WOM Reviews – Pixie Ninja / Marsyas / Plight Radio / Lufeh / Oneiric Celephaïs / The Multitude / Verde Lauro

WOM Reviews - Pixie Ninja / Marsyas / Plight Radio / Lufeh / Oneiric Celephaïs / The Multitude / Verde Lauro

Pixie Ninja – “Colors Out Of Space”

2020 – Apollon Records Prog

Dos Pixie Ninja espera-se sempre algo especial. O impacto do eu álbum de estreia foi enorme e a nossa expectativa não foi abalada por este “Colors Out Of Space”. Se calhar estão a reconhecer o título, já que houve recentemente um filme como o mesmo título de Nicholas Cage. Um filme de terror inspirado por H.P. Lovecraft, a mesma inspiração que temos aqui. Instrumental mas com uma enorme atmosfera que dispensa palavras, este álbum é daqueles que nos faz perder no tempo e ao qual queremos sem dúvida voltar. Sem esperar grande tempo. Poderá parecer um bocado extravagante ou experimental, mas deixem-se de resistências e deixem-se ir no doce abraço eterno de Cthtulu. Perdão, dos Pixie Ninja.

9.5/10
Fernando Ferreira

Marsyas – “Emergence”

2020 – Edição De Autor

Marsyas inicia aqui o seu percurso discográfico, com este álbum de estreia de grande qualidade. “Emergence” traz-nos uma fusão de rock e metal progressivo que surpreende pela forma como se torna viciante em pouco tempo. Sem ser particularmente pesado, consegue fazer isso principalmente pelos riffs. As influências da banda são absurdamente variadas, algo que se consegue perceber. O melhor de tudo é que conseguem soar minimamente originais e construir uma série de canções que são muito mais do que exibições acerca das suas capacidades como executantes ou compositores. Tudo flui sem nada forçado.

9/10
Fernando Ferreira

Plight Radio – “When Everything Burns Within”

2020 – Antigony Records

Podemos dizer que o pós-rock já está esgotado há muito tempo que ninguém fica ofendido, penso eu. Também se pode dizer que apesar disso, o interesse pelo género é o mesmo – isto para quem aprecia a música e não anda simplesmente a reboque das “next big things” desta vida. Plight Radio inserem-se num género onde dificilmente serão as “next big things” mas com esta estreia, neste EP, conseguem acertar mesmo em cheio nos temas, nas melodias e até nos arranjos daquilo que queremos ouvir. Encaixa perfeitamente na caixa do pós-rock. E depois? Tem de ser mau? Muito pelo contrário. Um EP que promete muito e que faz ansiar por um álbum.

9/10
Fernando Ferreira

Lufeh – “Luggage Falling Down”

2020 – Edição de Autor

É engraçado mas assim que ouvi este álbum pensei logo que seria de uma banda brasileira. Não me interpretem mal, foi apenas algo que me surgiu. Acontece que estava meio certo, já que a banda tem sim elementos brasileiros mas está na realidade sediada na Califórnia. Há aquele feeling clássico do género metal progressivo que nos remonta para a década de noventa mas não é um álbum que nos saiba a requentado ou a mofo. Energético e conciso – bastante curto, como os temas – é intrigante a forma como este álbum nos puxa para outra nova audição.

8/10
Fernando Ferreira

Oneiric Celephaïs – “The Obscure Sibyl”

2019/2020 – Gore House Productions

Originalmente lançado em 2019 de forma independente, o primeiro EP dos italianos Oneiric Celephaïs é agora reapresentado ao público pela Gore House Productions. Conseguimos perceber qual foi o fascínio da editora em querer mostrar este lançamento a um público mais vasto embora, tenhamos que ser sinceros em admitir que o seu death metal técnico e progressivo não é propriamente imediato. Impressionante a forma como ambas as guitarras conseguem roubar toda a atenção do ouvinte. Fica-se com vontade de ouvir mais mas também com o desejo de vermos o próximo passo da sua evolução – parece-nos que a coisa não vai ficar por aqui.

7.5/10
Fernando Ferreira

The Multitude – “Passing Into Time”

2018 – Edição de Autor

E aqui está o álbum de estreia dos The Multitude. Tudo o que tínhamos como ponto de comparação era o EP de três temas, que poderão encontrar neste mesmo artigo. Apesar de não deslumbrar, foi uma boa apresentação da banda. No entanto, eu acrescentaria que “Passing Into Time” é o álbum que melhor faz essa mesma apresentação. Lançado há dois anos, poderá não ser o retrato mais fiel daquilo que a banda é actualmente mas é sem dúvida entusiasmante. Invulgar nas melodias vocais, sem receio de usar o peso e distorção das guitarras. Tem o dom de nos fazer querer ouvir as novas músicas do já citado EP com mais atenção.

8/10
Fernando Ferreira

The Multitude – “The Globalization Trilogy”

2020 – Edição de Autor

The Multitude é uma nova expressão de rock progressivo. Nova por ser algo inesperada e por ir beber a várias fontes. Talvez por se tratar de uma banda que tem origem na Índia (embora actualmente esteja sediada no Reino Unido) e que por isso tem uma forma diferente de sentir o género. Para ser sincero, nestes três temas, encontro muito pouco de rock progressivo mas isso não é problema já que a música em si consegue cativar após a luta interna acerca do rótulo.

7/10 
Fernando Ferreira

Verde Lauro – “Son Animali Al Mondo”

2015/2020 – Edição De Autor

Interessante projecto levado a cabo por Fabrizio Sassi que quis, em 2014, iniciar um projecto que focasse a poesia de Francesco Petrarca. Seis anos depois, está aqui materializada essa paixão, num álbum que nos traz em pouco menos de uma hora uma série de temas, cantados em italiano, de power metal e que junta muitos nomes. Não vou enganar ninguém e dizer que o italiano é uma linguagem que neste contexto ajude a que tenhamos temas marcantes, mas a música em si apresenta o feeling vingente vinte anos atrás, quando o estilo estava mesmo no auge. “Passa La Nave” é um dos bons exemplos positivos da música aqui contida. Não será para todos mas cativará os fãs de power metal com os horizontes mais abertos em relação a ouvir coisas cantadas noutra língua para além do inglês

6.5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.