WOM Report – Orphaned Land, Subterranean Masquerade, SystemHouse33 @ RCA Club, Lisboa – 18.04.19

O RCA em Lisboa recebeu mais um regresso dos Orphaned Land a Portugal para uma data da tour de suporte ao mais recente álbum “Unsung Prophets & Dead Messiahs”.  A banda israelita veio acompanhada dos compatriotas Subterranean Masquerade, e da banda indiana SystemHouse 33.

Foi por volta das 8 da noite que estes últimos entraram em palco. Com o RCA a ir enchendo aos poucos os SystemHouse 33 foram apresentando o novo álbum “End of Days” iniciando o concerto com “Rapture” seguido do tema titulo desta nova proposta. O som da banda de Bombaim está algures entre o Thrash e o Groove Metal, de certa forma combinando perfeitamente com a t-shirt dos Pantera que o vocalista Samron Jude envergava. Com bom som e boa presença, a banda foi agarrando o público enquanto tocaram temas mais recentes como “Lake of Sorrows”, “Cry of Anguish” ou “Stand Up”, uma musica que não só fica no ouvido mas tem um refrão perfeito para gritar ao vivo. Jude ia apresentando cada tema e falando um pouco com o publico, convidando em tom de brincadeira todos os interessados a ir conhecer a Índia e a ficar por casa dele. Dos trabalhos anteriores dos SystemHouse 33 houve ainda “Lift this Plague”, “Namesake” e para fechar a actuação “Detestable Idolatry”.

Uns minutos mais tarde era a vez dos Subterranean Masquerade entrarem no palco do RCA, mas não sem acenderem alguns paus de incenso e abençoarem o palco e a audiência. A abertura fez-se com “Specter” e “Reliving the Feeling” do álbum “The Great Bazar”, dando logo uma boa amostra do metal progressivo da banda israelita onde as influências do médio oriente estão bem visíveis, e que acaba por ser uma ligação perfeita com os Orphaned Land. A banda entrou com uma enorme energia e rapidamente conquistou o público. O destaque acabou por ir para o vocalista Davidavi Dolev que além da excelente performance vocal que manteve em todo o concerto, mostrou um grande carisma e humor. Parando pouco tempo quieto o Dolev andou por cima dos monitores, por cima das grades em frente do palco e nunca parou de puxar pelo publico que por esta altura já enchia o RCA.

Por entre temas como “Nomad”, “Ascend” ou “Kippur”, ouve espaço para um tema novo em “Snake Charmer” e para coroas de plástico para o guitarrista Omer Fishbein e o teclista Shai Yallin para os quais a data no RCA seria a ultima com a banda nesta tour. Quando a certa altura existiram alguns percalços com Fishbein partir uma corda e ter de se ausentar de palco para arranjar uma nova guitarra, ou os samples que deixaram de funcionar momentaneamente, a banda manteve uma boa disposição com Davidavi Dolev a ter uma conversa com o publico que nunca se cansou de apoiar os israelitas. Para o fim houve muitos saltos com “As You Are”, e a banda acabou por se despedir com o “Hymn of the Vagabond”. Excelente concerto dos Subterranean Masquerade que sem duvida ganharam muitos fãs entre os presentes com a prestação que tiveram.

 Pouco depois das 10 chegaria o momento mais esperado da noite. Depois de apresentarem o mais recente “Unsung Prophets & Dead Messiahs” na passagem pelo Vagos Metal Fest 2018, foi a vez dos Orphaned Land regressarem a Portugal em nome próprio. Uma banda experiente, e sempre muito consistente na qualidade dos seus concertos, os Orphaned Land não desiludiram e voltaram a estar em alto nível. O tema inicial de “Unsung Prophets & Dead Messiahs”, “The Cave” abriu o concerto juntamente com a fantástica “All Is One” e “Barakah”. Seguiu-se uma sequência de “Mabool”, um dos álbuns mais icónicos da discografia da banda com “The Kiss of Babylon (The Sins)” e a obrigatória “Ocean Land (The Revelation)” que também foi uma das musicas que gerou mais entusiasmo durante a noite.

O público no RCA soube dar uma recepção calorosa, cantaram e criaram um grande ambiente. Kobi Farhi foi como sempre um excelente frontman, sempre fantástico na interacção com os fãs, e foi dando um pezinho de dança ao longo do concerto. O regresso a “Unsung Prophets & Dead Messiahs” fez-se com um conjunto de temas que mostram a força deste novo trabalho como o single “Like Orpheus”, a pesada “We Do Not Resist” e “In Propaganda” aqui também unida com “All Knowing Eye”. O momento mais intimista da noite chegaria quando Kobi fez um solo vocal como introdução para “Let the Truce be Known”.

De “Mabol” ouviu-se ainda “Birth of the Three (The Unification)” juntamente com “Olat Ha’tamid” de “The Never Ending Way of ORwarriOr”, seguido de um tema que consegue sempre colocar muita a gente a dançar (e no RCA não foi excepção), “Sapari”. Kobi referiu ainda que esta era a primeira tour desde que foi pai de uma menina (que um dia iria ao Wacken) e foi para ela que cantou o tema que encerraria a set “In Thy Never Ending Way (Epilogue)”, com o publico todo a cantar o refrão junto com o vocalista. Para encore ficaram “Brother” e outro tema que não poderia faltar num concerto dos Orphaned Land, “Norra El Norra”.

Além do excelente concerto que deram, como de costume, os Orphaned Land são uma banda que também traz uma mensagem de paz e unidade, precisamente por virem local do mundo pouco fértil em qualquer uma das duas. O facto de passarem esta mensagem através da música e das intervenções do vocalista Kobi faz com que os concertos dos israelitas tenham sempre uma força extra, e que tenha tornado a noite no RCA verdadeiramente memorável.

Texto por Filipe Ferreira
Fotos por Filipa Nunes
Agradecimentos Notredame Productions


Support World Of Metal
Become a Patron!

New WOM Android APP – Read All Our Issues for free!
World Of Metal Magazine – Out Now
Download It Here!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.