WOM Reviews – Wayward / Oz / Dead Superstar / Lykantropi / Hellride / Slin’s Stassenkoeter / Black Devil Lies / Serpent Lord

WOM Reviews - Wayward / Oz / Dead Superstar / Lykantropi / Hellride / Slin’s Stassenkoeter / Black Devil Lies / Serpent Lord

Wayward – “Wayward”

2020 – This Charming Man Records

Quatro rapazes de Leipzig, na Alemanha (dois dos quais também fazem parte dos Deathrite), fundaram uma nova banda chamada Wayward! Com o intuito de tocar rock’n’roll, daquele sujo, rasgado, pesado e com o cunho sagrado do estilo Motörhead, os Wayward abrem alas pela multidão que os espera avidamente com o peso de “Midnight Blood”, tema que abre as hostilidades e que nos dá a reconhecer instantaneamente o seu amor pelo hard rock e pela NWOBHM. É, assim, um disco forte nesse sentido debitando riffs sem pudores, sem grande variedade para os nossos ouvidos, mas sem dúvida alguma do melhor que ouvi neste punhado que tinha para review.

10/10
Miguel Correia

Oz – “Forced Commandments”

2020 – Massacre Records

Não tinha bem ideia do que esperar deste novo álbum dos Oz, o primeiro que ouço desde o mítico “Fire In The Brain”. Posso dizer que fiquei agradavelmente surprendido. Apesar de ser um álbum que talvez seja longo demais – quase uma hora de duração – há por aqui muitas músicas que se salientam. A vibe é old school mas que não cheira nem soa a velho. Várias dinâmicas que vão das mais metálicas (principalmente no trabalho de guitarra) até às mais roqueiras. Com alguns cortes nalgumas músicas, poderíamos ter álbum mais sólido mas ainda assim, não deixa de ser uma boa resposta para aqueles que tinham dúvidas em relação a esta segunda encarnação da banda.

8/10
Fernando Ferreira

Dead Superstar – “I Did It For The Rock Of Gods”

2020 – Edição de Autor

Bem “Pompei Come Burning Down” é uma intro do tipo, encosta aí que já vais ver o que te espera, a escolha é dada, mas fica sempre a sensação de que seja ela qual for, tens de ficar de pé atrás. A coisa passa à fase seguinte e “Beware Of The Knife” é a escolha e é um sério aviso de que algo poderá mesmo vir a acontecer.

“I Did It For The Rock Of Gods” é um disco inspirado cheio de musicalidade rockeira, mas nada de deslumbrar, porque apesar de nos proporcionar alguns bons momentos, a intenção inicial acaba por não se confirmar e a coisa cai sem prender.

7.5/10
Miguel Correia

Lykantropi – “Spirituosa”

2019/2020 – Despotz Records

Reedição do segundo álbum dos suecos que nos trazem aquele rock bem vintage, típico da década de setenta. Temos aqui um pedaço de história sem o ser realmente. Como se os Jethru Tull se tivessem juntado aos Coven para trazer música de classe superior. “Spirituosa” é um álbum onde conseguimos encontrar uma evolução pela continuidade e que conseguirá agradar a todos os fãs das ditas bandas. Ou então de “Heritage” dos Opeth. Ou seja, alguém com uns gostos muito definidos, havendo pouca possibilidade para quem goste de algo fora deste nicho.

7/10
Fernando Ferreira

Hellride – “Goodbyes To Forever”

2020 – Fastball Music

Diz o press release que os Hellride são os pioneiros do acoustic metal, daquelas ideias que muitos já tiveram mas que muitos nunca pensaram levar a sério. A coisa até resulta bem, tenho que confessar mas poderia muito bem ser explorada num outro formato mais… tradicional, mas se assim fosse, se calhar também se tornaria banal. Bons temas e também uma boa cover de “Young Turks” de Rod Stewart. É engraçado e é um bom disco de despedida (consta que a banda vai entrar em hiato indefinido), mas pouco mais que isso.

6.5/10
Fernando Ferreira

Slin’s Stassenkoeter – “Ohne Heimat!”

2020 – Fastball Music

Esta coisa do acústico está mesmo a pegar moda. Embora os Slin’s Stassenkoeter não sejam sempre acústicos. De southern rock ao country, rockabilly e hard rock, há de tudo aqui. E cantado em alemão, algo que até poderemos não encontrar sentido – já que são géneros que não nos causam uma identificação imediata com a língua em questão. Seja como for, é divertido, é descomprometido e agradável para dar umas rodagens. Mais não precisamos.

7/10 
Fernando Ferreira

Black Devil Lies – “Demonhead”

2019 / 2020 – Fastball Music

O segundo álbum dos Demonhead, lançado no ano passado em forma de edição de autor, é este ano repescado pela Fastball Music. É algo cada vez mais comum na indústria músical, onde vemos as bandas a lançarem os seus trabalhos de forma independente e depois a conseguir atrair a atenção por parte das editoras. Uma aposta que se verifica logo ser ganha pelo heavy mtal energético com que apresenta. A sonoridade a lembrar alguns dos lançamentos de meados da década de noventa, onde uma produção cheia era algo imprescindível. Bons temas, raçudos, por parte de uma banda que tem muito a dar.

8/10
Fernando Ferreira

Serpent Lord – “Horned God”

2019 – Edição de Autor

Os Serpent Lord já nos tinham chamado à atenção com o álbum de estreia de 2018, “Towards The Damned” e no final do ano passado voltaram com este single que nos traz uma nova música “Horned God”, que só nos faz pensar que está aqui um dos grandes valores da cena grega de heavy metal tradicional. Como se não bastasse, ainda temos uma cover dos Death, “Sacred Serenity” que resulta na perfeição. Aliás, até nos faz pensar que era mesmo o que Chuck Schuldiner pretendia para o seu futuro, com os Control Denied. Fantástico.

9/10
Fernando Ferreira

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: