WOM Report – Carnival Fest – Xeque Mate, Blind The Eye, NightMyHeaven, The Small Hours @ Company Event Concept, Trofa – 04.03.19

Exemplar, Espectacular, Irreverente e Inesquecível, são estes os adjetivos que encontro para descrever aquilo que aconteceu na noite exemplar de convívio e Som Eterno da passada segunda feira, 4 de Março no Company Event Concept da Trofa. O evento denominado Carnival Fest – que ficará para sempre gravado na memória das boas recordações dos presentes – tinha como principal objectivo a apresentação de “Arise To The Theta State”, álbum de estreia dos Blind The Eye de Santa Maria da Feira. Como por si só este acontecimento não bastasse o cartaz incluía ainda os convidados Xeque-Mate, NightMyHeaven e The Small Hours, estes últimos, a ter a responsabilidade de abrir as hostilidades.
Com a recente saída de um dos membros fundadores, estava curioso em ver como se comportava a banda apenas com um guitarrista, apesar da banda já estar a trabalhar com um substituto que curiosamente se encontrava na sala mas a seu tempo será revelado. Abriram com “Time”, “Grieve” e “Crucify” do Ep de 2018 e Renato Barbosa demonstrou desde de logo estar preparado para suprimir a ausência referida, conciliando ritmo e solos muito naturalmente. Os The Small Hours mantém-se fiéis ao seu Groove Metal e a cada concerto, demonstram mais confiança, entrosamento e saberem exatamente o que pretendem e não abdicam do trajeto traçado, apesar das contrariedades. “Quimera”, tema cantado em português, que futuramente virá a ser uma trilogia, da qual já conhecíamos a parte 1, intitulada “Deus Quis” estreou, aqui, a parte 2 – “Veneno” e promete ser no total um tema mítico e bem representativo do poder criativo do colectivo. Terminaram uma actuação equilibrada, competente e em crescendo com “Nymphomaniac Symphony” e “Risen From The Grave”, demonstrando, uma vez mais o empenho e dedicação destes guerreiros. Força!
Seguiram-se os NightMyHeaven, com o seu demolidor Death/Black Metal que não deixou ninguém indiferente! Os cinco cavaleiros do apocalypse vindos de Guimarães, com o irreverente e irrequieto vocalista, Alfredo, sempre com o público na mão. A sua prestação, irrepreensível, teve como foco o último trabalho, o álbum “Across The Dark Side” que apesar ter sido lançado em 2016, se mantém bastante actual como o provaram “Nights Dark Side”,”Riders Of The Apocalypse”, “Kill Your King”, “Slayer Of Deities”, “Amidst The Wolves”, este último antecedido, na minha opinião, pelo ponto alto deste verdadeiro rolo compressor – a cover de Dimmu Borgir, “Spellbound (By The Devil)”. Alguns dos elementos fazem parte de outros projetos, confesso que fiquei ansioso por novidades e novos temas que certamente confirmará o reconhecimento e projeção mais que merecida! Eu e todos… ficamos à espera!
Após duas actuações devastadoras, era hora do Hard’N’Heavy dos consagrados Xeque-Mate, quinteto que não necessita apresentaçoes.Era a primeira vez que tinha oportunidade de ver estes Senhores ao vivo e rever velhos amigos… esta instituição do panorama Lusitano abriu logo com o hino “Filhos Do Metal” logo aí se percebeu o som mais bem conseguido da noite. Composto por músicos de excelência todos ficaram deliciados com todas as malhas escolhidas. A saber: “Não Sou Só Eu A Falar”, “Eles Rondam Isto”, “Cães Que Mordem”, “A Hoste”, “O Às Do Volante”, “Escrava Da Noite” e “Paraíso”. Uma prestação poderosa e imaculada!
Mas a noite era dos Blind The Eye. Uma noite repleta de estreias: de primeiro álbum e primeira vez em palco! Dario Rosa (voz), Ramiur Sekh e Ruben Oliveira (guitarras), Nuno Rodrigues (baixo) e Rui Rocha (bateria) obviamente jamais esquecerão esta data, eu e os presentes também não! Foi simplesmente espectacular e maravilhosa, logo aos acordes de “Bragolin’s Memento” a recepção e reação do público, sempre incansável, com headbanging, mosh e stage diving incluindo surpreendentemente até elementos de outras bandas. Sobre constantes incentivos, aplausos e Horns Up, fomos arrebatados pelos temas que compõe todo este primeiro registo, intitulado “Arise To The Theta State”. Após o título tema, segundo da noite, seguiram-se por esta ordem: “Seven Eyes”, “In Silence The Terror Has Grown” (novo video), “Embryos Of The Monarch Project”, “Espada Lusitana”, “An Altruist Suicide”, “Hammurrabi Code” e “Iron Fist Or Helping Hand”. Rendidos e absolutamente de rastos a tamanha pujança sonora todos estavam satisfeitos… Lindo! Lindo! Lindo!
A noite ainda se prolongou, madrugada dentro, ao ponto deste escriba chegar a casa pelas 07H30 de dia seguinte… acho isso diz tudo! Agora é dar oportunidade e novos desafios a este novo projecto para poder chegar mais longe! Certo é que os Blind The Eye estão aí para dar que falar… e muito! Finalmente uma palavra para todo o pessoal da organização e da associação responsável pelo espaço Company Event Concept, simplesmente fantásticos em simpatia e prestabilidade! Bem hajam, e… parabéns!
Texto por Paulo Aguiar
Fotos por Inês Nogueira
Agradecimentos Company Event Concept e Blind The Eye

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: