WOM Reviews – Destruction / 3000AD / Remission / Age Of Fire / Sentre / Katapult / Metalizer / H8teball

WOM Reviews - Destruction / 3000AD / Remission / Age Of Fire / Sentre / Katapult / Metalizer / H8teball

Destruction – “Born To Thrash”

2020 – Nuclear Blast

Há muitas formas de encarar este lançamento. De um lado, o facto de ser o primeiro álbum ao vivo com dois guitarristas desde o mítico “Live Without Sense”. Por outro, uma forma de recordação para quem os viu (ou para quem os queria ver) no Moita Metal Fest de 2019 já que o alinhamento foi praticamente o mesmo. As más línguas poderão queixar-se de como é apenas (mais) uma tentativa de recuperar a glória passada – principalmente para aqueles que não estão satisfeitos com os últimos trabalhos de estúdio da banda. Talvez seja e mais que nunca tudo é válido para manter o nome vivo, mas em “Born To Thrash” isso não importa muito quando temos os clássicos ao lado de temas recentes que se conjugam bem e quando nos lembramos que esse dito concerto (e tantos outros) retratam uma realidade que não temos possibilidade de viver no momento presente.

8.5/10
Fernando Ferreira

3000AD – “The Void”

2020 – Metal Scrap Records

Estreia discográfica dos neo-zelandezes 3000AD, “The Void” é um álbum que nos cativa desde o primeiro momento. Com uma abordagem melódica – que, curiosamente, até não abrange a voz ou as melodias vocais – este álbum de estreia é uma boa forma de mostrar como o thrash metal, apesar de todos estes anos em cima, ainda nos consegue surpreender. Isto sem deixar de referir a forma como temos uma banda com um potencial para fazer muito mais. É possível uma banda nova trazer-nos ao primeiro álbum um som old school que também apresenta novos caminhos, sem que isso represente um desvio monumental desse tal som old school? “The Void” mostra que sim. Curioso em ver o que vem de seguida.

8.5/10
Fernando Ferreira

Remission – “The Tether’s End”

2019 – Edição de Autor

Wow, que inicio arrasador. “Mother War” abre o caminho para o comboio passar e ele vai por ali fora sem parar em qualquer estação ou apeadeiro… que pedalada! Os australianos Remission fazem assim a sua estreia, empunhando a bandeira thrash bem alto e gritando a plenos pulmões demonstrando as suas pretensões e ambição. A combinação de vocais guturais e simples é uma reminiscência do death/thrash, e aqui soa combinada com riffs pesados, velozmente debitados, cheios de energia e com mudanças pontuais que nos obrigam a estar atentos de forma a captar cada segundo e sentir devidamente tudo o que nos é dado a ouvir. Este disco já foi lançado em 2019 e só nos chegou à mão, mas se isso fosse antes entraria facilmente na minha lista de melhor lançamento do ano. Poderoso!!!

10/10
Miguel Correia

Age Of Fire – “Shades Of Shadow”

2019 – Edição de Autor

O início deste álbum é feito com “Epitaph” algo cinematográfico e que cria uma enorme expectativa para o que nos espera por aqui. A sonoridade é interessante e difícil de integrar num estilo único. Há uma ampla variedade de influências, com riffs fortes, poderosos. Por exemplo, a música “Time Is Running Out”, tem um toque do clássico Thrash, mas depois a coisa ganha outro rumo e entra num estilo mais heavy e progressivo, mas no meio de tanta variação o maior destaque vai para a vocalista Laura, que demonstra uma capacidade enorme de adaptação a diferentes estilos dando sempre bem conta do recado. É um disco muito bom, dinâmico e capaz de nos conquistar.

9/10
Miguel Correia

Sentre – “Sentre”

2020 – Edição de Autor

EP de estreia dos belgas Sentre                que trazem uma espécie de death/thrash melódico. Dualidade entre voz mais gutural/gritada e limpa, ritmos fortes que convidam ao headbang frenético e bastantes pormenores interessantes de guitarra que dão naquilo que mais interessa: boas músicas. E apesar dos lugares comuns esperado, o que temos aqui é sem dúvida um EP sólido que nos deixou fãs desta nova entidade que antevemos dar que falar.

8.5/10
Fernando Ferreira

Katapult – “Fistful Of Truth”

2020 – Edição de Autor

Da Suiça, aqui temos os Katapult que nos trazem um crossover (ou seja thrash hardcorizado) de grande entusiasmo. Quatro temas que nos põem a mexer e completamente energéticos. A coisa despacha-se em menos de quinze minutos mas não há problema que quando chega ao final temos logo vontade de ouvir outra vez. Boas dinâmicas e bom EP. Obviamente que queremos ouvir mais.

8.5/10 
Fernando Ferreira

Metalizer – “The Pact”

2019 – Edição de Autor

No final do ano passado, os brasileiros Metalizer lançaram o seu terceiro álbum de originais, com uma dose bastante generosa de thrash metal algo técnico e bastante interessante. Produção e ideias esclarecidas e riffs bem trabalhados, “The Pact” tem um enorme potencial que acaba por não ser completamente concretizado por apresentar alguns temas menos bem conseguidos. Aliás, com doze temas em mais de cinquenta minutos de duração, seria preferível, um corte nas gorduras para termos uma máquina de guerra mais eficiente. Todavia, ainda temos por aqui bons riffs e bons solos que farão o gosto dos fãs da vertente mais tradicional do estilo.

7/10
Fernando Ferreira

H8teball – “Undead”

2020 – Edição de Autor

Os H8teball têm um nome que é fruto dos tempos. Mais até que a música que nos faz lembrar um death/thrash metal cheio de groove. Começam a carreira discográfica com este EP de quatro temas que são uma boa apresentação ainda que não seja suficiente para que tenhamos uma ideia clara em relação ao que podem apresentar. A tendência a seguir caminhos mais death metal é bem forte pelo que ficamos na expectativa. De qualquer forma, os temas em si são bons o suficientes para que essa espera seja de curiosidade positiva.

7/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.