WOM Reviews – Fight The Fight / Within Ceres / Shut It Down / Counterparts / Lacittàdolente / South Of No North / Steps Of Odessa

WOM Reviews - Fight The Fight / Within Ceres / Shut It Down / Counterparts / Lacittàdolente / South Of No North / Steps Of Odessa

Fight The Fight” – “Deliverance”

2020 – Indie Recordings

Esta será talvez a forma mais polémica de começar uma review e até estranha para quem nos conhece mas… tenho que dizer que este álbum matou-nos as saudades do nu metal. Não que seja uma banda taxativa de nu metal (até que se calhar faz mais sentido encaixá-los no metalcore) ou mesmo que nós tivessemos um vazio no ser devido à falta de nu metal. No entanto, ao ouvir temas como “Calling You Back” e “Pitbull” fica-se com aquela nostalgia. Bons riffs e boas vocalizações daquelas que nos ficam registadas no cérebro. Sem dúvida que para os Fight The Fight este será um álbum importante. Tem aquela aura especial.

8.5/10
Fernando Ferreira

Within Ceres – “Skyless”

2020 – Edição De Autor

Melodia, ritmos fortes, produção cheia e moderna. Muitos destes parâmetros provocam alergias para quem gosta de coisas mais tradicionais. De certa forma até se consegue perceber, já que quando a oferta é muita, há aquilo que se chama de saturação de mercado. Ainda assim, quando há algo que se movendo nesse campo saturado consegue chamar a atenção, é sempre digno de nota. Neste caso são os Within Ceres que apesar de serem até um bocado genéricos na forma como exploram o metal moderno, indo tanto ao death metal como ao metalcore, conseguem fazer-nos ouvir este seu EP com gosto. E mais importante, voltá-lo a ouvir novamente.

8/10
Fernando Ferreira

V/A – “Shut It Down – For The Movement For Black Lives”

2020 – Edição de Autor

Esta é uma enorme compilação enorme (mais de quarenta e seis bandas/temas) que visa recolhr fundos, como o próprio título indica, para o movimento que suporta a luta contra o racismo e ao abuso das forças policiais nos E.U.A.. E apesar do grande grosso dessas mesmas bandas/temas ser de punk/hardcore, há por aqui muitos mais géneros e entidades. Algo dentro do experimental, noise e drone, com bandas como Thou, Amygdala e Sun O))). Música agressiva para uma situação que parece não ter qualquer tipo de solução – mas que isso não seja razão para parar de lutar contra ela. Disponível por dez dólares no bandcamp.

8/10
Fernando Ferreira

Counterparts – “Nothing Left To Love – B Sides”

2020 – Pure Noise Records

O título diz tudo. Este EP reúne dois dos lados B do álbum “Nothing Left To Love”, sexto álbum de originais dos Counterparts. Depois do EP “Private Room”, a banda achou por bem libertar para o mundo mais estes dois temas que foram compostos quando a banda estava a gravar o dito álbum mas que acabou por não entrar no álbum. Não terá sido pela qualidade já que os mesmos são furiosos e emocionais como tudo o que a banda faz, mas provavelmente a banda terá alguma razão já que eles funcionam bem aqui do que se tivessem sido lançados.

7.5/10
Fernando Ferreira

Lacittàdolente – “Salespeople”

2020 – Trepanation Records / Violence In The Veins / Fresh Outbreak Records / Hidden Beauty Records / Mother Ship / Shove Records / Toten Schwan Records

Este é o trabalho de estreia dos Lacittàdolente, um álbuim que sem dúvida fará aqueles que gostam de mathcore espásmico e caótico sentirem que estão mesmo em casa. Este género musical sempre me foi desafiante, principalmente pela exigência que põe em cima do ouvinte. Por outro lado, o facto de trazer também muita raiva é algo que faz com que a balança fique equilibrada. Como aqui, mas isso não faz com que estes vinteseis minutos sejam propriamente um passeio no parque. Desafiante e violante, para corajosos que sabem que vão ter a sua coragem recompensada.

7.5/10
Fernando Ferreira

South Of No North – “Phagocity”

2020 – Cult Of Parthenope

O termo groove metal não tem qualquer efeito em mim, admito. Aliás, poderá ter mas é o oposto de ser positivo. Assim sendo, as verdadeiras surpresas surgem quando surgem bandas como os South Of No North (curioso nome de banda) que vão bem mais além do que aquilo que esperamos ver. Neste caso concreto, falamos de uma vertente mais vincada no death metal que é bem vinda. O que também é bem vindo é todo o conceito do álbum que coloca a nu as fragilidades da típica sociedade de países (supostamente) desenvolvidos onde vivemos. Sem deslumbrar, cativa pela positiva.

7.5/10 
Fernando Ferreira

Choke – “Les Liquid Temps”

2015 – Edição de Autor

Primeiro contacto com a banda brasileira Choke, ou como eles se representam C.h.o.k.e. A sonoridade é uma mistura de metal groove com alguns tiques de nu-metal mas feito de forma a que não cheira propriamente a bafio. Aliás, estes quatro temas acabam por saber a pouco, ficando a vontade de ouvir mais da banda que tem uma série de lançamentos anteriores, para ver como é que soam hoje em dia. A boa qualidade da produção também ajuda a este resultado final.

7/10
Fernando Ferreira

Steps Of Odessa – “Obsidian Skies”

2020 – Edição de Autor

A mistura do progressivo com sonoridades mais modernas como do metalcore nunca me cativou especialmente. A estreia dos Steps Of Odessa inicialmente surgindo com esse estigma, imediatamente identificado nos primeiros temas, tiveram que se esforçar para conseguir o mesmo não permanecesse. Apesar do esforço deste álbum de estreia, há uma série de lugares comuns que não consigmos sacudir por mais que se tente. Claro que quem for fã de metalcore vai devorar isto por completo. Quem já for fã de progressivo, poderá sentir alguma estagnação de ideias – sendo que o melhor vem mesmo para o fim sendo que o final do álbum é superior ao início. Estreia interessante mas quero ser mais surpreendido no segundo álbum do que fui aqui.

6/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.