fbpx

WOM Reviews – Additional Time / The Dropkick Murphys / White City Graves / Rogue State

WOM Reviews - Additional Time / The Dropkick Murphys / White City Graves / Rogue State

Additional Time – “Dead End”

2021 – Dead Serious Recordings

Porrada hardcore. É o que o mundo precisa para andar para a frente. Quando se está a ficar demasiado apático, porrada hardcore. Quando a estupidez natural está a apertar, porrada hardcore. A dobrar. Principalmente se for como esta que está aqui contida neste álbum dos Additional Time. Um nome que tenho que confessar que desconhecia mas que fiquei bastante fã depois de levar com este enxerto de pancadaria sonora do início ao fim. Onde é especialmente útil o peso metálico que as guitarras têm. Um pesso e um groove que é bastante útil para captar para quem gosta de sentir esta parede de distorção. “Dead End” é hardcore metalizado (porque não chamar este o verdadeiro metalcore) que empolga e contagia. Em cima do palco então deve ser espalhar aquele caos que se gosta, principalmente no pit.

9/10
Fernando Ferreira

The Dropkick Murphys – “Turn Up That Dial”

2021 – Born & Bred

Sendo um apaixonado por tudo o que é folk, e grande fã da melodia do punk, já seria de esperar que o décimo álbum dos The Dropikick Murphys fosse um daqueles que chegasse com grande expectativa e que pouco tempo depois da sua digestão (que diga-se de passagem que também foi curta) fica automaticamente instalado. É o tom festivo, é o feeling celta e depois junta-se o espírito do street punk, dos cânticos de rua e do cheiro a cerveja a voar um pouco por todo o lado. O que é que “Turn Up That Dial” traz de novo em relação a todos os outros álbuns anteriores? Nada? Sim, nada, até na qualidade dos temas. Temos festa a rodos e termina em alta com uma sentida homenagem ao pai de Al Barr, o vocalista da banda. Se 2021 foi uma desilusão perante o desastre de 2020, este álbum representa que por vezes o melhor é fazer o melhor que podemos com um sorriso nos lábios. Depois de ouvir este álbum nem que seja uma vez, garantimos que esse sorriso será inevitável.

9/10
Fernando Ferreira

White City Graves – “One Of Us”

2021 – Edição de Autor

Uma das coisas mais comuns de ouvir sobre a música moderna é como a mesma é toda igual. As produções, as fórmulas, as compressões, soa tudo ao mesmo. E dentro desta realidade, felizmente não universal, encontramos pequenas excepções à regras. Ou parciais excepções. Isto porque os canadianos The Design Abstract não fogem às tais fórmulas do metal moderno, no entanto também não estão a fazer o mesmo que todos. Temos, tal como indica o comunicado de imprensa, death metal melódico, mas depois temos arranjos de teclados vistosos revestidos de uma camada electrónica, o que resulta na prática numa identidade próxima do metalcore mas ainda assim diferente o suficiente para que não seja metido no mesmo saco. Não será algo que nos marcará a vida, mas sem dúvida que é uma abordagem interessante a desenvolver.

7/10
Fernando Ferreira

Rogue State – “The Law Never Apologizes”

2021 – Planet K

Mistura interessante desta banda italiana. Parece que nos chegam das profundezas do punk/hardcore e lhe juntam uma sonoridade mais metálica que resulta muito bem. A leiu nunca pede desculpa enquanto carrega no desgraçado assim como os Rogue State não pedem desculpa pela violência que despejam em cima de nós. Violência essa que é mais dinâmica do que à partida parece. A produção é crua e ajuda a manter o traço underground por cima, além até de dar um toque retro, mas estamos perante uma proposta sofisticada que supreende pelo seu alcance. Não será imediato para qualquer um dos públicos que pretende focar, mas com alguma insistência até deixamos de exigir que nos peçam desculpa.

8/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.