WOM Reviews – Semblant / Lucifer Star Machine / Hardline / Dexter Ward / Lost Legacy / Wicked Asylum / Dark Arena / Blowtorch

WOM Reviews - Semblant / Lucifer Star Machine / Hardline / Dexter Ward / Lost Legacy / Wicked Asylum / Dark Arena / Blowtorch

Semblant – “Obscura”

2020 – Frontiers Records

Os brasileiros Semblant tem aqui um excelente trabalho, sem sombra de dúvidas. Trata-se de um disco marcado por linhas de metal sinfónico com elementos death metal e com um resultado final sólido e de fácil referência para os fans do género. Numa linha de avaliação, acho “Obscura” um trabalho muito dinâmico, nada cansativo na sua audição e fico com uma certeza, os Semblant são uma banda a seguir, pois sinto que este passo os levará a um futuro brilhante em termos de criatividade. São 11 faixas num total de 49 minutos de nos fazer saltar da cadeira, sim foi difícil segurar os ímpetos em mim de o fazer, baseados numa fórmula já utilizada, mas nem sempre da melhor forma, por outros e falo de das linhas sinfónicas cheias de Groove, grandes solos onde os vocais femininos são uma marca, mas neste caso acrescido de uma linha mais grunhida masculina que são o ponto de equilíbrio. Bom, já perceberam que sim vamos a isso procurem este “Obscura”!

10/10
Miguel Correia

Lucifer Star Machine – “Devil’s Breath”

2020 – The Sign Records

A reviews que muitas das vezes beneficiam do momento em que a fazemos, é o caso. Quanto fiz o play para “The Void”, primeira faixa do quarto trabalho dos Lucifer Star Machine, senti era desta energia que estava mesmo a precisar e assim a coisa encaixou na perfeição. Ansiosamente não queria que a faixa acabasse, mas também queria perceber como seria o que vinha a seguir e, claro, a banda desfila um conjunto de malhas rockeiras, pesadas, a soar tudo na perfeição sem nada a apontar. Como disse, o mote é dado na abertura e tudo o que vem por aí é pesado, rasgado com um toque punk, tocado sem pudores e direto para os nossos ouvidos. Acima de tudo “Eat Dust” e “El Camino Real” e o rock rápido de “Our Love Remains” pela diferença ao padrão criado. Yeah, assim a coisa vai!

10/10
Miguel Correia

Hardline – “Life Live”

2020 – Frontiers Records

Em tempos em que a música é cada vez mais plástica (e o nosso som sagrado não consegue fugir a isso) é cada vez mais importante darmos importância ao trabalho que uma banda faz em cima do palco e os Hardline são um monstruosa banda em cima dos palcos, como tivemos oportunidade de comprovar pela sua última passagem pelos nossos palcos. Hard rock raçudo, um mestre de ceremónias excepcional e grandes temas interpretados por instrumentistas de craveira superior, o que é que isso dá? Num grande álbum ao vivo, à antiga, onde o feeling é genuíno. Tal como deve ser. E para quem não dava valor a isso, de certeza que agora já pensa de forma diferente.

8.5/10
Fernando Ferreira

Dexter Ward – “III”

2020 – No Remorse Records

Os Dexter Ward são o produto de um projeto que tem como base os ex-membros dos Battleroar, que queriam levar o seu som de volta às raízes power metal e assim “III” sai com toda a intensidade técnica do estilo, mas sem a orquestração ou a eletrónica por vezes existente na maioria de seus contemporâneos. “Return Of The Blades” é o passo de abertura nesse sentido e realmente o caminho é feito de forma sublime, sem grandes artimanhas, muito direto e que nos leva para um álbum cheio de espadas e feitiçaria tradicionais. É um começo promissor e emocionante que com pequenos retoques futuros deixa no ar algo muito positivo para os D.W.. Recomendo!”

9/10
Miguel Correia

Lost Legacy – “In The Name Of Freedom”

2020 – Pure Steel Records

“In The Name Of Freedom” é um disco muito bem conseguido. A mistura única de influência clássica e abordagem moderna, feita pelos norte americanos, do Bronx,  Lost Legacy é realmente algo que brilha facilmente ao longo de todo o álbum, mas a precisar de outra intensidade nas vozes, que me parecem por vezes algo desenquadrados do que está a acontecer. Em tempos difíceis o metal está a ganhar mais um nome que voltam, passados mais ou menos 10 anos aos lançamentos. Longe de ser perfeito, mas convence e proporciona bons momentos de audição.

8/10
Miguel Correia

Wicked Asylum – “Out Of The Mist”

2020 – Volcano Records

As Wicked Asylum são uma banda de metal italiana, feminina, cheias de talento que nos fazem chegar “Out Of The Mist”, um disco cheio de garra com boas malhas e que promete deixar a sua marca. A sonoridade é inspirada nos clássicos de metal, com um toque de produção muito moderno e cheia de personalidade. É um disco sólido, muito completo e só tenho a dizer bem, porque me convenceu logo na primeira audição.

9/10 
Miguel Correia

Dark Arena – “Alien Factor”

2006/2020 – Pure Steel Records

Viagem no tempo até 2006, ao primeiro álbum dos norte-americanos Dark Arena. Na altura o power metal estava já na sua fase descendente mas isso não se notou no trabalho de estreia da banda, com um pulso bem forte no seu som, que até tinha uma pitade de thrash ali à mistura. A Pure Steel Records decidiu recuperar agora este álbum  o mesmo não denota a passagem do tempo, mesmo catorze anos depois. A banda já não lança nenhum álbum há coisa de oito anos, temos a expectativa que esta reedição signifique que música venha a caminho.

8/10
Fernando Ferreira

Blowtorch – “Hangoverdose”

2020 – Edição de Autor

A estreia dos Blowtorch é feita através de um trabalho “divertido”, cheio de batidas e riffs bem conseguidos, momentos enérgicos e harmoniosos onde toda a sonoridade rock com muitos pontos a entrar no punk marcam a diferença num disco onde o objetivo é mostrar como se pode fazer música com os sentidos completamente regados de álcool.É sem dúvidas um disco muito variado com momentos bons, mas certamente não voltarei a ele e acho que serão poucas as pessoas que o farão.

7.5/10
Miguel Correia

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: