WOM Reviews – Mark Boals And Ring Of Fire / Stardust / Pride Of Lions / Meridian / Axel Rudi Pell / Road Syndicate / Bonedryver / Hungry Daze

WOM Reviews - Mark Boals And Ring Of Fire / Stardust / Pride Of Lions / Meridian / Axel Rudi Pell / Road Syndicate / Bonedryver / Hungry Daze

Mark Boals And Ring Of Fire – “All The Best”

2020 – Frontiers Music

Duplo cd com o selo “best of” de Mark Boals, um dos maiores vocalistas de rock com um currículo enorme e impressionante devido não só à sua carreira solo de sucesso, mas também pelo trabalho com outras bandas.

Ainda me lembro da primeira vez que ouvi algo onde a sua voz fez a diferença e falo do trabalho com Yngwie Malmsteen, no clássico álbum “Trilogy”. Desde então, ele trabalhou com muitas bandas e artistas, incluindo nomes como os Iron Mask, Royal Hunt e Vindictiv.

Aqui há muito para ouvir da carreira de Mark e com toda a certeza no final ficar com um sorriso pela gosto e privilégio que nos é dado de poder dizer que somos do tempo dele!

10/10
Miguel Correia

Stardust – “Highway To Heartbreak”

2020 – Frontiers Music

Os Stardust, são uma banda húngara de AOR / Melodic Rock. Sobre o seu som o vocalista Adam Stewart diz: “Amamos Def Leppard, Winger, Journey e todas as coisas dos anos 80. Então, agarramos essas influências e as misturamos com nosso próprio jeito Stardust de fazer as coisas.”

Tudo dito? Não, porque o resulta é muito, muito bom! Apesar de todas as influências serem do melhor dentro do género isso, só por si, não seria sinal de um resultado final de sucesso, mas este sim é porque se sente algo de diferente no som da banda que não se deixa marcar pelas influências.

Tudo muito “polido”, pensado ao pormenor, tornam “Highway To Heartbreak” um disco notável e cheio de uma energia contagiante, onde o tema “Heartbreaker” é disso um exemplo do que por aqui prolifera.

10/10
Miguel Correia

Pride Of Lions – “Lion Heart”

2020 – Frontiers Music

Os Pride Of Lions, a reverenciada banda de rock melódico que conta com o lendário compositor de “Eye Of The Tiger” e membro dos The Ides Of March, Jim Peterik, e o vocalista Toby Hitchcock, estão de volta com mais um fabuloso álbum de estúdio, “Lion Heart”.

Há por aqui muito rock melódico, um estilo de música que eles de certa forma deram corpo, com vocais poderosos (graças à performance como sempre soberba de Toby Hitchcock) e melodias inesquecíveis.

“Lion Heart” é uma obra prima do género, criada e selada por dois mestres!

10/10
Miguel Correia

Meridian – “Taking Cover”

2020 – Mighty Music

Confesso que neste Ep dos Meridian fui logo direto a “Out In The Fields” uma das minhas músicas favoritas, uma vez que sabendo da qualidade quer da banda quer da música fiquei curioso como iria soar esta cover. Claro, que os dinamarqueses não me desapontaram e demonstraram que esta foi uma forma de matar o tédio provocado pela situação pandémica que vivemos.

“Taking Cover” é um Ep com seis covers, brilhantemente conseguidas com um cunho da banda de rock melódico que já me conquistou no passado e que agora vem demonstrar que realmente merecem o respeito de todos.

“Why Can’t This Be Love” dos míticos Van Halen e “Easy Lover”, sim essa mesmo, imortalizada por Phil Collins entre outras aqui presentes, são mesmo os meus destaques desta fantástica ideia.

10/10
Miguel Correia

Axel Rudi Pell – “Sign Of The Times”

2020 – Steamhammer

Em minhas mãos, o mais novo trabalho da lenda alemã Axel Rudi Pell. Acompanho a carreira de Axel desde o momento que resolvi me tornar guitarrista e posso garantir que o músico é como vinho, a cada trabalho temos algo melhor que o anterior. Muita energia em cada música, cada riff é mais marcante e junto com a voz de Johnny Gioli que traz melodias memoráveis. A banda de uma forma geral faz seu trabalho em alto nível. Sign Of The Times mosta que aos 60 anos de idade, Axel Rudi Pell ainda tem energia para muitos outros trabalhos! Contudo, a introdução da música Living in a Dream não precisaria estar no trabalho, único ponto negativo do álbum.

9/10
Carlos Lichman

Road Syndicate – “Smoke”

2020 – Edição de Autor

Por muito que seja preguiçoso (e é definitivamente) pegar nos comunicados de imprensa numa review, sem dúvida que comentário “Rock’n’roll. É tudo o que a banda é e tudo o que quer ser” diz mesmo tudo. Não chegando a ser hard rock, os italianos Road Syndicate mostram na sua estreia que há mesmo razões para sorrirmos tendo em conta as ruas da amargura em que o rock anda actualmente. Confesso que apenas a voz não me entra totalmente. Não que seja má, apenas não tem aquele impacto. No entanto se tivermos em mente apenas aquelas bandas de bar que actuam de bar em bar pelo deserto norte-americano, até se enquadra. Costela blues acentuada e o rock a falar sempre mais alto, boa estreia. Rock on!

7.5/10 
Fernando Ferreira

Bonedryver – “Ain’t Too Pretty, Ain’t Too Proud”

2020 – Bonedryver Music

Pelo amor de Deus!! Quando as bandas vão entender que uma produção ruim pode estragar um trabalho. Pois é o Bonedryver não entendeu isso e deixou um trabalho basicamente ir para o espaço. Eu não sei onde os instrumentos foram captados, mas devido a um mix muito ruim eles tão todos juntos sem espaço para cada um deles poderem se expressar. Bem, fora este pecado, as músicas parecem ser cativantes um Hard Rock bem feito e com boa intenção. Cada instrumento fazendo a sua parte na hora que deve fazer.

7/10
Fernando Ferreira

Hungry Daze – “Back To My Future”

2020 – Diamonds Prod.

Os Hungry Daze são a nova banda/projecto do vocalista Roby Bruccoleri (dos Projecto) e do guitarrista Francesco Russo (ex-Shadows Of Steel) e apresentam em “Back To My Future” um bom conjunto de temas de hard rock mais ligeiro e melódico que não têm nenhuma falha a não ser não serem marcantes. Bem construídos, produção não é exuberante mas não compromete e excelente trabalho de guitarra, principalmente nos solos, mas ainda assim soa tudo muito genérico. Demasiado genérico, aliás. Ouve-se bem, mas depois até nos vamos esquecer de pegar nele para voltar a ouvir.

6/10
Fernando Ferreira

One thought on “WOM Reviews – Mark Boals And Ring Of Fire / Stardust / Pride Of Lions / Meridian / Axel Rudi Pell / Road Syndicate / Bonedryver / Hungry Daze

  • Novembro 13, 2020 at 3:42 pm
    Permalink

    It goes without saying that both of these artists are exceptional at their craft. But Shining Black isn’t a clone of Labyrinth, Ring Of Fire, or Royal. No, their sound traverses the genre of melodic heavy metal, with bits of power metal, and definitely infused with hard rock groove. Obviously, in the song composition emphasis is placed upon the principal players’ strong points: Boals’ voice and vocal arrangements and Thorson’s rhythmic riffs and soaring solos. But there’s also some power and groove from the rhythm section and a nice synth layer for accent and embellishment. The result is some solid and entertaining melodic heavy metal rock.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.