WOM Reviews – Dormanth / Bleakheart / Reign Of Vengeance / Aztlan / Elvenscroll / Remember Twilight / Jumpscare / Infestus

WOM Reviews - Dormanth / Bleakheart / Reign Of Vengeance / Aztlan / Elvenscroll / Remember Twilight / Jumpscare / Infestus

Dormanth – “Complete Downfall”

2020 – Xtreem Music

Este é um tipo de som que me entra directamente, sem espinhas. Os espanhóis Dormanth são mestres em juntar o peso e melodia (já o andam a fazer desde 1993 – descontando a interrupção de carreira, mas com alguns membros a fazerem parte dos In Thousand Lakes, reforça-se essa ideia de experiência), encaixando-se naquele espectro do death/doom melódico (aqui mais death que doom) que fez maravilhas na segunda metade da década de noventa – e não, não me refiro exclusivamente à sonoridade sueca. É também uma boa representação de como quando se tem uma produção poderosa, modernas, mas que também seja adequada à sonoridade, é meio caminho andado. E neste caso, o poder assenta como uma luva neste grupo de temas mais imediatos e mais curtos mas altamente eficazes. Vício para quem anda a ressacar de bom death melódico.

9/10
Fernando Ferreira

Bleakheart – “Dream Griever”

2020 – Edição De Autor

Os Bleakheart são uma daquelas bandas que desafiam categorizações. Podemos encaixá-los no doom embora não tenham distorção para tal. Shoegaze pela forma como consegue deixar o ouvinte absorto nos seus próprios pensamentos, enquanto a música funciona como um eco desses mesmos pensamentos. Por falar em ecos, também temos alguns ecos de ambient e gótico bastante fortes, onde, claro, a fantasmagórica voz de Kelly Schilling é um elemento fundamental. Este não é um trabalho feito para celebrar a alegria da vida mas a sua fragilidade, a sua preciosidade. Da vida, dos sonhos e de como nós os sentimos dentro de nós. É um assombro de álbum ao qual faltam adjectivos.

9/10
Fernando Ferreira

Reign Of Vengeance – “The Final Aeon For All Humans”

2017 – Edição de Autor

Interessante banda e interessante trabalho, já para começar bem as apresentações. Uma espécie de death/thrash sinfónico que lida acerca das injustiças pelo sistema do tribunal familiar dos E.U.A., e lidando com muitos aspectos e temas que estariam, à partida, mais apropriados para algo punk/hardcore ou crust/grindcore do que algo tão… sinfónico. Seja como for, musicalmente é poderoso, mesmo que não se concorde com o conteúdo lírico. Mais do que ser poderoso, é entusiasmante, a puxar para que se ouça até ao fim. Talvez corram o risco de se encerrarem num beco sem saída, mas por enquanto está bom, muito bom.

8.5/10
Fernando Ferreira

Aztlán – “Entrance To Mictlán”

2019 – Edição de Autor

Os Aztlan começam por captar a minha atenção facilmente, graças a uma intro cheia de misticismo indígena – presumi que seria indígena pelo nome da banda e do EP me lembrar das populações indígenas norte-americanas. Assim que a música começa, fica-se a conhecer a sua verdadeira face. Death metal com melodia muito bem sacada, algo que até muito comum no Brasil – por esta altura, obviamente que já fui investigar um pouco mais. Os temas são longos mas muito bem estruturados, sendo que a importância divide-se entre os riffs e os leads – estes últimos acabam por ter o principal papel em segurar-nos a atenção – e a voz é forte mas ao mesmo tempo discreta (e dinâmica) o suficiente para que se integre bem na música em si. Boa surpresa esta do underground brasileito.

8/10
Fernando Ferreira

Elvenscroll – “Never To Be Mourned”

2020 – Inverse Records

Ora aqui estamos para o primeiro EP dos Elvenscroll que traz-nos folk metal que embora seja previsível, é altamente eficaz. As melodias são logo a primeira apresentação, a voz é aquele rosnar típico do estilo (ou até do black metal), e as guitarras surgem em igual força dos teclados que são a grande surpresa em alguns momentos por uma abordagem mais próximas do rock tradicional – poderia jurar que anda por aqui um Hammond por vezes. É um EP que serve de apresentação e deixa água na boca embora se sinta que existe por aqui um caminho evolutivo a seguir. Caminho que será apreciável seguir.

8/10
Fernando Ferreira

Remember Twilight – “Geburt Einer Tragödie”

2020 – Echozone

Os Remember Twilight são uma banda depressa nos consegue cativar por conseguir furar alguns preconceitos que temos. São alemães, mas cantam de forma apaixonada.Tocam folk metal mas conseguem passar ao lado dos lugares comuns das canções festivas. É pena é que esta pequena apresentação (para mim e para todos os que não os conheciam) saiba tão a pouco. Mas é uma apresentação positiva e que nos fãz querer conhecer ainda mais.

7/10 
Fernando Ferreira

Jumpscare – “Don’t Close Your Eyes”

2019/2020 – Vault Lab Recordings

Reedição deste álbum de estreia, bem interessante, principalmente para quem aprecia do bom e velho death metal melódico vai ter um prato cheio. Vá não tão cheio, já que temos pouco mais de meia hora. Editado no ano passado no formato CD e digital no ano passado, estes temas poderão não ir muito longe em termos de inovação mas acertam em cheio na capacidade de apresenta melodias marcantes acompanhadas de um certo peso. Talvez um pouco mais de personalidade seja preciso mas o que apresentam aqui consegue cativar facilmente.

7.5/10
Fernando Ferreira

Infestus – “Undead”

2020 – Sleaszy Rider Records

O primeiro EP dos Infestus surge mais de duas décadas depois da sua formação mas o som parece que teve origem no ano em que foram formados – 1997. Ou talvez um bocado mais cedo que isso. As referências a bandas como Cradle Of Filth, Moonspell e Tiamat acabam por não surpreender mas até não são esses nomes que surgem aqui – se calhar mais um como Crematory ou algo do género seria mais adequado. Seja como for é um bom regresso ao passado mas para nos cativar no presente os Infestus terão de dar-nos um bocado mais.

6/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.