WOM Reviews – Ljosazabojstwa / Pyrrhon / Birth Of Aurora / Eternal Rest / Bleeding Spawn / Crown The Unholy / Koffin / Heruka

WOM Reviews - Ljosazabojstwa / Pyrrhon / Birth Of Aurora / Eternal Rest / Bleeding Spawn / Crown The Unholy / Koffin / Heruka

Ljosazabojstwa – “Głoryja śmierci”

2020 – Godz Ov War Productions

Depois de três demos na primeira década do milénio, os Fastian Pact apresentam um álbum que parece que até é mais antigo, vindo da década de noventa. Aquele black metal ligeiramente melódico ainda que algo cru. Tem um encanto muito próprio. Encanto do passado mas que é válido tanto agora como o seria na altura. Talvez este seja um trabalho que está voltado para o passado, não existem dúvidas em relação a isso… no entanto, não deixa de ser inegavelmente cativante e eficaz. Uma boa surpresa a provar que por vezes as expectativas crescem e são correspondidas.

8.5/10
Fernando Ferreira

Pyrrhon – “Abscess Time”

2020 – Willowtip Records

Quando se usam muitas metáforas ou comparações é porque das duas três: ou há preguiça envolvida para não cair no facilitismo do uso das figuras de estilo ou então o impacto é mesmo enorme. Este esclarecimento serve apenas para ocupar algumas linhas antes de dizer que este poderia ser o registo sonoro da possessão Linda Blair pelo sacana do Pazuzu. Desconcertante, caótico e uma das coisas mais extremas que ouvimos nos últimos tempos. Este é um daqueles álbuns que poderá servir de referência como o limiar da música para a javardeira total nem sempre é assim tão fácil de reconhecer. Ou respeitar sequer. Vou ser totalmente sincero, este não é um disco para ouvir todos os dias. É como se fosse ir ao limite, fazer queda-livre sem pára-quedas, sobreviver, despejar as entranhas todas cá para fora e voltá-las a colocar à unha para dentro. Mas é impossível não se ficar completamente derreado com sorriso nos lábios. Ou então simplesmente perguntar-nos “o que raio se passou aqui?!”

9/10
Fernando Ferreira

Birth Of Aurora – “Sapere Avde”

2020 – Edição de Autor

Projecto que nasceu através da junção dos guitarristas Diego Laino e Daniele Cozzolino e que nos traz death metal técnico e melódico (ou pelo menos com melodias bem mais memoráveis do que aquelas que teríamos habitualmente). Tratando-se de um EP, esse é o seu grande defeito. Grande e único porque de resto, tirando as dispensáveis intro e outro (“Sopor Fratem Mortis Est” e “Birth Of Avrora”) que não aquecem nem arrefecem, o que se tem é mesmo um death metal técnico de grande qualidade. Sem dúvida, grande banda!

9/10
Fernando Ferreira

Eternal Rest – “The Picture Of Hatred”

2019 – Gore House Productions

Sendo que é difícil ser-se surpreendido, por vezes é do mais inesperado que a surpresa chega, e por inesperado diz-se um álbum de 2019 por parte de uma banda australiana. Death metal sem grandes tretas, sem grandes melodias, mas com um som bem forte e ao qual é impossível não negar e não aceitar o entusiasmo com que o mesmo nos é impingido. Brutalidade daquela que dá gosto mesmo. Rodar com alma.

9/10
Fernando Ferreira

Bleeding Spawn – “Pariah Attestant”

2020 – CDN Records

A cena sul-africana de death metal bruto é realmente rica. Os Bleeding Spawn são um dos seus “novos” valores, com este EP que sucede a estreia de 2016. São apenas três faixas cheios breakdowns (que aproximam o som mais do deathcore do que do brutal death metal) e pig squeals que chegam para nos deixar convencidos da sua potência. Apesar de não ser perfeita (principalmente no pedal da bateria que soa demasiado artificial), a produção é cheia e forte e ajuda a que estes temas tenham um impacto superior. Um bom aquecimento.

8/10
Fernando Ferreira

Crown The Unholy – “Empirical Death”

2020 – Edição de Autor

Se é mais comum termos propostas de death metal que são old school hoje em dia, também temos a vertente mais moderna que tem igualmente expressão no género. No caso dos Crown The Unholy (que até têm um nome bem moderno), temos uma espécie de death/groove moderno old school, ou seja, produção mais crua e tudo um bocado rústico. O que não é problema nenhum, pelo contrário. Há o factor nostálgico que nos faz recuar uns bons quinze ou vinte anos, mas os méritos de “Empirical Death” falam por si só.

7/10 
Fernando Ferreira

Koffin – “Nailed Into The Coffin”

2020 – Edição de Autor

Death metal cavernoso sabe bem a qualquer altura mas também é algo tão específico que já não tem o impacto como tinha tempos atrás. De qualquer forma, a estreia dos Koffin com esta demo faz-nos pensar de que há por aqui matéria que se poderá tornar em diamante num futuro próximo. Ou ouro, conforme seja o vosso gosto pessoal de metáforas. Esperemos para ver.

7/10
Fernando Ferreira

Heruka – “No Sun Dared Pass Our Windows”

2020 – Rude Awakening Records

A primeira coisa que tenho que referir é que a banda se refere como, e passo a citar, “black metal onírico”, o que no mundo consciente deve equivaler a uma espécie de black/death metal algo melódico. Só para esclarecer. Em defesa da banda, no entanto, percebe-se a necessidade de ter uma designação peculiar já que o seu som realmente não é propriamente típico. Para ser mais efectivo, falta aqui um pouco de mais variedade – exceptuando pelo interlúdio instrumental “Unreal Consciousness”. Apesar de ser algo exótico no uso dos riffs e das estruturas das músicas, onde se incluem os arranjos, não chega a ter impacto forte o suficiente para nos deixar a memória marcada. Hoje em dia é uma das grandes dificuldades. Valoroso mas com trabalho para fazer ainda.

6/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.