WOM Reviews – Aborted / Twitch Of The Death Nerve / Drakh / Cadaver / Withering Surface / Inhuman / Anaxagor / Re-Armed

WOM Reviews - Aborted / Twitch Of The Death Nerve / Drakh / Cadaver / Withering Surface / Inhuman / Anaxagor / Re-Armed

Aborted – “La Grande Masquerade”

2020 – Century Media Records

É pouco, eu sei. Três temas apenas, em pouco mais de dez minutos. Não chega para matar a fome que já começava a ser muita desde “Terrorvision”, mas são três bombas de death metal bruto que até dá gosto ouvir e voltar ouvir. Parece-nos que estão mais grandiosos, mais bombásticos e mortíferos. Se vier nessta onda, o próximo álbum será um bulldozer para deitar abaixo um prédio!

9/10
Fernando Ferreira

Twitch Of The Death Nerve – “A Resting Place For The Wrathful”

2020 – Comatose Music

O impacto que os Twitch Of The death Nerve teve na sua actuação do Xxxapada Na Tromba ainda ecoa dentro de nós até ao dia de hoje. Este segundo álbum era portanto bastante aguardardo e era exactamente o que se esperava. Death metal bruto dos queixos que castiga o cabedal com prazer, tanto quanto provoca nos nossos ouvidos. Em pouco menos de meia hora, a banda britânica traz-nos mais oito bujardas que foram feitas para ser tocadas em cima de um palco. Violência sónica unidimensional mas que nos é apresentada com classe. E com muitas rodagens em cima, é bom sentir que aguenta com mais umas voltas sem enjoar. Claro que o requisito para ser fã da brutalidade é inevitável, e para esses, há por aqui um prato cheio de coisas boas.

8.5/10
Fernando Ferreira

Drakh – “Volcano One”

2020 – Edição de Autor

Duo nacional que nos traz death metal dinâmico e moderno. Os Drakh quase que poderiam ser uma one-man band se António Couto também cantasse, pelo que este é um projecto que em príncipio estará confinado ao espaço de estúdio. O que é pena já que as músicas que temos aqui são bem poderosas e poderiam ter um bom impacto em cima dos palcos. Inteligente uso das vocalizações que, a par das harmonias, nos faz pensar neste trabalho como death metal melódico. Uma excelente surpresa que esperemos que vá dar em álbum em breve.

9/10
Fernando Ferreira

Cadaver – “D.G.A.F.”

2020 – Nuclear Blast

Alguém se lembra dos Cadaver Inc. que causaram alguma sensação quase vinte anos atrás? Normalmente é sempre o ponto de referência quando falamos dos Cadaver. Bem muita coisa já aconteceu desde então e os próprios Cadaver (e os Cadaver Inc) já acaram uma porrada de vezes. Voltaram em 2010 e para além do single “Circle Of Morbidity” este é o regresso mais consistente da banda que mostra ter uma veia death metal bastante acentuada e bem vinda. Actualmente um duo (composto por Dirk Verbeuren e por Neddo) e mais acutilantes que nunca, estes três temas são muito bem recebidos. De salientar a participação de Jeff Walker (Carcass) no tema título.

8.5/10
Matias Melim

Withering Surface – “Meet Your Maker”

2020 – Mighty Music

O death metal melódico nórdico, que marcou pontos nos anos 90 e nos deixou nomes como os In Flames e os Dark Tranquility, tem cartaz reforçado com o novo trabalho dos dinamarqueses Withering Surface. Em tempos de pandemia, um título destes deixa-nos a pensar duas vezes no que andamos aqui a fazer, mas também nos deixa a certeza de que o melhor ainda está para vir, mas descansem que a coisa por aqui vai rolar com certezas e sem a insegurança dos tempos que todos vivemos e se esta é a forma de chegarmos ao Criador, ok, tranquilo, a coisa tem tudo para correr bem! Com data prevista de lançamento para o mês de junho, este novo trabalho, tem todos os elementos característicos do género, é para levar em consideração e vai marcar a sua posição na cena…de forma fácil!

9/10
Miguel Correia

Inhuman – “Unseen Dead”

2020 – Grimm Distribution

Death metal com eles no sítio. “Lords Of The Beasts” é uma intro – dois minutos, instrumental – mas desde cedo separa os meninos dos homens, com uma violência metálica que até dá gosto. E essa é a toda ao longo de todo o álbum, uma brutalidade sem fim à boa maneira do death metal. Isto não implica que seja uma proposta que seja old school. Talvez ali por volta do início do século, quando o género estava a apostado em ser cada vez mais violento e técnico. A parte boa é que o groove nunca fica esquecido e este é um trabalho que apesar de unidimensional, consegue manter o interesse do ouvinte sempre em alta.

9/10 
Fernando Ferreira

Anaxagor – “Anaxagor”

2020 – Great Dane Records

Estreia discográfica dos franceses que nos é apresentada pela editora de referência no que diz respeito ao underground francês, a Great Dane Records. Death/thrash metal com bom gosto nos leads e nos solos, ainda que se apresente um bocado ainda em bruto – isto é, a precisar de lapidar o diamante. Algo que não é de todo inesperado tendo em conta que se trata do primeiro álbum. Temos entusiasmo e um som que não deslumbrando, cumpre a sua função – talvez este seja sem dúvida um ponto a rever num próximo trabalho. Entusiasmo metálico por uma banda que dá os seus primeiros passos, mostrando que está no bom caminho.

8/10
Fernando Ferreira

Re-Armed – “Ignis Aeternum”

2020 – Black Lion Records

Moderno mas bruto. Sempre que se fala que temos algo moderno, fica-se sempre com o pé atrás de podermos encontrar algo que segue as mais recentes tendências – algo que nem sempre é o que se procura. Apesar do som moderno – que faz parte da essência da banda, não deixamos de encontrar canções onde esses elementos (malditos) se unem ao peso metálico e melodia para trazer death metal melódico de grande qualidade. É um álbum que é fácil nos apaixonarmos por ele, aliás, algo que já é apanágio da banda diga-se de passagem. A boa e velha melodia finlandesa, daquele timbre que já consideramos inconfundível. Apesar de um ou outro exagero nos arranjos electrónicos, é um álbum recomendado.

8/10
Fernando Ferreira

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: