Masters Of The Universe Review

Quando vi este filme pela primeira vez, já não estava dentro da febre He-Man mas apesar disso gostei do filme e apesar de me lembrar de várias lacunas e ausências de personagens. Os anos foram passando e quando dei por mim já passaram mais de 15 anos. Foi crescendo uma vontade de rever o filme e não podia ter feito coisa pior… eu tinha uma imagem mais ou menos positiva do filme, dos seus efeitos especiais e por ser um dos primeiros filmes do Dolph Lundgren. 
Bem, não sei por onde começar. Talvez pelo início. Assim que vi o nome do estúdio, a Golan Globus Company, assustei-me (Golan Globus foi a responsável por quase todos os filmes de Chuck Norris, Ninjas Americanos e outros de qualidade ainda mais duvidosa nos anos 80). Quando vi os efeitos especiais tive vontade de me esconder. E o argumento… Meu Deus… como é possível um filme ter pior argumento do que desenhos animados para crianças? E as personagens, parece que tem a mentalidade das crianças alvo dos desenhos animados, principalmente os polícias. 
A única surpresa agradável que tive foi de descobrir que a Courtney Cox (Gritos) também entra. Vejam se tem coragem para isso, eu tive e a minha vida não foi a mesma, o que restava da minha inocência pereceu ás mãos Skeletor. Faz-me lembrar aqueles e-mails que andavam a circular por aí das gaffes de alunos brasileiros em que perante a pergunta de biologia”Qual o objectivo do esqueleto?” o aluno respondeu “Conquistar o castelo de Grayskull”. E sim, apesar de isto ser algo tipico de uma criança obviamente com problemas, é sem dúvida a melhor parte do filme. Que não faz parte do mesmo. Um filme dos desenhos animados mas que tem muito pouco dos mesmos.
Nota 2/10

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.