WOM Reviews – Eternal Delyria / Kritter / VxPxOxAxAxWxAxMxC / Second Brain / Rat King / Atavisma / Void Rot / Beast Of Revelation / Mecalimb

WOM Reviews - Eternal Delyria / Kritter / VxPxOxAxAxWxAxMxC / Second Brain / Rat King / Atavisma / Void Rot / Beast Of Revelation / Mecalimb

Eternal Delyria – “Paradox of the Mechanical Angel”

2020 – Edição de Autor

Formados em 2011, os suíços Eternal Delyria iniciaram o seu projeto de melodic death metal. 9 anos (aproximadamente), 1 álbum e algumas mudanças de line-up depois, os Eternal Delyria apresentam o seu 2º álbum de nome “Paradox of the Mechanical Angel” que desde início intriga os ouvintes. Como já foi dito esta é uma banda melódica e apesar de esta faceta não ser particularmente “gigante” ao longo deste álbum, a verdade é que está sempre presente (contrariamente a muitas bandas que se apropriam do rótulo só porque têm um solo mais intricado e épico pelo meio) notando-se não só pelas escolhas de riffs ao nível da guitarra como também no uso de teclado que, honestamente, no passado me deixou com uma banda também deste estilo mas que neste caso cai lindamente por não se intrometer de forma abrupta em cima dos outros instrumentos. Neste sentido, não se preocupem aqueles que temem que o album seja “demasiado melódico” porque não o é, a principal raíz continua a ser a do death metal à que é acrescentado um elevado nível de epicidade um pouco ao som que imaginamos quando pensamos em caos bíblico (vá lá que o título involve um tipo de anjo, já que me parece que o álbum nada tem a ver com temáticas religiosas e pelo menos assim a palavra “bíblico” ainda se aplica minimamente). Dito isto, o álbum é um espetáculo e como disse “ntrigante só pelo facto de que cada faixa é tão diferente da anterior e ainda por cima todas elas são fortes e dão aquele hype a que só se sente no nosso estilo tão explosivo. Um excelente trabalho que explica perfeitamente o porquê desta banda estar a vingar nos territórios por onde passa.

8.5/10
Matias Melim

Kritter – “The Fuckening”

2020 – On Fire Records

Ora vamos lá a admitir, que por muito que pensemos que “The Fuckening” seja um título caricato (e é), não deixa de ser extremamente metal. Assim como o som que os espanhóis Kritter trazem para este que é o seu quarto álbum, o primeiro em cinco anos. Death metal a puxar ao melódico e ainda assim bem melódico, que nos consegue causar excelente impacto. Principalmente pela forma como as vozes limpas nos soam mesmo empolgantes. Será algo que poderá baralhar as contas – afinal, death metal melódico, certo? – mas no final, o que interessa mesmo é a forma como as músicas resultam. Aqui? Resultam perfeitamente, muito obrigado.

8.5/10
Fernando Ferreira

VxPxOxAxAxWxAxMxC – “Austrian Dukes Of Derangement”

2020 – Xenokorp

Enter Pig! Os Vaginal Penetration of an Amelus with a Musty Carrot têm um daqueles nomes que valçe por ser tão inesquecível como… difícil de memorizar. Mas aqueles “xs” tdos a servir de ponto também nos indicam bem ao que vêm: goregrind com os suínos todos à solta. Não sendo propriamente o estilo mais apelativo da música extrema, não deixa de ser curioso pensar que com mais variedade na entrega vocal e com um baterista a sério (e não com bateria programada com um som horrível de tarola), a efectividade deste trabalho seria bem superior. São cinco músicas que não trazem nada de novo mas que nem seria suposto. Isto é meso para os fãs mais acérrimos de goregrind, porque até mesmo os de death, depois de ouvir uma primeira vez, não devem encontrar muitas razões para uma segunda.

6/10
Fernando Ferreira

Second Brain – “The Mind Awakes”

2020 – Edição de Autor

Second Brain são uma banda Italiana de death / thrash metal, com influências clássicas, formados em 2014. Podemos agora ouvir o seu mais recente trabalho “The Mind Awakes” que conta com uma excelente construção clássica. Violoncelo presente nos temas contrasta com ritmos mais intensos, na voz podemos contar com um gutural grave e não muito prolongado, tal como trabalhados solos de guitarra, riffs cuidados tal com uma bateria frenética. Podemos contar com os temas “The Mind Awakes” e “ The Key”, num registo bem mais thrash, os restantes temas são igualmente bons remetendo um pouco mais para um registo progressivo, Recomendo a fãs de Kreator e Sepultura.

8/10
Nídia Almeida

Rat King – “Vicious Inhumanity”

2020 – Within The Mind Records

Interessante reviravolta para o som dos Rat King que embora mantenham a sua veia suja (badalhoca mesmo), viraram as agulhas para o bom e velho death metal. E os resultados são bem interessantes. Refrescantes até. Aquela gravilha toda no som das guitarras, o elemento primitivo no som em geral e até algumas boas surpresas fora da caixa como a mais contemplativa “In Quiet Sleep”. Ampliaram o espectro das suas influências e conseguiram surpreender de forma muito positiva.

8/10
Fernando Ferreira

Atavisma / Void Rot – “Split”

2020 – Everlasting Spew Records

Os splits têm por tendência em mostrar-nos dois (ou mais) lados da mesma moeda ou então, menos comum, algo de campos opostos.  Em relação aos Atavisma e aos Void Rot há mais coisas a uni-los do que propriamente a separá-los. Ambos têm uma sonoridade suja e arrastada do seu death metal – embora se possa argumentar que os Void Rot acabam por ir mais ao death/doom do que os seus comparsas de split. Ambos têm uma estética sufocante que faz com que este split seja tão homogéneo que os mais distraídos poderão nem sequer reparar quando acaba um e começa o outro. Os aficionados, esses não terão qualquer problema porque será uma boa meia hora passada.

7/10 
Fernando Ferreira

Beast Of Revelation – “The Ancient Ritual Of Death”

2020 – Iron Bonehead Productions

Beast of Revelation é o novo projecto do vocalista John McEntee (Incantation) que conta ainda com a presença de Bob Bagchus (ex-Asphyx) na bateria e o baixista/guitarrista A.J. van Drenth (ex-Beyond Belief). ‘The Ancient Ritual of Death’ é o álbum de estreia do reconhecido trio, como uma sonoridade que junta numa insidiosa duplicidade o Doom com o Death Metal fazendo lembrar os primórdios de Paradise Lost ou mais recentemente os extintos Vallenfyre. Aos riffs arrastados, intrépidos e imponentes do Doom adensa-se a cavernosa, mórbida e monstruosa vocalização de John McEntee, fazendo de faixas como ‘The Great Tribulation’, ‘The Days of Vengeance’ ou o tema titulo ‘The Ancient Ritual of Death’ verdadeiros compassos de intensidade e brutalidade. ‘The Ancient Ritual of Death’ detém um impressionante e lento pulsar de peso e impetuosidade imperdível para quem aprecia este particular subgénero.

7/10
Jorge Pereira

Mecalimb – “Collector Of Souls”

2020 – WormHoleDeath

Os noruegueses Mecalimb voltam à carga após cinco anos de ausência (sem contar com o single “Downfall” de 2018) e apresentam com poder renovado, com melodia mas mais foco no peso. Vou ser honesto, estes quatro temas não são propriamente uma revelação ou algo que nos deixe de boca aberta. Contudo, têm qualidade suficiente para nos deixar atentos aos seus próximo passos e não são algo propriamente clichê – algo que se corre o risco de se pensar quando o assunto é death metal melódico. Tema “Solace For The Weak” é o mais interessante e poderá ser um bom caminho criativo a seguir no futuro.

7.5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.