WOM Reviews – Campfire / HAiG / Masked Intruder / The Glad Husbands / Slimboy / Rosewood / Accidental President / Enoch

WOM Reviews - Campfire / HAiG / Masked Intruder / The Glad Husbands / Slimboy / Rosewood / Accidental President / Enoch

Campfire – “Demons”

2020 – Infected Records

Tenho um fraquinho por álbuns de estreia. Se for álbuns de bandas portuguesas, ainda mais tenho. Não é uma questão de nacionalismo, mas apenas por ser representativo de que o nosso underground está bem e recomenda-se.  E neste caso recomenda-se mesmo porque temos um bom nome no punk mais emo e melódico que edita um conjunto forte de temas que se colam ao cérebro. Melodias que marcam e que ficam e que falarão ao coração daqueles que são fãs deste género. Boa estreia e bom início de carreira discográfica – pelo menos no que aos álbuns diz respeito.

8/10
Fernando Ferreira

HAiG – “Freeze The World”

2020 – Golden Robot Records

Rock boa onda. É o que faz mais falta ao mundo hoje em dia. Pelo menos pelas ondas hertzianas que andam para aí todas poluídas. Apesar da designação algo estranha e de certa forma incompreensível, esta nova banda britânica demonstra ter o coração no sítio certo. Soa moderno e ao mesmo tempo clássico, é uma proposta que surpreende por isso mesmo: intemporal. Vontade de ouvir os HAiG novamente. E de perceber o que raio significa o nome deles.

8/10
Fernando Ferreira

Masked Intruder – “III Turbo”

2019/2020 – Pure Noise Records

Depois de “III” ter sido editado no ano passado, é agora a vez de o mesmo álbum vir ao mundo tal como a banda intencionava na altura. Inicialmente tinham feito quinze temas mas apenas queriam que o álbum tivesse doze. Como tal, esses mesmos temas que ficaram de fora (duas originais e uma cover da “Bad Reputation” das Runaways) são agora apresentados. Para quem já tem o álbum original, se calhar não é algo que justifique a compra desta nova versão, mas para quem não apanhou a primeira vaga, não deverá falhar a segunda. Punk pop rock de qualidade.

8/10
Fernando Ferreira

The Glad Husbands – “Safe Places”

2020 – Atypeek Music/ Antena Krzyku / Entes Anomicos/ Longrail Records/ Vollmer Industries Tadca Records/ Whosbrain Records/ Scatti Vorticosi Records

Trata-se de um nome caricato. Podemos começar por aqui. Os “Maridos Contentes”. Ou “Satisfeitos”. O que esperar de uma banda que se chama assim? Os italianos demonstram não estar particularmente preocupados com isso, aliás a única preocupação é mesmo trazer para o ouvinte, rock ruidoso há boa maneira da década de noventa. Não é que soe particularmente datado, mas é nesse período de onde nos surgem mais imagens perante temas como “Spare Parts” e “Midas”. Ruidoso como se gosta e engenhoso – principalmente na bateria, excelente trabalho – para que não se pense que estamos perante mais um disco. Pelo menos não durante muito tempo.

7/10
Fernando Ferreira

Slimboy – “The Hopeless & Addicted EP - Live”

2019 – Ambulance Recordings

Para festejar duas décadas de música, os Slimboy apresentaram no ano passado este “The Hopeless & Addicted EP – Live”, uma pequena prenda para os seus fãs. A banda suiça não é uma das mais celebradas propostas de punk rock da Europa mas também serão provavelmente o maior nome vindo da Suiça e têm tido até agora uma excelente carreira. Sem grandes invenções e com um som orgânico, temos exactamente o que esperamos. E isso é bom, muito bom.

7/10 
Fernando Ferreira

Rosewood – “Dying Kiss Of Goodbyes”

2020 – Edição de Autor

A capa engana. Mais ou menos. O que temos aqui é punk rock, com aquelas melodias pop que se colam imediatamente à cabeça. A palavra pop poderá fazer confusão, mas tenho que esclarecer que se trata do lado positivo do termo. As melodias estão muito bem conseguidas, algumas delas até a lembrar um bocado o feeling do rock gótico. Não faz com que nos sintamos perdidamente apaixonados pelo o que estamos a ouvir mas a música tem um tom positivo que também não é costume, intrigando o suficiente para que lhe dediquemos algumas audições.

6.5/10
Fernando Ferreira

Accidental President – “Accidental President”

2020 – Edição de Autor

Apesar de na sua génese o som do duo Aspidium seja bastante directo, consegue-se apanhar uns pormenores melódicos bem interessantes. Algo que não seria expectável numa proposta de black/death metal. Esse até é um pormenor que vamos interiorizando bem, já que faz bem no que à dinâmica diz respeito. A questão é que conforme o álbum vai avançando, essa dinâmica vai-se tornando progressivamente menos eficaz e instala-se uma certa tendência para o marasmo onde a repetição não é definitivamente benéfica.

6/10
Fernando Ferreira

Enoch – “Killing Starts Where Hate Begins”

2020 – Soundmass

Que regresso inesperado a longos tempos atrás. Mais concreto à era em que o nu metal dominava um pouco por todo o lado. Desde a distorção das guitarras em (pelo menos aparente) downtuning até à voz feminina ora angelical, ora levada da breca, é um grande déjà vú que temos por aqui, com Otep a estar no top da lista. Uma imagem, comparação, que é difícil de sacudir, apesar de algumas boas indicações que vamos tendo – o solo de “Stranger” cai especialmente bem. A banda neo-zelandeza é recente e por isso vamos depositar neles alguma esperança em relação à evolução. Aquilo que apresentam aqui não é particularmente entusiasmante.

5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.