vai passar por todos os fãs de heavy metal que calhem a ouvir temas como “Shapeshifter”. Melhor que nunca está o estilo e graças a álbuns como este.

9/10
Fernando Ferreira

BPMD – “American Made”

2020 – Napalm Records

Poderão já reclamar do destaque dado a este trabalho mas a verdade é que, quem gosta de covers como é o meu caso, é impossível não ficar entusiasmado com este projecto. Como djá devem ter reparado, o nome estranho deve-se a ser composto pelas iniciais de cada um dos membros. Temos assim Blitz (Overkill), Portnoy (The Winery Dogs e Sons Of Apollo), Menghi (Metal Allegiance) e Demmel (Vio-Lence e ex-Machine Head) a tocar clássicos do rock e hard rock norte-americano, metalizando-os de forma irrepreensível e com aquele som de metal moderno que só faz com que clássicos nos soem ainda mais imortais. Aos puristas que não gostam destas modernizações, que ouçam os originais mas não poderão negar que para todas as novas gerações esta é a uma das poucas formas de ficar a conhecer estes clássicos.

8.5/10
Fernando Ferreira

Oxidize – “Dark Confessions”

2020 – WormHoleDeath

Os Oxidize são uma nova banda sueca que se estreiam precisamente com este “Dark Confessions”, um álbum que segue a tradição do bom hard’n’heavy e que tem um grande trunfo: a voz de Anton Darusso (também dos Wings Of Destiny) que nos dá por vezes alguns repentes de um Jorn Lande (por vezes mais agressivo, outras mais melódico). Este conjunto de temas é entusiasmante pela forma como consegue capturar várias correntes dos géneros mais tradicionais, apresentar-se moderno e ainda assim conseguir transmitir uma identidade sólida. Ficámos satisfeitos, vamos acompanhar.

8/10
Fernando Ferreira

Draggin Ass – “Skeletons”

2020 – Primal Recording Studios

Com uma proposta muito legal com pegada e velocidade a Draggin Ass apresenta seu EP Skeletons. Em muitos momentos os vocais me lembram Rob Halford mas o instrumental tem toda um influencia de Metallica, bem pelo menos os solos são praticamente plágios. Somente o ponto fraco é a produção. Uma banda que ao vivo deve ser muito boa, mas quando apresenta um trabalho acaba pecando na falta de investimento na gravação e produção. Fazendo que o trabalho que não tenha o brilho que mereça.

8/10
Carlos Lichman

Ivar Kuura – “Hermitary of Oblivion”

2020 – IK Records

Um EP calcado nos anos 70 com muito peso, que vai alegrar a todos os admiradores de Black Sabbath. A produção é boa para um EP, um Rock pesado e que deve animar muito as pessoas nos shows. Os músicos não grandes virtuosos no instrumento, mas tem boas ideias em suas composições.

8/10
Carlos Lichman

Rock Twice – “Rock Twice”

2020 – Livin’ Music/MSP

Um belo trabalho, com boa produção, belos arranjos, uma cantora que realmente sabe cantar, belas letras, mas naturalmente nada na vida é perfeito. Falta pegada nos instrumentos, não sei qual o motivo o baterista não toca com vontade a bateria. Achei muito bom os violinos muito bem encaixados. Claro que como sou guitarrista, acabo prestando atenção nas guitarras e assim como a bateria falta muita pegada tanto nos riffs como nos solos. A voz assim como o violino está muito boa e encaixada no contexto. Meu conselho é adicionar mais energia pois realmente faltou neste trabalho.

8/10 
Carlos Lichman

Freeways – “True Bearings”

2020 – Temple Of Mystery

Um Hard Rock pesado e sem muito virtuosismo, me lembra muitas bandas do começo dos anos 80. Os músicos fazem um bom trabalho que agrada aos ouvintes médios sem muita visão crítica sobre música. Para os que estão mais acostumados com bandas como Van Halen a Freeways soa um pouco chata e parada. A produção é coesa e seria ótima se tivesse sido gravada nos anos 80, mas sabemos que não foi.

7/10
Carlos Lichman

Validor – “In Blood And Battle”

2020 – Symmetric Records

Não, não é o novo álbum dos Validor, nem tão pouco é a reedição do primeiro, editado originalmente em 2011. É uma mistura dos dois. Temos as vocalizações e solos originais juntos a novas pistas de tudo o resto. Todo o upgrade sonoro é bem audível e até traz algum valor acrescentado, com o som geral a ser mais poderoso, no entanto as fragilidades vocais de Odi Thunderer continuam as mesmas. Apesar disto, é um trabalho interessante para os fãs de power metal que conta com a participação de Bob Katsionis (ex-Firewind), que já tinha participado originalmente mas que agora regravou o baixo e teclas.

6/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.