WOM Reviews – Occult Burial / Okrütnik / Alleyway / Evildead / Sovereign / Acrolysis / Reaver / Sadhayena / Classic Alien Invasion

WOM Reviews - Occult Burial / Okrütnik / Alleyway / Evildead / Sovereign / Acrolysis / Reaver / Sadhayena / Classic Alien Invasion

Occult Burial – “Burning Eerie Lore”

2020 – Invictus Productions / Electric Assault Records / Stygian Black Hand / Temple of Mystery Records

É fácil perceber o porquê deste álbum ter sido bastante aguardado. Os canadianos Occult Burial têm trazido classe ao black/thrash metal desde o primeiro momento e “Hideous Obscure”, o álbum de estreia tem muito culpas no cartório. “Burning Eerie Lore” é aquilo mesmo que mesmo que se antecipava. Músicas uptempo, a rasgar fininho mas longe de ser tosco, apesar de ter uma aura que nos traz os tempos mais antigos do metal extremo. É um testemunho que nos leva para esses momentos mas continua a trazer algo de novo a cada vez que nos amandamos de cabeça. E acreditem, esse processo é repetido muitas vezes.

9/10
Fernando Ferreira

Okrütnik – “Legion Antychrysta”

2020 – Ossuary Records

O primeiro contacto com uma banda que acaba de lançar o seu primeiro álbum é sempre determinante. Não é absoluto mas é sem dúvida determinante. No caso dos Okrütnik (nome que me obriga a verificar constantemente se o estou a escrever bem… e posteriormente a corrigi-lo) também é bastante positivo. A aura de metal tradicional (do heavy ao speed thrash) ajuda bastante mas por vezes a melhor das auras não se aguentar se não tiver na base músicas de grande qualidade. O black metal é mesmo a forma de expressão escolhida pela banda polaca (que também se expressa no sua língua nativa) e não é só pela capa ou pela voz de Michał Dryjański que vocifera como se tivesse acabado de ascender dos infernos mais profundos. É mesmo pelo apelo que estes oito temas trazem, sem ter preocupação de seguir qualquer corrente – não sei na realidade se assim foi, mas é o que se sente – apenas debitar um espírito malévolo que deverá coexistir nas facetas mais negras da música. E isso é atingindo em pleno. Esta foi uma excelente surpresa.

9/10
Fernando Ferreira

Alleyway – “After Dark”

2020 – Sliptrick Records

Quarto trabalho dos Alleyway que trazem aquilo que sempre trouxeram desde o início da sua carreira: heavy metal acelerado, a roçar o thrash, e apunkalhado que grita Motörhead por todos os poros. Não seria de esperar que por esta altura a banda norte-americana fizesse inversão de marcha em relação à sua sonoridade. Não, eles trazem exactamente o que queremos. Para alguns isso poderá ser sinal de falta de imaginação ou criatividade, para outros é simplesmente apreciar as coisas boas. Se gostamos disto, porque é que haveremos de fazer outra coisa qualquer? Claro que a dinâmica não é o forte deste álbum mas o charme do metal primitivo impera por aqui e esse charme é poderoso.

7.5/10
Fernando Ferreira

Evildead – “United States Of Anarchy”

2020 – Steamhammer

Quantas vezes não temos dito nos últimos tempos que esta ou aquela banda voltou à vida após não sei quanto tempo de ausência. Os norte-americanos têm tido nos últimos tempos vários ensaios para um regresso mas o álbum só se materializou agora. O terceiro, vinte nove anos depois de “Underworld”. A banda era conhecida por um thrash metal corrosivo com elevados níveis técnicos. Tecnicamente não está tão apurado mas provavelmente também não seria uma faceta que os faria sobressair. Curiosamente é mesmo o conteúdo lírico que se revela mais interessante sempre com letras que reflectem os problemas da nossa sociedade (ou pelo menos uma perspectiva da mesma). Musicalmente nota-se que os tempos são outros mas não deixa de ter uma qualidade relevante. Pena é que a produção esteja demasiado submetida aos caprichos da compressão, algo que faz com que o impacto, na minha opinião, seja afectado.

7.5/10
Fernando Ferreira

Sovereign – “Neurotic”

2020 – Redefining Darkness Records

Formados em 2018, os Sovereign são uma banda norueguesa de death e thrash metal que surge agora com um novo EP, o primeiro trabalho completo lançado por eles. Assim, Neurotic é um EP de 20 minutos que se situa num estilo de metal clássico (dentro do seu género) que desenvolve um som equilibrado sem demasiada brandura nem demasiada intensidade. De uma forma geral, é um bom trabalho na introdução da banda no cenário mais amplo musical, contudo não vai muito além disso visto que apresenta boas faixas que, contudo, não têm grande impacto posterior. É, resumidamente, uma boa ouvida.

7/10
Matias Melim

Acrolysis / Reaver – “The Nobody Crowd”

2020 – Edição de Autor

Split entre duas bandas australianas que têm amor ao heavy metal mais cru. A forma como apresentam é que não é comum. Não por serem duas bandas de heavy metal (normalmente os splits surgem mais no campo da música extrema) mas porque os quatro temas aqui apresentados foram escritos pelas duas bandas, em conjunto. Apesar das vocalizações diferentes, fica muito difícil tentar perceber quem fez o quê, ou quem está a tocar o quê. Nem interessa, os quatro temas funcionam bem e até parece que redobram a curiosidade para ver como soam em separado. Quatro temas bons.

7/10 
Fernando Ferreira

Sadhayena – “Mist Of Fury”

2020 – Edição de Autor

Muitas vezes falo dos preconceitos musicais (contra eles) mas devo dizer que também sou parte do problema. Por exemplo, o segundo álbum dos franceses Sadhayena foi o primeiro que me deu a conhecer o som da banda e pela capa pensei imediatamente que se tratava de thrash metal. Não deixei de sentir um ligeira desilusão quando a intensidade não era aquela que esperava. A sonoridade assenta mais num hard’n’heavy moderno mas bem feito. “Mist Of Fury” poderá não apelar ao headbanging furioso mas não deixa de ser sólido, mesmo quando entra por caminhos mais alternativos (como na “Hit Me Harder”). Mesmo sem conseguir capturar a nossa atenção a cem por cento, é trabalho agradável de se ouvir, para quem gostar da modernização de sons mais tradicionais e não se importar com esse facto – para alguns é uma questão quase religiosa.

6/10
Fernando Ferreira

Classic Alien Invasion – “Classic Alien Invasion”

2020 – Badass Yogi Productions

Consta que na base da criação dos Classic Alien Invasion esteve o thrash e speed metal. Não podemos dizer que temos aqui muito desses dois estilos. A abordagem assenta mais no groove e com um toque quase industrial nas guitarras (quase, atenção). Vocalizações agressivas, andamento mid tempo e uma constante homenagem ao cinema de série B da década de cinquenta são das principais componentes que podemos encontrar aqui. Alguns momentos promissores mas nunca chegamos a ver essa promessa manifestada. Sendo o primeiro álbum haverá certamente por onde progredir.

4/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.