WOM Reviews – Derek Fresquez & Cuttin The Chord / Cirith Ungol / Tøronto / Licantropy / Dätcha Mandala / Razorvoice / The Henleys / Devil’s Bargain

WOM Reviews - Derek Fresquez & Cuttin The Chord / Cirith Ungol / Tøronto / Licantropy / Dätcha Mandala / Razorvoice / The Henleys / Devil’s Bargain

Derek Fresquez & Cuttin The Chord – “Something to Lose”

2020 – Edição de Autor

É sempre bom ouvir aquele som de guitarra stratocaster com o canal do amplificador saturado! Mostrando que uma boa guitarra Blues se grava direto em um amplificador valvulado!! Derek Fresquez & Cuttin The Chord traz toda a influência de SRV, Garry Moore e muitos outros mestres que são marcantes no estilo. As vezes o vocal soa um pouco forçado, mas não podemos tirar o valor do trabalho. Aconselho aos amantes da guitarra Rock/Blues!

10/10
Carlos Lichman

Cirith Ungol – “Forever Black”

2020 – Metal Blade Records

Já sabíamos que era uma questão de tempo, após o “It’s Alive” do ano passado”, que os norte-americanos Cirith Ungol voltassem à carga. E voltaram com um novo álbum, o primeiro em quase trinta anos, o que não deixa de ser em si um feito impressionante. Mas o que é mesmo impressionante é a forma como nos trazem uma vitalidade ao mesmo tempo que mantém todas as características com os quais ficaram lendários. Seria tentador fazer um update (ou upgrade) à sua identidade, para tentar de alguma frma soarem mais modernos, no entanto tudo o que podemos ouvir aqui é algo bem vintagem e bem heavy metal tal como se esperaria. E com uma grande qualidade. De uma forma este é um trabalho que poderá facilmente competir com qualquer um dos registos da sua discografia já lendária.

9/10
Fernando Ferreira

Tøronto – “Under Siege”

2020 – Dying Victims Productions

Nem só de nostalgia vive o mercado do vinil. Quero dizer, mais ou menos, tendo em conta que os Tøronto parece que cresceram a ouvir Motörhead e que decidem juntar-lhe doses cavalares de speeds em cima para termos o que se pode ouvir aqui em “Under Siege”. Simples, alguns dirão até básico mas este EP já rodou aqui tantas vezes que não poderá ser mesmo por acaso. Que grande vício que isto é. A simplicidade é mesmo a melhor solução por vezes!

9/10
Fernando Ferreira

Licantropy – “Extrabiliante”

2020 – Go Down Records

Após uma bela introdução, temos uma banda que mostra uma grande carga do Classic Rock como Deep Purple (na fase Blackmore) e Rainbow. Gostei muito dos teclados e o mais interessante é pitadas de Surf Music no trabalho. Tem algumas músicas que trazem a marca da banda The Doors. A gravação de forma proposital para marcar a vibe dos anos 70 no estilo da banda. Um ótimo disco para se divertir e tocar nas festas!

10/10
Carlos Lichman

Dätcha Mandala – “Hara”

2020 – Mrs. Red Sound

Que grande salganhada que vai para aqui. Estes franceses Dätcha Mandala não só têm um nome levado da breca como também têm um som a condizer. Já dissemos muitas vezes antes que há bandas que desafiam a categorização. Se por um lado temos (hard) rock moderno e visceral, por outro temos sonzinho pop assim como depois temos blues inspirado e acústico. Dá vontade de dizer, “pá, decidam-se, pá!” (repetir duas vezes pá, para que a frustração seja mais visível). No entanto não há propriamente nenhum campo em que eles se espalhem ao comprido. Apenas gostaria que houve uma linha condutora ao longo deste trabalho. Caso houvesse, o impacto seria bem maior.

7/10
Fernando Ferreira

Razorvoice – “Unmute”

2019 – Raise Your Voice Records

Todos que me conhecem sabem que não sou uma pessoa que gosta de Rock Alternativo, mas como minha função é avaliar a proposta dentro do que é apresentado. Uma banda com composições medianas mesmo os adoradores do estilo não serão muito estimulados a ouvir a banda. Melodias que sabemos como acabaram assim que começam. A primeira música do trabalho não é das melhores tanto que a segunda já é mais interessante. Apesar de tudo sinto uma influência de Rancid (que é uma banda que gosto) trazendo um ponto positivo. Acredito que com um bom produtor no comando o grupo poderá gerar melhores frutos.

7/10 
Carlos Lichman

The Henleys – “On The Rocks”

2020 – Edição de Autor

Uma bela voz, muito boas composições, mas por que a banda não procurou um bom estúdio para fazer a gravação deste trabalho. A voz está muito alta e quando os instrumentos começam a tocar juntos fica meio confuso. A segunda música começa com um clima mais tranquilo e temos uma melhor noção, porem, no momento que a dinâmica sobe volta a ficar tudo mais confuso. A banda é muito boa e tem tudo que um grupo de Rock precisa, mas na próxima vez, procurem um melhor estúdio e um produtor para ajudar na gravação.

8/10
Carlos Lichman

Devil’s Bargain – “Visions”

2020 – Edição de Autor

Esta é uma estreia modesta. Os Devil’s Bargain trazem-nos heavy metal tradicional mas cheio de alma. Muitas vezes o ter alma é tudo. Aqui é quase tudo. Parece que falta no entanto qualquer coisa. Não é a produção, também modesta, nem a forma como as músicas nos parecem que escapam à atenção se não estivermos um pouco mais concentrados. Simplesmente há qualquer coisa que falta. Não é isto um incentivo para que os belgas desistam, até porque apesar dessa falta, o entusiasmo pela sonoridade tradicional vai infectar-nos mais cedo ou mais tarde. Se o tivermos dentro de nós por defeito, claro.

7/10
Fernando Ferreira

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: