WOM Reviews – Heathen / Under The Oak / Anubis / Eternal Judgement / Nerobove / H2Ocean / Rambomesser

WOM Reviews - Heathen, Under The Oak, Anubis, Eternal Judgement, Nerobove, H2Ocean, Rambomesser

Heathen – “Empire Of The Blind”

2020 – Nuclear Blast

Depois de três demos na primeira década do milénio, os Fastian Pact apresentam um álbum que parece que até é mais antigo, vindo da década de noventa. Aquele black metal ligeiramente melódico ainda que algo cru. Tem um encanto muito próprio. Encanto do passado mas que é válido tanto agora como o seria na altura. Talvez este seja um trabalho que está voltado para o passado, não existem dúvidas em relação a isso… no entanto, não deixa de ser inegavelmente cativante e eficaz. Uma boa surpresa a provar que por vezes as expectativas crescem e são correspondidas.

8.5/10
Fernando Ferreira

Under The Oak – “Ripped By The Roots”

2020 – WormHoleDeath

O entusiasmo do álbum de estreia é sempre marcante e palpável. Pelo menos nas vezes em que temos excelente música. Podemos dizer que esse é o caso dos Under The Oak que se encontram com um excelente álbum de estreia nas mãos. Um álbum de thrash metal que não se cansa de ter o pé sempre na tábua mas que também consegue apresentar-se mais dinâmico do que seria à partida esperado. As referências clássicas estão cá, perante um instrumental forte onde todos os executantes evidenciam estar ao mais alto nível e músicas que equilibram bem todos estes talentos com a tarefa, nem sempre fácil, de construir temas que em conjunto formem um álbum coeso. Uma hora de música também não facilita a tarefa mas mesmo assim eles não demonstram ter receio e ainda bem. “Ripped By The Roots” é thrash metal daquele que entusiasma do início ao fim. E ainda temos duas covers fantásticas, “Solitude” dos Candlemass e “Pounding Metal” dos Exciter.

8.5/10
Fernando Ferreira

Anubis – “Anubis”

2020 – Edição de Autor

Segundo EP e mais três originais, desta vez sem direito a cover. Nem será necessário apra que a banda nos conquiste. Surgem especialmente furiosos mas sem descurar a melodia dos refrões. “Everything Disintegrates” é especialmente potente, embora este EP esteja todo ao mesmo nível. Sem dúvida que esta é uma banda que já está mais que pronta para que possa aventurar-se com um álbum.

9/10
Fernando Ferreira

Anubis – “Ashes”

2019 – Edição de Autor

O primeiro lançamento dos norte-americanos é bem cativante. Para quem gosta da mistura, nem sempre fácil, do power metal com o thrash metal, então tem aqui um nome que é obrigatório conferir. Estes três temas trazem-nos no entanto uma abordagem mais europeia mas que não deixa de soar refrescante. Curiosamente escolhem uma cover dos Iced Earth “Burning Times” para fechar o lançamento, uma das bandas de referência da mistura do thrash e do power metal norte-americano.

9/10
Fernando Ferreira

Eternal Judgement – “Judgement Day”

2020 – Edição de Autor

O início desta estreia dos Eternal Judgement não é entusiasmante. Aliás, para mim foi mesmo aborrecido, com uma longa intro/tema “orquestral” que soa completamente deslocada para aquilo que nos chega depois. E o que chega depois? Thrash! Bastante dinâmico no tipo de riffs que usa e soluções apresentadas, com algumas harmonias de guitarras que parece que saíram arraçadas de Priest/Maiden. Longe de ser um trabalho unidimensional de thrash metal, a vertente heavy surge algumas vezes nos temas mais compassados como na melancólica “The Evidence (Losing You)”. O melhor de dois mundos. É um bom ponto de partida por parte de banda batalhadora que lutou muito para chegar a este trabalho. Sabemos que não vão ficar por aqui. Um bom conselho será verem-se livres das intros, outros e interlúdios que não os ajuda em nada.

7/10
Fernando Ferreira

Nerobove – “Monuments To Our Failure”

2018 – Edição de Autor

Estreia entusiasmada dos italianos Nerobove, cujo nome é reflexo da sonoridade e do próprio álbum, “Monuments To Our Failure”. Algures entre o death metal tradicional, o thrash metal mais épico e até o death melódico, há vários estados de espírito que se poderão confundir com identidades diferentes. Apesar de algumas ideia boas aqui presentes, fica-se com a ideia de que faltaria um bocado talvez de orientação em relação ao caminho a seguir. Devo dizer que o mais épico em “Dilúvio” apesar de não ser novidade nenhuma, não deixa de ser interessante. Curioso para ver a evolução que surge daqui.

6/10 
Fernando Ferreira

H2Ocean – “The Horned Goddess”

2020 – Wormholedeath

Mais um álbum de estreia servido pela WormHoleDeath. H2Ocean tem, além de um nome inteligente, um som poderoso. Apesar daquilo que o título e o simbolismo pagão que a capa representa, a sonoridade vai mais encontro do tom moderno do traço da mesma. Groove próprio de um thrash moderno que é sobretudo compassado e tem aquele travo meio sulista. Algo que era bastante popular anos atrás e ao qual nunca fui particularmente fã. E, infelizmente, não serão os H2Ocean a converterem-me já que a sua proposta parece-me carecer da dinâmica necessária para que não soe tudo ao mesmo. Parece que este foi um projecto pessoal que contou com a ajuda de outros músics da cena grega. Por enquanto não é particulamente impressionante mas esperemos por mais num futuro próximo.

5/10
Fernando Ferreira

Rambomesser – “Krawal Am Kiosk”

2020 – Edição de Autor

Qualquer banda de thrash metal que tenha um nome começado por “Rambo”, merece o meu respeito. Este é o seu álbum de estreia e a sonoridade anda algures entre o já citado thrash metal e o groove, sempre um equilíbrio difícil de atingir quando o objectivo é termos grandes e memoráveis álbuns. Cantado em alemão, a eficácia destes temas não é grande, confesso, mas ainda assim, poderá encontrar-se aqui bons riffs e boas ideias. Talvez no próximo tentar ter menos arranjos de teclados possa ser um bom ponto de partida.

5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.