WOM Reviews – Mädhouse / Sweet Oblivion feat Geoff Tate / Infinite & Divine / Rapid Strike / The Hawkins / Wedge / Skam / Black Knight

WOM Reviews - Mädhouse / Sweet Oblivion feat Geoff Tate / Infinite & Divine / Rapid Strike / The Hawkins / Wedge / Skam / Black Knight

Mädhouse – “Bad Habits”

2021 – Rock Of Angels

São uma banda de hard rock da Áustria formada em 2017, e “Bad Habits” é o segundo trabalho de estúdio. Este disco é composto por quinze músicas de puro glam/sleaze rock à moda antiga e liricamente, o álbum faz jus ao estilo com abordagens a sexo, drogas e rock ‘n’ roll! Musicalmente tudo flui de forma caraterística ao que se fazia no dentro do estilo nos anos oitenta. Por aqui é tudo muito “épico” e deixa no ar a vontade de ouvir muitas daquelas bandas que na época brilhavam. “Bad Habits” é daqueles discos que merece toda a nossa atenção pois é arrojado, pesado e cheio de estilo.

10/10
Miguel Correia

Sweet Oblivion feat Geoff Tate – “Relentless”

2021 – Frontiers Music

Geoff Tate é um dos melhores vocalistas de sempre e este trabalho só vem mais uma vez dar créditos a isso! Claro que o todo o faz brilhar ainda mais e neste caso, “Relentless” é mais um disco onde o mestre faz o seu percurso de forma imaculada ao longo de dez temas, brilhantes, com alguns clichés do percurso musical de Geoff mas não é por isso que é top! Com exceção de Tate, a formação do novo álbum é totalmente diferente da apresentada anteriormente e enquanto a produção e a composição principal do álbum estreia foram tratadas por Simone Mularoni (DGM), desta vez a produção foi feita por Aldo Lonobile (Secret Sphere, Avalon de Timo Tolkki, Archon Angel). Volto naturalmente a fazer referência às vocalizações distintos, poderosos e claros, e os instrumentais são também eles um passo à frente, com riffs mais pesados e solos mais fortes.

10/10
Miguel Correia

Infinite & Divine – “Silver Lining”

2021 – Frontiers Music

Infinite & Divine são uma nova dupla sueca composta pelo músico e compositor Jan Åkesson e pelo vocalista Tozzi (também conhecido como Terese Persson). Aqui a combinação dos riffs pesados de Jan e a versatilidade musical, juntamente com o estilo vocal simples, poderoso e melódico de Tezzi, criou algo bastante único. O álbum mistura metal melódico e hard rock com resultados brilhantes. As músicas são dominadas com riffs pesados, mas que permanecem cheio de energia q.b.. Este disco é daqueles que os fãs do género têm mesmo de ouvir.

9/10
Miguel Correia

Rapid Strike – “Rapid Strike”

2021 – WormHoleDeath

Inicialmente formadaos em 2010, a banda Croata de Rock / Metal, Rapid Strike, desde então, alcançou o reconhecimento de muitos fãs em todo o mundo. Com o seu som distinto e reconhecível que preenche a lacuna entre Metal e Rock. O guitarrista principal e compositor principal Hrvoje Madiraca criou um álbum cheio de riffs interessantes, solos loucos, melodias e refrões muito catchy, onde a voz da vocalista inglesa Bexie James são a cereja no topo do bolo. Os Rapid Strike são uma banda com um caráter verdadeiramente internacional agora e que merece muito a atenção!

9/10
Fernando Ferreira

The Hawkins – “Live In The Woods”

2021 – The Sign Records

Ainda “Silence Is A Bomb” está fresquinho e aqui estão os The Hawkins de volta com este “Live In The Woods”, um EP que vai buscar alguns dos temas do mais recente álbum da banda. A particularidade é que é gravado nos mais invulgares lugares. Como o próprio nome indica, foi gravado numa floresta, mais especificamente numa floresta sueca, mas também foi gravado num celeiro abandonado e até na fábrica de Cerveja onde é feita a “Olsson Lager” da banda. Nada que se note no som, já que até poderíamos jurar que tinha sido gravado num estúdio. Orgânico e cheio de feeling rock, para quem não apanhou o álbum, está aqui um excelente chamariz.

8.5/10
Fernando Ferreira

Wedge – “Like No Tomorrow”

2021 – Heavy Psych Sounds

Como se não houvesse amanhã. Faria todo o sentido começar esta frase com um “rockar” e se esse “rockar” estivesse confinado à década de sessenta/setenta. Sim, é retro. Deliciosamente retro. Com aquele espírito psicadélico que parecia fluir naturalmente na água disponível da altura, “Like No Tomorrow” não é surpresa nenhuma para os fãs da banda alemã. Afinal este é já o seu terceiro álbum, um álbum que trata o rock com a devida reverência que merece. Destaque máximo para os teclados que são sem dúvida um dos elementos chave deste conjunto de músicas que são mais do um tributo aos anos áureos do rock. Ainda no dia de hoje este tipo de coisas resulta, pelo que o rótulo até nem faz assim tanto sentido, apesar de se perceber a necessidade do seu uso. Clássico, rock clássico, que nos deixa sempre numa boa disposição. Nota máxima para o épico final “Soldier”, um dos grandes momentos deste álbum. Um de muitos.

8.5/10 
Fernando Ferreira

Skam – “Intra”

2021 – X-Ray Records

Este trio de hard rock com origens em Leicester traz até nós os sons do rock britânico clássico. “Intra” um EP de 6 faixas e será o primeiro de uma antologia de duas partes, onde cada música se concentra em um traço humano negativo baseado em lutas modernas acompanhado pelo poder de riffs de guitarra escuros e sujos típicos do rock clássico com refrões melódicos.

8/10
Miguel Correia

Black Knight – “Road To Victory”

2020 – Pure Steel Records

Sem ser brilhante, “Road To Victory” é um disco de power metal até aceitável. Se por um lado há por aqui muitos clichés que o tornam sem sabor, por outro há passagens musicais bem compostas, quase, quase perfeitas.Mas o disco parece cair numa rotina sonora e a sensação é a de estarmos sempre dentro de uma máquina de lavar a roupa, onde por muitas voltas que se dê vamos acabar sempre no mesmo.Estou a ser exigente? Bem, talvez, mas o estilo está saturado de bandas e aquilo que se procura é algo que seja uma lufada de ar fresco.

6/10
Miguel Correia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.