WOM Reviews – Eternal Struggle / Bent Out Of Shape / The Boldness / Wednesday 13 / Ryker’s / The Eulogy / Not Moving / Last Agony / TakeBack / Paperoga

WOM Reviews - Eternal Struggle / Bent Out Of Shape / The Boldness / Wednesday 13 / Ryker’s / The Eulogy / Not Moving / Last Agony / TakeBack / Paperoga

Eternal Struggle – “Year Of The Gun”

2021 – Demons Run Amok / Upstate

Este será um nome que vai ficar gravado em todos os fãs de hardcore. Os Eternal Struggle trazem um álbum de porrada hardcore com um peso metálico que convida ao movimento. Já nem sequer vou repetir a frustração de uma banda destas lançar um álbum com um peso destes e o mesmo não poder ser apreciado ao vivo. Seria um concerto épico. O que vale é que o som é tão poderoso e castigador que mesmo em casa dá para sentir o impacto da jarda que seria ao vivo. Banda a tomar em conta pela forma como consegue trazer catorze temas, violentos mas igualmente dinâmicos. Trinta e seis minutos que passam a voar.

9/10
Fernando Ferreira

Bent Out Of Shape / The Boldness – “Split 7”

2021 – Demons Run Amok

Excelente splut com duas excelentes bandas. Street punk rock, onde os Bent Out Of Shape são e os The Boldness mostram como o punk rock também pode ser feito para cantar com uma cerveja na mão e contagiar toda uma multidão. As duas propostas são similares mas ao mesmo tempo com distinções entre si acentuadas, mas mais distintas são as origens já os Bent Out Of Shape são holandeses enquanto os The Boldness são indonésios. EP curtinho mas para ouvir a alta rotação, repetidamente.

9/10
Fernando Ferreira

Wednesday 13 – “Necrophaze - Antidote”

2020 – Argento Records

É cada vez mais comum termos bandas de black metal misteriosas das quais não há nenhuma informação. Mas no final o que interessa mesmo é a música e no caso dos holandeses Ossaert, o que temos é quatro temas longos, hipnóticos e cruz. Vistas a coisas, não é preciso saber quem são, de onde vieram e para onde vão. Nem é preciso letras nem títulos de música (por muito que seja um chavão termos “I”, “II”, “III” e “IV” como títulos, enquadra-se perfeitamente) porque a música fala por si só. E nem só consegue ser aquele black metal cru e primitivo como também consegue alcançar níveis inesperados de melancolia (conferir a “III”). No geral é um álbum surpreendente que não conseguimos ficar indiferentes.

8.5/10
Fernando Ferreira

Ryker’s / The Eulogy – “Casselfornia Über Alles”

2021 – Unity Worldwide Records

Os Ryker’s são um nome que dispensam apresentações no hardcore, logo à partida este foi um lançamento que interessou logo conhecer. E não desiludem, peso hardcore que convida ao movimento e aos rebuliço. Os The Eulogy revelam-se a escolha ideiak para os acompanhar e até é um nome que fica retido na memória para conhecer melhor. Vontade de acompanhar os cânticos, vontade de por em movimento e… a nostalgia pelos tempos em que tudo isto era feito sem preocupação. A cena continua viva e é graças às bandas que continuam a trazer-nos o mesmo poder, o mesmo espírito e a mesma raiva.

8.5/10
Fernando Ferreira

Not Moving – “Live In The Eighties”

2005 / 2021 – God Down Records

Interessante registo dos Not Moving, uma banda de garage punk com muito de pós punk mais selvagem italiana. Um nome de culto que facilmente se percebe a razão desse estatuto. Não só está aqui a reedição da compilação originalmente editada em 2005 e que traz temas registados entre 1985 e 1988 como também vai dar direito a fazer dowload digital do DVD da banda também de 2005. Falando dos temas em si, temos um factor hipnótico muito interessante, reminiscente até da década de sessenta e daquilo que se convencionou chamar de rockabilly. É a mistura destes mundos todos que temos com esta compilação que vos vai surpreender.

8/10
Fernando Ferreira

Last Agony – “The Imminent Slaughter”

2021 – Sentient Ruin Laboratories

Venderam-nos o peixe como sendo punk/hardcore mas assim que o tema título se faz ouvir, toda a estética do som, a podridão que emana das colunas até nos faz pensar noutras coisas mais extremas. Conforme vamos mergulhando nestes oito temas rápidos, essas coisas mais extremas (black e death metal cheio de gravilha, pulverizados a crust) tornam-se parte tão integrantes como o pedigree hardcore que faz parte do seu ser. É um álbum extremamente curto – não chega a vinte minutos – mas é daqueles que até o facto de ser curto se revela perfeito. Podridão perfeita.

8/10 
Fernando Ferreira

TakeBack – “Empire Of Dust”

2021 – Edição de Autor

Álbum de estreia dos Take back de São João da Madeira, que já tinhamos conhecido no palco do saudoso Casaínhos Fest. Hardcore musculado e com convites (muitos) à dança graças a inúmeros breakdowns. É um álbum que soa forte mas que tem um fluir estranho, muito quebrado entre si. Também não ajuda ser algo curto mas também isso já é algo esperado. Fica para a posteridade a partecipação de Dice (R.I.P.) dos Steal Your Crown no tema-título e a de Ricardo dos For The Glory na “Time”. Primeiro álbum que não sendo perfeito, é um passo importante para uma banda cheia de potencial.

7.5/10
Fernando Ferreira

Paperoga – “Santa”

2020 – Art Of Propaganda Records

E agora uma dor de cabeça? Estava mesmo a calhar, não? Não, de certeza? É pena porque temos aqui os Paperoga que se esforçaram tanto para isso… A indicação de que estamos perante “crazy noise/grindcore” é logo premonitória do que vamos encontrar e por uma vez, o comunicado de imprensa não está muito longe do que podemos encontrar. É definitivamente algures entre o espaço deixado atrás que temos a música contida, com alguns elementos electrónicos a marcar presença, quase sempre pelo lado da abrasividade. Este duo italiano está decidido não a matar o mundo mas pelo menos a magoá-lo um bocado. Excepto quando fazem uma espécie de ambient spooky e sinistro, mas isso também acontece por apenas alguns segundos.

5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.