WOM Reviews – Pure Reason Revolution / Iiah / Ropes Of Night / Robyn Ferguson / Apostle / Reminiscence / Flying Circus / Giöbia

WOM Reviews - Pure Reason Revolution / Iiah / Ropes Of Night / Robyn Ferguson / Apostle / Reminiscence / Flying Circus / Giöbia

Pure Reason Revolution – “Eupnea”

2020 – InsideOut Music

Pure Reason Revolution causou um bom impacto na cena prog, pela forma como cruzaram influências e referências dentro do universo da música movida a sintetizadores e rock progressivo. “Eupnea”, o novo álbum, aprofunda ainda mais essa impressão e traz-nos um álbum que não só é diverso e dinâmico como também consegue ainda não esquecer o peso que surge algumas vezes de forma surpreendente. Sem falar que liricamente acaba por ser bastante sentido – inspirado sobretudo no nascimento de da filha de Jon Courtney. Dez anos de silêncio que não poderiam ter sido quebrados da melhor forma.

9/10
Fernando Ferreira

Iiah – “Terra”

2020 – Bird’s Robe Records

Que enorme álbum que este é! Ao segundo álbum, os Iiah trazem-nos uma viagem fantástica pelo pós rock e pelo ambient music. Aliás, por muito que se tenha dúvidas dos rótulos que nos são fornecidos pelos comunicados de imprensa, pós rock cinemático é sem dúvida o melhor que se enquadra aqui. Apesar de não ser inteiramente instrumental, mesmo quando a voz surge, parece que faz parte do todo, que é apenas mais um elemento, usado como se fosse um instrumento, mais um, para nos trazer mais uma peça do pequeno grande puzzle que estemos diante de nós. Música para nos perdermos nela.

9/10
Fernando Ferreira

Ropes Of Night – “Ropes Of Night”

2020 – Golden Antenna Records

Como já disse algumas vezes, há uma certa aversão no meu ser ao pós punk. E apesar do rótulo de pós rock, que faz todo o sentido, há aquela vibe do som da vanguarda mas que até nos faz ficar fã. Emocionalidade na voz e uma envolvência que faz que se fique preso a estes dois temas. É o primeiro lançamento do que se pode considerar um super grupo e podemos dizer que já conseguiram prender a nossa atenção desde já do início.

8/10
Fernando Ferreira

Robyn Ferguson – “Falling Forward”

2020 – Edição de Autor

A talentosa guitarrista sul-africana Robyn Ferguson regressa com este EP que continua a evidenciar as muitas qualidades técnicas. E também como compositora, porque apesar deste trabalho não adiantar muito para além daquele espectro meio prog, meio shred e meio pós rock (a nível de ambientes), não deixa de estar bem conseguido e de nos conseguir cativar facilmente. E é também uma boa desculpa para ir conferir o álbum anterior.

8/10
Fernando Ferreira

Apostle – “Sky Above Me”

2020 – Progressive Gears

Estamos perante o trabalho de estreia dos irlandeses Apostle, um EP bastante interessante que nos traz cinco temas que vão do rock progressivo mais musculado (e até ligeiramente alternativo) até um feeling mais hard rock FM. Uma mistura que funciona muito bem – ainda que seja esta última parte a que mais sobressai. Uma banda que inicia da melhor forma o seu percurso.

7/10
Fernando Ferreira

Reminiscence – “Tomorrow’s Gone”

2020 – Edição de Autor

Excelente surpresa os Reminiscence, ou melhor, o projecto Reminiscence, one-man band que tem como maestro Ricardo Brito. Sonoridade bastante ampla que tanto encaixa o prog, o pós-rock, o shoegaze e até o ambient. Uma estreia promissora que nos faz crer que estamos perante um nome com capacidade para progredir imenso. Haverá talvez o reparo de se sentir em alguns momentos em que fazia falta um pouco mais de orgânica na música, mais visceralidade (e isto não quer necessariamente dizer mais peso). “Tomorrow’s Gone”, que conta ainda com o talento gráfico de André Coelho (Sektor 304, Profan, entre muitos outros) na capa.

7.5/10 
Fernando Ferreira

Flying Circus – “1968”

2020 – Fastball Music

Estranho. Ainda que familiar. Mas estranho. Passo a explicar. Temos rock progressivo, mas é de tal forma peculiar que deita abaixo por completo as concepções que temos do género. Poderíamos atirar para o ar um nome como Frank Zappa apenas para dar um ar erudito. Não seria justo para a banda nem até para o leitor que seria levado ao engano, mas serve este nome também para dar uma ideia da excentricidade. Alguns momentos são muito bem conseguidos como a curtíssima “Derry” ou a “My Lai”, mas no geral parece-nos tanta coisa junta que acaba por ficar muito pouco. Prova que, às vezes, menos é mesmo mais.

5/10
Fernando Ferreira

Giöbia – “Plasmatic Idol”

2020 – Art Of Propaganda Records

Em muitas passagens me lembrou Pink Floyd, mas acredito que não seja uma das bandas que marcaram as composições de Giöbia. A música de abertura traz uma atmosfera muito interessante, mas no decorrer do trabalho podemos ter uma noção do trabalho, algo moderno e experimental. As músicas são coesas dentro da proposta da banda com influência do eletrônico.

10/10
Carlos Lichman

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.