WOM Reviews – Vampire / Deathcraeft / Devastation Inc. / Exiled On Earth / Sintax / Callamity / Callamity / Lucid Conformity

WOM Reviews - Vampire / Deathcraeft / Devastation Inc. / Exiled On Earth / Sintax / Callamity / Callamity / Lucid Conformity

Vampire – “Rex”

2020 – Century Media Records

Os Vampire não desiludem. O seu death/black/thrash/óreva pode ser ligeiramente javardo e até arcaico para as concepções daquilo que supostamente o thrash metal é (ou que as pessoas pensam que deve ser) mas soando tão bem, o que é que interessa? Não interessa mesmo nada. Capa impressionante para um som que lhe faz jus. As ambiências old school e aquela magia que julgamos ser irrepetível, está tudo aqui, de forma natural sem soar desonesto ou oportunista – até porque mesmo que fosse, a sua recompensa seria tão limitada tendo em conta o nicho em que se insere, que não valeria apena o esforço a não ser que houvesse verdadeira paixão por trás. Facilmente um álbum ao qual lhe dedicamos valentes audições sem qualquer problema. Um vício para 2020 e além.

9/10
Fernando Ferreira

Deathcraeft – “On Human Devolution”

2020 – Edição De Autor

Excelente surpresa na forma deste álbum de estreia. Por muito que se fique desconfiado quando uma banda sem dizer nem ai nem ui lança logo um álbum de estreia – algo que até já é bastante comum hoje em dia – quando a qualidade é deste poder, não há mais nada a fazer a não ser render-nos por completo às evidências. Temos um caldeirão de diferentes influências e que todas funcionam muito bem. Death metal, black metal, metal sinfónico e até thrash metal, todos juntos – nada de novo é certo até porque um dos nomes que nos surgem são os Dragonlord de Eric Peterson. Seja como, este é um álbum que entusiasma e nos puxa, bem mais do que os seus lugares comuns poderiam prever.

9/10
Fernando Ferreira

Devastation Inc. – “Beyond The Shape Of Violence”

2020 – Punishment 18 Records

Segundo álbum dos italianos Devastation Inc. onde o thraaaaaaaaaaash é rei e senhor. Um thrash dentro dos novos moldes, onde a voz acaba por estar bem mais próximo daquilo que se pode ouvir no death metal. Não é algo que soe desfasado, com estas verdadeiras bombas  metálicas que nos rebentam em cima (em caso de dúvidas, ouvir a “Lust For Carnage”ou a “Onslaught”). Não adianta muito em relação ao género nem sequer à sonoridade da banda, mas caso fossem essas as expectativas então andam mesmo desajustados da realidade. Bem produzido, bons temas, o que é que há mais a pedir? Mais nada.

8.5/10
Fernando Ferreira

Exiled On Earth – “Non Euclidean”

2020 – Punishment 18 Records

Quatro anos de ausência foi o que tivemos que esperar pelo terceiro álbum de originais dos italianos Exiled Earth. Valeu bem a pena esperar porque “Non Euclidean” mostra que a banda amadureceu bem durante este tempo mas ainda assim não deixamos de ter alguma sensação de desilusão em relação a quanto curto é este trabalho. Deveria ter pelo menos, no mínimo, mais uma faixa de forma a que não soasse a apenas um EP. Em relação ao que temos, é aquele thrash metal técnico com um certo sabor progressivo que beneficiaria também de uma produção mais equilibrada. Depois disto tudo, estarão a pensar “valeu mesmo a pena esperar quatro anos?” Sim, sem dúvida, o que também já indica a qualidade da música que temos. Esperemos é que não demorem mais quatro anos.

8/10
Fernando Ferreira

Sintax – “Nano 3000”

2020 – Edição de Autor

Segundo álbum dos isrealitas Sintax (um nome que parece que é peculiar, e é, mas que perane a repreentação gráfica, não deixa de estar bem conseguido) que deixam quem gosta de thrash moderno e meio bruto à base de groove satisfeito. Bom conjunto de temas, onde a melodia não é esquecida e temos uma dose de melodia fantástica que torna alguns temas memoráveis. O único problema de maior que encontro neste álbum é mesmo a produção cujo volume parece estar bem acima das capacidades das colunas – parece que foi comprimido mas de uma forma a que se aumentarmos um bocado mais que o normal, parece que os graves vão arrenentar com as colunas. E com as paredes mais perto delas. Um pormenor, é certo, que impede que estas músicas tenham o seu máximo impacto.

8/10
Fernando Ferreira

Callamity – “Symbiotic”

2015 – Edição de Autor

EP curto mas furioso dos brasileiros Callamity. Com uma raça quase old school, a fazer lembrar o underground da década de noventa, “Symbiotic” são traz-nos três bons temas, cheios de garra como é suposto. Claro que apresentam algumas fragilidades, mas mesmo com elas consegue surpreender e cativar.

7/10 
Fernando Ferreira

Callamity – “Nature Of Ashes”

2019 – Edição de Autor

Segundo EP que segue as boas indicações do primeiro. Nota-se que houve uma tentativa de tornar o som mais poderoso, no entanto, este ainda não está no ponto – nem sempre o volume mais alto significa um som melhor. Já quanto à composição, esta nota-se que a banda está mais ousada e mais disposta a percorrer caminhos que ainda não percorreu. O tema-título, mais trabalho e complexo evidencia esta inconformidade. Só faltou mesmo foi um som mais definido e não tão comprimido.

7/10
Fernando Ferreira

Lucid Conformity – “Architects Of Madness”

2020 – Recharger Records

Ao que tudo indica, estamos perante um duo britânico que gosta de se expressar através do death/thrash metal de uma forma não linear – ou seja, nem sempre as coisas são aquilo que se espera, com algumas surpresas como a melodia em “Man Made Messiah”.  A banda refere que esta é mesmo a sua identidade, a mistura de diversos géneros que se juntam tudo em “Architects Of Madness”. Ainda bem, nem sempre resulta – nem todas as ideias materializadas se provam ser boas. A prova está exactamente na capa cuja ideia é boa, materialização, nem por isso. Interessante, apesar das suas limitações.

6.5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.