WOM Reviews – Hellbound / Ötzi / Our Pond / Helvinsonfire / Holding Absence / Lizzy Farrall / Heist 2-11 / Neumatic Parlo

WOM Reviews - Hellbound / Ötzi / Our Pond / Helvinsonfire / Holding Absence / Lizzy Farrall / Heist 2-11 / Neumatic Parlo

Hellbound – “Overlords”

2020 – Discouraged Records

O primeiro nome que nos surge em mente ao olhar para a capa é, vá-se lá saber porquê, Rob Zombie. Curiosamente, assim que começamos a ouvir a música, esse também é um dos nomes que surgem em mente, caso o amigo Rob tocasse numa vertente mais metal e com um groove mais acentuado nas guitarras e sem grandes recursos ao que é quer que seja industrial. Bom poder metálico, bons solos e boas melodias que nos são apresentadas em temas que ficam na cabeça. Não pedimos muito mais. Nem é preciso.

8/10
Fernando Ferreira

Ötzi – “Storm”

2020 – Artoffact Records

Boa e inesperada surpresa. O pós-punk (ou rock gótico), como já disse aqui, não é de todo o género que mais me apaixona mas este “Storm” tem o dom de fazer apaixonar qualquer um. Além de nos dar aquele travo nostágico dos inícios da década de oitenta, também nos traz uma garra que não é comum encontrarmos. Boa batida, boa conjugação de harmonias vocais (lá está, como se estivessemos quase trinta anos atrás) e excelente talento para cariar músicas. Não sou fã do género mas sou fã das Ötzi.

8.5/10
Fernando Ferreira

Our Pond – “Paraphernalia”

2020 – Volcano Records

Math rock. É um rótulo tão vago (mais ou menos) como qualquer outro. No entanto, e apesar a aversão que possa ter (e tenho) a algo mais dissonante e coisas parecidas, a verdade é que isto soa muito bem. Instrumental e com grande sobriedade – sim, sobriedade – temos melodias incomuns, é certo, mas temo também uma enorme inteligência na hora de fazer temas onde a proficiência técnica é evidente mas não é o centro das atenções. Em música instrumental, isto é um enorme ponto a favor. Gostei, venha mais.

8/10
Fernando Ferreira

Helvinsonfire – “Demo 2001”

2001/2020 – Raging Planet Records

Recuperação da demo dos Helvisonfire que faz parte da série de lançamentos digitais que a Raging Planet Records está a recuperar em conjunto com a Loud!. Neste caso em concreto uma banda da qual não tinhamos conhecimento e que lançou há quase vinte anos atrás de forma limitada em cassete. Com um som previsivelmente cru mas que envelheceu bastante bem durante todos estes anos, Sonoridade que vai para os campos do punk mas também entra dentro da onda mais hardcore melódico que começava (ou já era) bastante popular no underground na altura. O que se calhar aconteceu com esta banda?

7/10
Fernando Ferreira

Holding Absence – “Gravity/Birdcage”

2020 – Sharptone Records

Consta que os Holding Absence têm feito furor e não é difícil perceber porquê. Sonoridade muito bem cuidada e melodias que se instalam facilmente. Sim, têm o seu quê de pop, mas o peso não deixa de estar aqui presente. As coisas andam tão mal no mainstream, que nem nos importamos se sabe a pop a partir do momento em que tem alguma distorção e peso. “Gravity” neste aspecto acaba por ser mais pesado em relação a “Birdcage” mas a fórmula é um bocado a mesma. Percebe-se o sucesso. Não se percebe é o rótulo pós-rock que nos chega no comunicado de imprensa.  O álbum tem tudo para causar bom impacto.

7/10
Fernando Ferreira

Heist 2-11 – “Fight”

2020 – Edição de Autor

Metal alternativo e cheio de groove. Nada de novo por esta altura do campeonato, certo? Certo. O que conta aqui é mesmo a garra com que os Heist 2-11, apesar de terem muita coisa contra si, tal como o próprio nome que não é propriamente apelativo ou memorável. Musicalmente falando a coisa corre melhor. Groove e garra apesar dos lugares comuns. Faz-nos recuar um bocado até aos anos noventa em que a música pesada se tentava reorganizar após o grunge. Bons temas, bom EP.

7/10
Fernando Ferreira

Lizzy Farrall – “Bruise”

2020 – Pure Noise Records

Vou admitir já sem qualquer tipo de pudores. Este é um disco bonitinho. Daqueles que parece que foram feitos à medida para vender que nem panquecas doces – isto numa altura em que a música era um negócio lucrativo para todas as editoras e para os músicos que tinham êxito e (alguma) qualidade. Os tempos são diferentes, mas o facto de ser um disco bonitinho, rock/pop a puxar ao alternativo, não faz com que seja menos eficaz ou que tenha menos valor por causa disso. É bonitinho, é até, admito, inconsequente. No entanto seria tão bom que houvesse mais música assim.

6/10 
Fernando Ferreira

The Spirit – “Cosmic Terror”

2020 – Unique Records

Consta que os Neumatic Parlo começaram com uma história do instagram, algo quse formos a pensar bem, bem há dez anos seria possível. Questões tecnologico-existencialistas aparte, em termos sonoros, o som até é bastante vintage. Pós-punk com uma pitada de rock psicadélico em quatro temas diversos o suficiente para nos deixar com algumas dúvidas em relação à identidade da banda em si. Não perde o interesse por esse motivo, pelo contrário. Ficamos assim na expectativa por mais. Apenas como nota final, quando avançam pelos mares do rock psicadélico, a coisa é bem mais interessante.

6/10
Fernando Ferreira

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: