Riddick Review

Quando já nos tínhamos esquecido que Riddick existia e que o Vin Diesel fazia outros filmes para além de Velocidade Furiosa, eis que surge a inesperada terceira parte da saga. E não é a última, podemos já dizer isto. Como tínhamos este nível de expectativas (ou seja nenhuma) seria de esperar que seríamos agradavelmente surpreendidos. 
Quase.
Poderia realmente ser algo surpreendente, já que muita coisa ficou em aberto e o início deste filme pega numa reviravolta que leva a que Riddick fique isolado num planeta, traído pelo povo que tinha ficado como soberano. Talvez a expectativa gerada que Riddick se iria escapar e reverter a situação seja culpa nossa, no entanto, aquilo que acontece é algo que vai se aproximar com o espírito do primeiro filme, Pitch Black.
Passamos o filme todo na esperança que Riddick saia do raio do planeta e que a saga chegue ao final só mesmo no final é que nos aparecebemos que a grande resolução fica adiada para um quarto filme. Comparando com os outros capítulos, o que temos aqui é mais modesto que o segundo (que era ambicioso demais) mas comete os mesmos erros em relação à personagem que nalgumas vezes parece sobrehumano, noutras parece uma pessoa normal. Entretem mas o final é frustrante e como capítulo de transição, não resulta lá muito bem
Nota 5.5/10

Support World Of Metal


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.