WOM Reviews – Domjord / Japanische Kampfhörspiele / SUAD / Vermineux / Black Tarpoon / Sataray / Zania Morgan / Unalei / Resist2

WOM Reviews - Domjord / Japanische Kampfhörspiele / SUAD / Vermineux / Black Tarpoon / Sataray / Zania Morgan / Unalei / Resist2

Domjord – “Gravrost”

2020 – Vidfare Productions

Minimalismo electrónico. Poderá não parecer muito atractivo aos ouvidos mais duros e habituados a castigos metálicos mas sem dúvida que é algo que vai saber que nem gingas para quem gosta de viajar na maionese. Imaginem a banda sonora do “Tron Legacy” pelo Daft Punk e agora imaginem algo mais negro, não tão oitentas mas ainda com um leve aroma a tal. Esta poderia muito bem ser uma banda sonora para algo assim mas mesmo sem imagens, sobrevive muito bem, porque um dos seus poderes é exactamente de criar essas mesmas imagens. Diz D. Rósten, o cérebro musical por trás deste projecto que queria criar uma viagem mística cheia de desespero existencialismo e miséria apocalíptica (ou algo parecido com isto). Conseguiu na perfeição mas ao contrário de obras neste género, consegue-se revisitar sem grande esforço. Não é perfeito mas é surpreendentemente bom.

8/10
Fernando Ferreira

Japanische Kampfhörspiele – “Neues Aus Dem Halluzinogozän”

2020 – Bastardized Rec.

Esta é uma banda lendária que conheci desde os tempos de trocas da Dungeons Records. Um poço de boa música extrema que nunca diz que não a uma boa experimentação sónica, que vais desde ritmos marados até à inclusão de passagens que parece que não têm nada a ver com nada. Já há bastante tempo  que não sabia nada deles, mas este álbum puxou-me logo pela curiosidade. A componente de crítica social continua bem presente – o título irónico que significa em português algo como “notícias dos alucinogénicos” e encaixa muito bem na capa – mas é a sonoridade alucinada que conquista. Sendo curto (meia hora), é o facto de todas as faixas estarem seguidas como se fosse apenas uma faixa que faz a diferença. Uma faixa que é uma verdadeira viagem numa montanha russa por entre riffs com groove, matemáticos por vezes e interrompidos por estranhos apontamentos electrónicos. O grindcore não abunda tanto como tempos atrás mas sem dúvida que o que ficou é igualmente interessante.

8/10
Fernando Ferreira

SUAD – “Waves”

2021 – Svart Records

Apesar de ser claramente alternativo, há um feeling pop por esta estreia discográfica. Pop. Porque não? Não é a primeira vez que nos surge algo do género. No entanto, é importante salientar é que este é um pop old school, longe da esterilidade que nos surge na música contemporânea. Também é igualmente importante salientar que tem muitos elementos que vemos por vezes em música de cantautores ou até em folk. É essa multiplicidade de estilos e sensações que acaba por ser o fio condutor de “Waves”. Uma boa viagem e um bom início discográfico. Parece-me que isto que está aqui é apenas o começo de alguém que tem muito para dar. O futuro dirá.

8/10
Fernando Ferreira

Vermineux – “1337”

2021 – Purity Through Fire

O logo deste projecto é provavelmente um dos piores de sempre do black metal, ainda que seja um black metal mais ambient do que outra coisa qualquer. Projecto solitário por parte de Spectre, esta é a segunda demo que dita depois da estreia em 2018 e é estranhamente eficaz. Por esta altura já deveria estar imune a dungeon synth mas ainda há espaço para ser surpeendido. Talvez porque Verminewu não seja uma verdadeira proposta de dungeon synth embora esteticamente se aproxime muito disso. A vertente do black metal está bem intacta, ainda que numa vertente lo-fi que poderá afastar alguns fãs. Acho que resulta perfeitamente para fazer com que o trabalho ganhe ainda mais charme. Recomendo, mesmo para aqueles que se possam impressionar pelos pontos menos atractivos mencionados atrás.

7.5/10
Fernando Ferreira

Black Tarpoon – “The Thad EP”

2021 – Edição de Autor

O ritmo inicial fez-me lembrar muito Of Monsters And Men, mas a voz de Jesse James e Oatmeal Reed dão uma tonalidade mais country – algo que se encaixa, se formos a ver bem, na parte músical. Bom ritmo, meio alegre, meio tom de cantautor introspectivo que fazem com que este curto EP de apenas três temas seja bom para limpar os ouvidos de coisas mais extremas. E poderá surpreender na forma que se torna viciante – a “He Sleeps With The Fishes“ está uma das coisas mais catchy que ouvi agora em 2021,

7.5/10
Fernando Ferreira

Sataray / Zania Morgan – “Argyropoeia”

2021 – Edição de Autor

Assombroso. Será o termo que ocorrerá a quem quer que seja que ouça este trabalho. A componente ambient implica sempre uma criação de uma certa atmosfera, mas neste caso e em ambos os casos destes projectos one-woman band, há um contorno bem negro e até perturbador. Sataray começa com três temas que têm uma forte componente hipnótica – hipnose de terror já que o desconforto que transmite torna impossível de relaxar – e que impressionam pela sua eficácia. A voz é usada como um instrumento que reforça essa mesma tensão, como se fosse um espectro a lamentar-se/uivar. Já Zania Morgan, apesar de seguir mais ou menos as mesma fórmula, o facto de usar um som de orgão mais distinto e creepy – a lembrar as séries/filmes de terror da década de sessenta – e a voz mais interventiva (e de forma mais pronunciada na declamação), faz com que os níveis de intensidade ainda sejam mais aumentados. Pessoalmente prefiro a abordagem de Sataray mas são duas facetas que combinam bem e que fazem sentido neste split. Para os amantes de ambient e darkwave mais ritualista.

7/10 
Fernando Ferreira

Unalei - “Galatea”

2020 – Edição de Autor

Deliciso folk sinfónico, não sei se é algo que existe mas se não existia antes, agora já existe. Este projecto de Karim Federico é tão rico musicalmente que se torna complicado tentar definir ao certo. A vertente folk é óbvia mas depois há uma suavidade nas guitarras e no piano que contrasta com alguns arranjos orquestrais mais majestosos. O facto de ser cantado em diversas linguagens (a saber, espanhol, italiano, russo e inglês) poderá causar alguma estranheza mas é algo que soa muito bem. Talvez seja um disco que exija um mood específico pela tua peculiaridade para ser apreciado na sua plenitude, mas não deixa de ter qualidade.

7/10
Fernando Ferreira

Resist2 – “Resist2”

2021 – Edição de Autor 

Primeiro EP deste projecto lusitano de música experimental que junta algum peso ao industral. Trata-se de uma sonoridade caseira e com algumas limitações mas isso não impede que existam boas ideias já materializadas. Falta ainda um longo caminha a percorrer e algum refinar na execução, a começar pela voz que soa muitas vezes deslocada – tanto a nível de volume como a nível da própria entrega – e a acabar nos teclados que falham em criar um ambiente memorável. Tudo questões que poderão ser resolvidas conforme se for andando, com o ganhar de experiência. Sendo um trabalho embrionário, deixa-se o apelo para continuar a lutar pelo que se pretende.

4/10
Fernando Ferreira

2 thoughts on “WOM Reviews – Domjord / Japanische Kampfhörspiele / SUAD / Vermineux / Black Tarpoon / Sataray / Zania Morgan / Unalei / Resist2

Responder a Fernando Ferreira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.