WOM Reviews – Victorius / Vision Divine / Moon Reverie / Ancient Knights / Revoltons / Minotaurus / Electric Druids / Dogma Blue

Victorius – “Space Ninjas From Hell”

2020 – Napalm Records

Os Victorius estão de volta para mais álbum e o título já diz tudo: happy euro-power metal que nos faz recuar até ao início da década quando este género estava em franca expansão. Não se pense no entanto que se trata de algo a cheirar a mofo e sem interesse nos dias de hoje. Para quem gosta do ritmo frenético da banda (que continua a fazer lembrar os melhores momentos dos Dragonforce), tem aqui um excelente álbum que recomendamos. Até o comunicado de imprensa é hilariante de tão estapafúrdio que é. Certas coisas não são para ser levadas a sério, mas o som, esse, é coisa séria mesmo.

Nota 9/10
Review por Fernando Ferreira


Vision Divine – “When All Heroes Are Dead”

2019 – Scarlet Records

Vision Divine é o projecto de Power/ Progressive Metal, nasceu na Itália em 1998 criado originalmente por Olaf Thorsen (guitarrista e compositor). Sou um pouco suspeita para falar de Vision Divine sendo realmente das minhas bandas de eleição. No início contaram com a colaboração do vocalista italiano Fabio Lione. Os seus primeiros álbuns são bons, mas o auge da sua careira foi em 2005 com a entrada do vocalista e compositor Michele Luppi, e o êxito do álbum “Stream Of Consciousness”, bem concebido em todas as formas, arranjos vocais fantásticos, as letras narram a emocionante /agonizante saga de um homem em conflito com a sua própria consciência, na busca de Deus e de respostas que atenuassem o seu sofrimento, os álbuns seguintes são igualmente bons. A banda entra numa fase menos produtiva quando este mesmo vocalista sai da banda, para voltar a dar lugar a Fabio Lione, que na minha opinião apesar de ser um excelente vocalista não funciona nos Vision Divine. No final de 2019 (já com poucos elementos da formação original) e com novo vocalista Ivan Giannini que deu um sofro de vida a banda, o novo álbum “ When All The Hereos are Dead”, extremamente melódico, com arranjos orquestrais, o vocalista interpreta perfeitamente o conceito da banda, voz limpa e aguda, solos extensos que fazem contraste com teclados harmonioso. Podemos contar com os temas “26th Machine” e “Angel of Revenge” num registo bem dinâmico, com uma boa composição instrumental e vocal. Recomendo a fãs de Dream Theater, Vanden Plas e Ayreon.

Nota 9/10
Review por Nídia Almeida


Ancient Knights – “Camelot”

2020 – Diamonds Prod.

Ancient Knights são uma nova banda italiana de Heavy Power Metal sinfónico, com elementos do neoclássico, ao que chamamos a este tipo de construção musical de “Metal Opera” tal com as mais conhecidas com Avantasia, Soulspell e Aina conta com um vasto leque de personalidades entre eles Fabio Lione, Elisa Martin e Roberto Tirante (entre outros). A banda formou-se em 2018,com Andrea Atzori, Marcel Knight e Matt Siddi. Neste ano de 2020 presenteam-nos com seu novo trabalho “Camelot” (N.E. que se trata de uma reedição do álbum lançado originalmente no final de 2019) que tal como o nome indica narra as aventuras lendárias do primeiro rei dos Ingleses (Rei Artur).Na minha modesta opinião tema já demasiado batido por bandas do estilo, seria mais interessante falarem da tão rica historia Italiana. Instrumentalmente bem concebido, com bons arranjos orquestrais, um bom trabalho de teclas e guitarra mas pouco speed na bateria. Inclui narrações épicas e sem duvida excelentes arranjos vocais que dão alma a este projecto. Podemos contar com o single “Secret Castle of Love” ou temas como “ Camelot” e “ The Usurper” num registo alegre e melódico qual com é de esperar neste estilo musical. Gostei especialmente da balada “Forever”; e do tema “Prophecy of the Magic Kingdom” já num registo um pouco mais dinâmico. Dentro do panorama do Heavy Power Metal e mesmo da “Metal Opera” não trás assim nada de muito original a acrescentar ao conceito, mas é um bom álbum e sem dúvida que será do agrado dos fãs de Rhapsody of fire e Dark Moor.

Nota 8/10
Review por Nídia Almeida


Moon Reverie – “Moon Reverie ”

2019 – Rockshots Records

Depois de assinar um novo contrato os neoclássicos Moon Reverie fazem a sua estreia com este disco. É um álbum interessante com bons momentos de audição muito influenciado pela cena melódica dos anos 80, misturadas com toneladas de música clássica e barroca, onde se sente o esforço de Luca Poma, guitarrista e líder, que foi o guitarrista em turné de artistas internacionais como Uli Jon Roth, Kee Marcello, Vinnie Moore, T.M. Stevens, Graham Oliver e muitos outros, para colocar em prática as suas ideias.

Nota 7.5/10
Review por Miguel Correia


Revoltons – “Underwater Bells Pt.2: October 9th 1963 Act.I”

2020 – Sleaszy Rider Records

Oito anos de ausência quebrados pelo o que parece ser um álbum conceptual. O heavy/power metal da banda italiana não sofreu com o tempo e est trabalho é mesmo poderoso, pelo menos a nível de som. Musculado q.b., mas que não dispensa a melodia e alguns momentos mais calmos para criar uma maior dinâmica, algo que é atingido. Apesar de notarmos que estão algo mais directos, com temas de duração média (apenas o épico “Grandmasters of Death” ascende è marca dos dez minutos, tema que nos soa ter a participação de Blaze Bailey), não podemos dizer que seja um trabalho imediato. Ainda assim temos alguns momentos que nos ficam imediatamente marcados na memória como a marcante “Criminal Organism”. Bom regresso.

Nota 7.5/10
Review por Fernando Ferreira


Minotaurus – “Victims Of the Underworld”

2019 – Limb Music

Minotaurus são uma banda Alemã, a sua formação deu-se em 1994 e rapidamente se diferenciaram no panorama da música Folk; Classificam-se como Ancient Folk Metal, nos álbuns iniciais a banda dedicava-se mais a música Folk, ao longo dos anos foram evoluindo e fundindo os dois conceitos (Metal e Folk). No final do ano de 2019 lançaram o seu novo álbum “Victims Of The  Underworld”. A voz limpa alternada entre um vocalista masculino e uma cantora lírica (na minha opinião é demasiado “fofinho” duas vozes limpas), instrumentalmente falando é profundamente melódico e bem concebido, solos longos com sons orquestrais. Destacam-se os temas “Victims Of The Underworld” e “ Thor I´m ASking  You” com riffs mais pesados em sintonia com a melodia, as letras narram-nos sagas mitológicas misturando a mitologia Grega com a Nórdica; uma banda que vai agradar com certeza aos apreciadores de Folk, ao que recomendo vivamente as fãs de Elvenking e Dalriada.

Nota 7/10
Review por Nídia Almeida


Electric Druids – “Ubernicht”

2019 – Edição de Autor

Bem, que grande surpresa. Os Electric Druids são britânicos mas mudaram-se para o Canadá, onde prosseguem ao seu amor pelo rock pesado. Cru mas cheio de feeling, este pequeno EP transparece um gosto pelas jams e dá-nos a ideia (podemos estar errados) que eles gostam de tocar e improvisar, sendo aí que vão gostar de inspiração. Seja ou não verdade, estes temas são bem orgânicos e longe daquilo que se faz actualmente. O vintage neste caso cai muito bem, principalmente no inspirado tema-título que abre o EP. Esperemos que este EP seja um chamariz para uma actividade mais prolongada.

Nota 7/10
Review por Fernando Ferreira


Dogma Blue – “Quietus“

2019 – Edição de Autor

Este EP “Quietus” foi o nosso primeiro contacto com os Dogma Blue. Sonoridade forte e crua, a fazer lembrar a abordagem dos Motörhead, algures entre o hard’n’heavy e o punk. Cinco temas com a promessa de termos em breve o álbum. Os temas são de boa qualidade, mesmo que nem sempre consigam nos cativar por completo (como a mais épica “No Garden”). Instrumentalmente sólidos (bons solos), coração no sítio certo (no rock/metal), esperemos pelo álbum para ver o que surge daqui.

Nota 7/10
Review por Fernando Ferreira


Support World Of Metal
Become a Patron!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.