WOM Reviews – Havok / Entorx / Enrage / Maelstrom / Celtic Hills / Abhorrent / Minatox69 / Repent

WOM Reviews - Havok / Entorx / Enrage / Maelstrom / Celtic Hills / Abhorrent / Minatox69 / Repent

Havok – “V”

2020 – Century Media Records

Thraaaash! Já tinha saudades do velho grito de guerra e os Havok mais que o merecem. “Conformicide” não nos preencheu as medaidas, com uma abordagem mais técnica que não nos soou bem à primeira. Com o tempo e principalmente ao vivo, as novas músicas foram crescendo. Aqui não temos esse problema, com o álbum a entrar muito bem logo à primeira – talvez a “Panpsychism” seja aquela que não nos entra logo à primeira ou até a “Don’t Do It”, que é um pouco mais melódica e fora. Esses dois momentos acabam por compensar algumas semelhanças, sobretudo pelo início da “Post-Truth Era”, que é um tributo descarado à “Blackened” dos Metallica. Variado e com vários caminhos para o futuro (resta saber quais são os válidos), os Havok estão tudo menos conformados.

8.5/10
Fernando Ferreira

Entorx – “Faceless Insanity”

2020 – Edição De Autor

Death metal thrashado com uma vontade de levar tudo à frente é o que podemos encontrar no segundo álbum de originais dos alemães Entorx. A banda esteve em silêncio durante sete anos mas o silêncio não poderia ser quebrado (destruído!) da melhor forma. “Facelesse Insanity” apresenta não só violência sónica esperada do género como ainda lhe acrescenta um extremo bom gosto no que diz respeito ao trabalho de guitarra. Alguma complexidade nas estruturas dos temas tão bem são notadas e muito bem vindas. Trabalho que se destina aos que gostam de ir para além do óbvio e de ter apenas bons riffs atractivos a rodar em cerca de três minutos por canção, apesar de termos também alguns bem directos e catchy. Algo que se nota em temas como “Hypocritical Faith” contrapondo com outros que vão no sentido oposto mas que conseguem cativar-nos de igual forma (como “Madness Unchained” e Doomed”).

8/10
Fernando Ferreira

Enrage – “I Wanna EP Somebody”

2020 – Edição de Autor

Na dúvida, toca covers. Principalmente se for “I Wanna Be Somebody”, um tema dos W.A.S.P., que soa sempre bem, seja de que forma for. A versão musculada dos norte-americanos Enrage, resulta muito bem. Temos ainda dois temas “All Righr” e “This Is Sacred” onde está provado que a sonoridade da banda resulta bem até nos seus próprios originais, evidenciando um thrash metal hardcorizado (ou um hardcore metalizado, como quiserem encarar a coisa) que contagia. Bom EP.

7.5/10
Fernando Ferreira

Maelstrom – “Of Gods And Men”

2020 – Edição de Autor

Incrível a quantidade de bandas que têm esta designação. Não é fácil para nós, que procuramos um bocado mais de informação, para chegarmos até à correcta. Mas conseguimos. Estes Maelstrom são norte-americanos e chegam ao primeiro álbum de forma ambiciosa. E não, não é uma banda nova. Na realidade são veteranos, tendo começado em 1988 – e acabaram em 1992, voltando em 2007, mas com muita pouca actividade, além de um EP. Temos uma sonoridade que assenta no thrash progressivo e com teor neo-clássico. Temas longos e melodias estranhas com alguns arranjos que não estariam deslocados num álbum de Symphony X. Não há propriamente um momento mau ainda que a voz de Joe Lodespoto nem sempre seja a melhor para este tipo de registo. Os efeitos que usa de vez em quando também não são uma melhoria. Ainda assim, uma estreia que surpreende e cativa.

7.5/10
Matias Melim

Celtic Hills – “Blood Over Intents”

2020 – Elevate Records

É tão bom quando somos levados ao engano. Não estou a ser irónico, estou a ser sincero. “Blood Over Intents” é o trabalho de estreia e quer pela capa quer pelo título até se esperava uma espécie de folk metal, mas o que temos é mesmo um thrash metal entusiasta que surge com uma vitalidade impressionante. A produção não é propriamente polida e a dinâmica é enorme, por vezes dinâmica demais, com diferenças acentuadas de faixa para faixa. No final de tudo o balanço não deixa de ser bem positivo. Um início de carreira que promete.

7/10
Fernando Ferreira

Abhorrent – “Katabasis”

2020 – Australis Records

Fiquei logo agarrado com o primeiro tema “Candidate To Punishment”, o tema de abertura, de sete minutos, que conseguiu tocar em todos os pontos certos. Death/thrash metal de excelente bom gosto, mas o problema é quando o álbum prossegue e não conseguimos ter algo que consiga superar ou até mesmo igualar esse impacto. O que é pena. A banda chilena regressa após nove anos de silêncio mas o regresso acaba por ficar algo aquém do que esperaríamos, principalmente após aquela primeira faixa demolidora.

6/10 
Fernando Ferreira

Minatox69 – “Collapse”

2020 – Mad4Music

Proposta modernaça, vinda de Itália, onde o thrash e o groove para um bom som que não sendo revolucionário (por acaso até soa bem old school – se é que podemos chamar de old school o thrash mais groove) consegue ter um bom impacto pela energia que impõe. É pena é que essa energia também parece que se vá esgotando conforme o tempo passa. Um álbum para os fãs da banda e do género, que de certeza que não vão ficar decepcionados. Os que quiserem algo já menos óbvio, provavelmente não será algo que recomendamos.

6/10
Fernando Ferreira

Repent – “Condenmed To Fail”

2019 – High Roller Records

Thraaaaaaaaaaaaash! Meio podre e como manda a lei alemã mas ainda assim, thraaaaaash! Pode faltar aos repente alguma finesse, isso é certo. As coisas aqui são todas em bruto, mas só o facto de serem mais próximos da vertente mais clássica é um ponto positivo. Claro que se pensarmos que a banda não lançava um álbum há sete anos, poderá ficar-se ligeiramente desiludido. Talvez por ser um trabalho bastante uniforme, onde não temos propriamente um tema que se destaque de todos os outros. Consegue ser, todavia, uma evolução em relação ao último trabalho. Resta saber se isso será o suficiente para os fãs da banda ou se fará alguma diferença para todos os outros que não os conhecem.

6.5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.