WOM Reviews – Dropdead / Eyes / The Mercy Kills / Lisbon South Bay Freaks / Art Brut / Grim Reaper Ride / Second Wind / King Mothership

WOM Reviews - Dropdead / Eyes / The Mercy Kills / Lisbon South Bay Freaks / Art Brut / Grim Reaper Ride / Second Wind / King Mothership

Dropdead – “Discography Volume 2 1995-2013 - Remixed”

2020 – Armageddon Label

Compilação que nos traz um arraial de faixas registados num longo período (dezoito anos), bem superior ao do primeiro volume que compreende só o período de 1992 e 1993. Temos faixas de Eps, splits e até compilações, tudo juntos no mesmo pacote, totalizando quarenta e duas descarga. Apesar de haver algumas flutuações de som e produção, expectáveis, trata-se de mais um lançamento fundamental para quem gosta de grind/crust de altíssima qualidade. Um género que se revela bem apropriado para os dias que, infelizmente, vivemos.

9/10
Fernando Ferreira

Eyes – “Underperformer”

2020 – Edição De Autor

Se a música fosse corrosiva, as minhas colunas já estariam feitas em pó. Só de ter passado compulsivamente esta estreia dos dinamarqueses Eyes. As referências dadas de Converge e Pissed Jeans não são feitas apenas com intuito de ir capturar a atenção dos fãs dessas bandas. Há aqui um pouco desse espírito caótico e, mais uma vez, abrasivo, nunca é demais dizer. Este é um álbum inconformado com o estado actual da coisas. Aliás, até o cenário retratado na capa indica isso mesmo, embora, se representasse de forma ainda mais fiel a capa, teríamos as paredes riscadas, o homem mutilado e provavelmente o chão a arder. Desagradável, bastante, tal como a realidade. É o que temos todos dentro de nós actuamente. E uma carreira começa de forma tão desagradável. Ainda bem.

8/10
Fernando Ferreira

The Mercy Kills – “X”

2020 – Golden Robot Records

EP comemorativo dos dez anos de carreira dos australianos The Mercy Kills. Diz a banda que se fosse numa época normal apenas dariam os seus concertos rápidos e intensos para assinalar o facto mas tal como não é possível de momento, escolheram sete dos seus temas, cobrindo todo os lançamentos até ao momento. É um bom retrato do espírito punk e da melodia que o seu rock rebelde é capaz. Não só é uma boa forma de comemorar como também de atrair novos fãs.

7.5/10
Fernando Ferreira

Lisbon South Bay Freaks – “No Gods No Masters”

2020 – Raging Planet

Segundo álbum dos Lisbon South Bay Freaks, banda que já passou por estas páginas, a propósito da reedição do seu primeiro álbum pela Raging Planet, que agora também lhes edita este “No Gods No Masters”. Aquando esse primeiro contacto disse que ia ficar atento em relação eles e aqui está. O punk rock característico misturado com um espírito alternativo descomprometido continuam a ser os principais pontos de interesse. Produção crua, como não poderia deixar de ser, e uma lembrança de que o chavão de “menos é mais” encerrar alguma sabedorias em si. Essa simplicidade é a sua melhor arma.

7/10
Fernando Ferreira

Art Brut – “Wham!Bang!Pow!"

2018 – Alcopop! Records

Este foi o regresso dos britânicos Art Brut aos álbuns após sete anos de ausência. A banda, que sempre foi muito bem recebida pela cena indie alternativa, consegue capturar o interesse de todos os que os acompanhavam. Há uma vida e uma energia que é contagiante, uma boa disposição quase non-sense pelas desventuras cantadas por Eddie Argos e os seus comparsas. Não é memorável para quem procura algo mais agreste mas tem um charme muito próprio que nos mantém presos durante a sua duração.

7/10
Fernando Ferreira

Grim Reaper Ride – “Hellbilly Back To The Underground”

2020 – Wormholedeath

Não conhecendo a banda (em minha defesa, este também é o seu primeiro álbum), confesso que tive alguma surpresa quando me deparei com uma sonoridade rockabilly dos infernos (justificando assim o termo hellbilly). Surpressa por a WormHoleDeath não ser uma editora que nos costuma trazer propostas deste género. Foi uma surpresa positiva porque o rockabilly é um género que aprecio e encontrar esta vertente assim tão metalizada (ou simplesmente ainda mais suja e distorcida que o normal) não deixa de ser interessante. Ainda para mais quando junta à faceta punk que está sempre presente um feeling necro próprio do black’n’roll.

7/10 
Fernando Ferreira

Second Wind – “Vital”

2020 – Edição de Autor

Hardcore poderoso por parte dos Second Wind, que têm aqui uma boa estreia discográfica. O metal infiltra-se través de alguns leads melódicos e de pormenores que até nem é costume apanhar neste estilo de música – sem chegar a ser algo próximo do metalcore. A originalidade é cada vez mais difícil de atingir mas podemos dizer que os Second Wind têm um espírito e atitude muito próprias.

7/10
Fernando Ferreira

King Mothership – “The Ritual”

2020 – Century Media Records

King Mothershipt é um novo projecto por parte de Spencer Sotelo, vocalista dos Periphery. Inicialmente faz-nos pensar que é algo em homenagem ao prog da década de oitenta, mas depressa temos músicas que rementem para o punk pop norte-americano da virada do milénio, até para voltarmos a um pop mais recente. Uma miscelânia de estilos e de moods que até nos conseguem conquistar. Será assim para quem tem alta tolerância à pop, que acaba por ser o elemento comum em todos as suas facetas. Entranha-se bem, mas não fica durante muito tempo. Ainda assim, com qualidade.

6.5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.