WOM Reviews – En Minor / Ataraxia / Bonifácio / Hint / The Pilgrim / 6Th Circle / Plague Organ / Schwarzer Engel

WOM Reviews - En Minor / Ataraxia / Bonifácio / Hint / The Pilgrim / 6Th Circle / Plague Organ / Schwarzer Engel

En Minor – “When The Cold Truth Has Worn Its Miserable Welcome Out”

2020 – Season Of Mist

Fantástico. Por esta não esperava. Em minha defesa, o estilo apresentado era depressive rock, algo que não é muito claro, mas o chamariz maior era mesmo o facto de ser um projecto que Phil Anselmo queria à muito tempo materializar – consta que são composições que anda a maturar desde que começou a tocar guitarra com nove anos de idade. A voz, um misto de Tom Waits com Leonard Cohen, surge-nos quase transfigurada. Já conhecíamos o tom (cada vez mais) rouco de Anselmo e até como a sua voz tem vindo a ser ligeiramente assassinada, projecto após projecto. Pois aqui todo esse estrago é compensado e usado da melhor forma neste álbum que anda algures pelo neo folk, com muitas mais influências. É surpreendente por não esperarmos ver o vocalista nestas andanças mas principalmente por ser tão bom. Fantástico!

9/10
Fernando Ferreira

Ataraxia – “Quasar”

2020 – AnnapurnA

A curiosidade para este trabalho era enorme. Isto porque foi um projecto que acompanhei a uma certa e determinada altura da sua carreira – ali para o que fizeram na segunda metade da década de noventa – e depois perdi-lhes o rasto. Na altura eles tinham uma base forte entre os dois mundos, o da tecnologia, com o recurso (ainda que algo limitado) a sintetizadores mas também com uma forte componente clássica e com alguma instrumentação adequada a esse mundo. Mais de vinte anos depois desse tempo, posso dizer que continuam a explorar esse mesmo cruzamento mas de uma forma mais sofisticada. “Iniziazone”, por exemplo, aponta-nos na direcção de um chillout ambient, enquanto outras como “Timeline Collapse” já mostram algo mais tradicional. Muitos álbuns e anos depois, esta continua a ser uma banda (ou projecto) que facilita o nosso desvio para um mundo muito próprio. Não sendo uma escolha exacta para o termo ambient, é sem dúvida música que tem o mesmo efeito.

9/10
Fernando Ferreira

Bonifácio – “Hanami”

2020 – Regulator Records

Haverá nome mais português que Bonifácio? Provavelmente haverá mas este deve andar lá perto do topo. Neste seu trabalho a solo, Bonifácio apresenta quatro temas de suave ambient, e até mesmo chillout que consegue cativar-nos e embalar-nos de forma surpreendente. Tem por base experiências no Japão, como o próprio título poderá revelar mas é flexível o suficiente para ser preenchida pelas nossas próprias experiências e imagens. Sendo uma edição limitada em cassetes, este item é mais que obrigatório para quem gosta de viajar na maionese à pala de boa música.

8.5/10
Fernando Ferreira

Hint – “Rarities Of Two Centuries”

2020 – Atypeek Music / Bruillance Records

Este álbum apresenta uma linearidade sonora que nos deixa perplexos. É difícil falar aqui de identidade musical, de género ou algo parecido. Temos vários, assim como várias abordagens. Do punk alternativo ao instrumental experimental, sem esquecer o indrustrial ou o electrónico, não é fácil chegar ao final e ficar com uma opinião clara sobre o que ouvimos a não ser apenas que é bom. Sim, é bom, tem um impacto imediato, não nos deixa indiferentes. Num tempo em que todos competem pela nossa atenção e na maior parte das vezes falham em chamar a atenção pela diferença, os Hint conseguem algo quase único. Não deixamos de ter vontade de tentar perceber qual é o seu objectivo…

8/10
Fernando Ferreira

The Pilgrim – "...From The Earth To The Sky And Back”

2020 – Heavy Psych Sounds

Os The Pilgrim sabem como as coisas boas da vida são aquelas que são simples. Algo que será bastante claro após algumas audiçoes (nem são necessárias muitas) de “… From The Earth To The Sky And Back”. O feeling folk e americana é forte aqui mas há algo mais, um espírito stoner sem ser southern, um espírito rock sem distorção ou country sem pensar propriamente nas regras muito claras do género. Um feeling de cantautor mas longe de ser minimalista. Pode-se considerar que catorze temas talvez seja algo excessivo e tenho tendência a concordar, mas estes cinquenta minutos estão longe de serem cansativos. Aliás, para quem precisa de relaxar um bocado, poderão ser bastante rejuvenescedores.

8/10
Fernando Ferreira

6Th Circle – “Pacified/Conjuring”

2020 – Sentient Ruin Laboratories

‘Pacified/Conjuring’ mais não é do que uma compilação remasterizada dos dois primeiros EP’s do projecto EBM/Electronic/Industrial a solo de Matt Auxier, 6th Circle. ‘Pacified/Conjuring’ reúne uma ampla panóplia de sonoridades que vão desde o Electronic/Industrial do final dos anos 80 até ao início dos anos 90 liderado por bandas como os Skinny Puppy ou Frontline Assembly, passando pela inclusão de elementos de Punk, Goth e Darkwave até à inclusão de passagens de filmes de Sci-Fi, ou mesmo de infusões dum sangrento e violento Dark EBM/Aggrotech reconhecido em bandas como God Mudule ou de um Post-Industrial versão Author & Punisher. Toda esta amálgama sonora faz de ‘Pacified/Conjuring’ um moderno e criativo trabalho de música Electrónica/Post-Industrial onde o passado e o presente se diluem, envolto num ambiente distópico, pós-apocalíptico e decadente.

7.5/10 
Jorge Pereira

Plague Organ – “Orphan”

2020 – Sentient Ruin Laboratories

Não irrita já começar uma review com “e agora algo completamente diferente”? Se calhar não foi assim feito tantas vezes (embora ache que já o tenha feito demasiadas vezes) e é apenas a genialidade dos Monty Python que ficou gravado no nosso ADN de tal forma que parece que é território sagrado. Seja como for, o que é que podemos dizer que tenha o impacto dessa expressão quando se está perante algo completamente fora? O que pode servir como aviso mas ao mesmo tempo algo que seja mordaz e até sagaz? Bem, enquanto pensam nessa questão, só tenho dizer que “Orphan” é o primeiro álbum do projecto Plague Organ, um misterioso duo holandês que durante quase quarenta minutos no endrominam a cabeça por completo. E nos dias de hoje, a arte de bem endrominar não é nada fácil de atingir. Avant garde é a solução para o problema da identificação embora o termo drone também faça sentido, apesar do ritmo uptempo da bateria que se torna quase como um mantra maldito que mesmo com algumas (poucas) variações deixa um vazio enorme quando desaparece. Como se faltasse a estrela do norte que nos indica o caminho. Provavelmente o disco mais díficil de ouvir dos últimos tempos mas que isso não lhe retira algum prazer. Tanto quanto toca como quando pára.

7/10
Fernando Ferreira

Schwarzer Engel – “Kreuziget Mich”

2020 – Massacre Records

A one-man band alemã Schwarzer Engel dá aqui o cheirinho para o seu próximo álbum de originais. Não é que restem muitas dúvidas em relação ao que vem aí – rock gótico, com algum peso nas guitarras e bastante uso de electrónica. Sendo previsível, temos aqui uma boa surpresa na figura da “Paradies (Orchestral Soundtrack” que está muito bem conseguida. É um aperitivo, vejamos como vem “Sieben”, o já anunciado álbum de originais.

6.5/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.