WOM Reviews – Suidakra / Eluveitie / Wires & Lights / Ravenfield / Lacuna Coil / Nightwish / Ignispace / Julian’s Lullaby

Suidakra – “Echoes Of Yore”

2019 – MDD Records

Gostamos álbuns de covers e nem somos daqueles que não gostam de ver as bandas a fazer covers de si próprios – as chamadas regravações. Ok, temos exemplos em que a coisa é completamente desnecessária pelo resultado final ridículo (Manowar, anyone?) e normalmente as justificações de que é para trazer para os fãs clássicos com o som que merecem não são mais que desculpas esfarrapadas para (na maioria dos casos) ficar com os direitos das músicas já que as edições originais estão embrulhadas em contratos blindados. Bem seja qual for a justificação, “Echoes Of Yore” é uma bela colecção de clássicos dos primeiros cinco álbuns da banda alemã e o resultado é sem dúvida positivo. Mesmo para quem não gosta de regravações.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Wires & Lights – “A Chasm Here And Now”

2019 – Oblivion / SPV

Admito que o som gótico original (aquele que se convencionou chamar de pós-punk) não é das minhas coisas favoritas. Ainda assim, de vez em quando sou surpreendido como foi o caso com este “A Chasm Here And Now”, um trabalhao que vai muito para além do simples cumprir requisitos para encaixar neste ou naquele rótulo. A atmosfera deste trabalho é real, consegue-se sentir, mesmo que de vez em quando tenha um ligeiro travo nostálgico, a fazer-nos lembrar os primórdios da década de oitenta, de trabalhos dos Bauhaus ou Joy Division. Lembrança que não atrapalha a apreciação de temas como “Swimming” ou “Sleepers”. Mesmo em nada.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Eluveitie – “Live At Masters Of Rock”

2019 – Nuclear Blast

Temia-se que os Eluveitie nunca mais se recompusessem após a saída do trio que viria formar os Cellar Darling. Após um “Evocation II – Pantheon” que nos soou como uma tentativa de levar para a coisa mais esforçada do que bem conseguida, seria este ano que essa sombra foi definitivamente afastada com um sólido “Ategnatos” e neste álbum temos a celebração dessa nova fose onde o grosso da atenção vai quase todo para os temas mais recentes, exceptuando pelas incontornáveis canções do passado já ilustre da banda. Em relação a esse ponto, também não se sente uma discrepância muito grande, embora a voz de Fabienne seja algo diferente da de Anna Murphy, mas sendo um álbum ao vivo – e partindo do principio que não se espera uma cópia daquilo que foi feito em estúdio, a prestação da banda, no geral, é bastante satisfatória e este um álbum que recomendamos para quem acha que o habitat natural da banda é em cima do palco.

Nota 8/10
Review por Fernando Ferreira


Ravenfield – “Faith And Fall”

2019 – Edição de Autor

Álbum de estreia dos alemães Ravenfield que apresentam uma sonoridade que anda entre o rock/hard rock e um certo espírito gótico. Refrescante e interessante, estes doze temas até podem passar despercebidos à primeira mas acabam por crescer em pouco tempo dentro do ouvinte. “Second Skin” é um bom exemplo da forma como os temas se infiltram na nossa memória. O único defeito que encontramos é mesmo o facto de ser um trabalho demasiado longo. Seria mais eficaz com menos dois temas, pelo menos. Temos ideia de que sendo um lançamento underground, dificilmente chegará ao alcance da maior parte dos fãs espalhados pela Europa, mas têm categoria para isso e para muito mais. Boa surpresa.

Nota 8.5/10
Review por Fernando Ferreira


Lacuna Coil – “Black Anima”

2019 – Century Media Records

Esta é uma das bandas que todos gostamos ou pelo menos temos algum carinho mas que a cada álbum lançado não deixamos de sentir que não há meio de nos causaram o impacto que causaram no início da sua carreira. Expectativas havia para que este “Black Anima” fosse um regresso a esses bons tempos e o problema com “regressos” é que muitas das vezes são mais desejados do que efectivos. Ainda assim, “Black Anima” consegue fazer com que a banda faça um dois-em-um. Primeiro não se trata de propriamente um “arrepiar carminho” até à fase mais gótica. Por outro há efectivamente mais peso e mais consistência nestes temas do que aquilo que têm feito sucesivamente há mis de uma década. As músicas têm peso, tem consistência, tem sentido. “Sword Of Anger” é um exemplo perfeito neste sentido. Claro que nem tudo é perfeito, mas comparando com o sentimento geral com que os álbuns dos Lacuna Coil nos deixavam o sentimento é bem mais alegre do que aquilo que esperávamos. Se continuarem com esta tendência, o próximo álbum será verdadeiramente explosivo.

Nota 7.5/10
Review por Fernando Ferreira


Nightwish – “Decades: Live In Buenos Aires”

2019 – Nuclear Blast Records

Após o lançamento no ano passado de “Decades (An Archive of Song 1996-2015)” no ano passado, este ano os Nightwish apresentam um álbum ao vivo que resultou da digressão sobre esse best of. É inegável a gestão inteligente da banda finlandesa, onde tenta capitalizar mais um pouco sobre o seu material. Sendo uma banda que regularmente lança álbuns ao vivo, esta não deixa de ser uma solução de impacto decrescente.  De qualquer forma, é algo que acreditamos que os fãs não se vão queixar, aqueles que têm apoiado a banda em todas as fases da sua carreira, já que aqui temos a representação dessas mesmas fases mesmo que o alinhamento seja ligeiramente diferente daquele escolhido para a já referida compilação. Não trás nada de novo mas também não ofende. Pelo contrário. Em relação a Floor, está mais que nunca integrada na banda, mas isso também já não é novidade nenhuma.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Ignispace – “The Inner Source”

2019 – Edição De autor

Que boa estreia por parte dos nossos irmãos brasileiros Ignispace. “The Inner Source” é um álbum que podemos inserir na vertente mais melódica do gothic metal, onde alguns toques de power metal também acabam por dar o seu pezinho de dança – “The Source” é um excelente exemplo. Melodia mas também bons solos e riffs e uma boa voz, carismática o q.b., cortesia da menina Larissa Zambon. Ambicioso mas com argumentos o suficiente spara garantir que essa ambição não é desmedida. Boa estreia, boa banda, esperemos que chegue longe, merece!

Nota 8.5/10
Review por Fernando Ferreira


Julian’s Lullaby – “Prisoner Of Emotions”

2017/2019 – Musica

Há nomes que não lembram o diabo. Perante um como “Julian’s Lullaby”, só nos lembra perguntar… quem raio é o Julian?! Bem, questões inquietantes aparte, este “Prisoner Of Emotions” é o segundo trabalho da banda grega que nos traz uma mistura bem familiar: power metal com metal sinfónico e/ou gótico. Nada de novo, é certo, mas que quando bem feito, tem toda a nossa reverência. E neste caso é o que acontece com uma série de temas que nos embalam sem grande dificuldade. Para quem aprecia sonoridades mais românticas e requintadas segundo a tradição gótica, então este é definitivamente recomendado e obrigatório

Nota 7.5/10
Review por Fernando Ferreira


Support World Of Metal
Become a Patron!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.