WOM Reviews – Ex Deo / Havamal / Ropes Of Night / North Of South / Lasting Maze / Progeny Of Sun / Hermanos / Mitsein

WOM Reviews Ex Deo / Havamal / Ropes Of Night / North Of South / Lasting Maze / Progeny Of Sun / Hermanos / Mitsein

Ex Deo – “The Thirteen Years of Nero”

2021 – Napalm Records

Novamente, chegam os Ex Deo e queimam todo o terreno à volta. Desta vez, o tema central do seu álbum é Nero, o imperador desposta do Império Romano. O tema em si é suficiente para criar um espírito de antecipação tremenda, mas a verdade é que depois de ouvir este trabalho vemos que os Ex Deo não gostam de brincar quando o tema é história romana. Este álbum é verdadeiramente diabólico. É uma veneração ao pior que reside na alma humana, e fá-lo através de um estilo de metal de difícil qualificação. O álbum começa num estilo guerreiro (como seria de esperar) mas nos seus últimos momentos acalma na violência, transmitindo realmente o fim do reinado de Nero, ao ponto de que quase ficamos com pena do “pobre diabo”. Todo o álbum revela o seu peso bélico, mas contrariamente a trabalhos anteriores, desta vez até temos uma pequena (mas bastante significativa) participação de Brittney Slayes dos Unleash the Archers na faixa referente à rebelião de Boadiceia, separando perfeitamente a atmosfera romana da atmosfera dos celtas das ilhas britânicas. Atualmente, historiadores têm vindo a questionar os relatos sobre a personalidade de Nero, se de facto era tão louco como grande parte dos relatos constata, mas a verdade é que este é um caso em que o possível mito importa mais que a história; se se aplicasse o contrário, não teríamos este álbum explosivo.

9.5/10
Matias Melim

Havamal – “The Shadow Chapter”

2021 – Art Gates Records

Segundo álbum para os Havamal e as expectativas de termos death metal melódico não saem goradas. “The Shadow Chapter” faz-nos lembrar tanto aquele viking metal que se tornou popular na década passada – a temática sobre a mitologia nórdica também a isso facilita – como também vai buscar algum do fulgar do death metal sinfónico sem ser (ou ter pretensões de ser sinfónico). É, resumindo, death metal melódico de grande qualidade que surpreenderá todos os que deixaram passar ao lado a estreia “Tales From Yggdrasil”. Sem seguir nenhuma tendência cegamente, os Havamal apresentam-se com um caminho próprio que vamos querer seguir e acompanhar. Este é um conjunto de canções que vão crescendo a cada audição sem cansar. Quantas vezes temos coisas dessas hoje em dia?

8.5/10
Fernando Ferreira

Ropes Of Night – “Impossible Space”

2021 – Golden Antenna

Há algo de muito nostálgico no som dos Ropes Of Night. E digo isto como um elogio. Aquela sensação da década de oitenta, aquele som que tinha tanto atmosfera como profundidade e até era dançante. Falamos do rock gótico ou pós-punk, o som que faz parte da identidades dos alemães Ropes Of Night que apesar de se tratar do seu álbum de estreia, evidenciam um talento enorme para compor grandes canções. Já é um chavão dizer isto algumas vezes mas não tenho dúvidas que se tivesse sido lançado anos atrás, este seria um sucesso certo. Agora em relação aos dias de hoje, haverá espaço para um som assim? Certamente. Uma coisa que temos que ter presente como certeza, há espaço para tudo neste mundo e a nostalgia, forçada ou não, é sempre válida. Claro que em álbuns como este, em que nem se sente como algo natural, a questão nem se põe. A maneira de saber isto é a forma como o primeiro impacto – aquele que diz “este som traz-me tantas memórias” – depressa se desvanece enquanto vamos coleccionando os temas na nossa memória. Nostalgia por modas não se deve confundir pela nostalgia pela música que marcou (e marca) a nossa vida.

8.5/10
Fernando Ferreira

North Of South – “The Tides In Our Veins”

2021 – Edição de Autor

One-band man espanhola que continua a impressionar pela riqueza musical e pela forma como consegue conciliar vários estilos e várias disposições no mesmo disco sem que isso signifique que pareça que estamos perante uma compilação – isto porque apesar de ser um projecto solitário, temos aqui um rol de ilustres convidados onde se destacam obviamente Sakis Tolis dos Rotting Christ e Tom S. Englund dos Evergrey. O fio condutor estilístico anda pelas linhas do prog metal versátil que tanto opta por caminhos mais melódicos (e étnicos como o flamenco) como mais extremos. Essa variedade estilística, apesar do fio condutor citado atrás, poderá fazer com que o seu impacto possa ficar diminuido mas como todo e qualquer álbum de prog metal que se preze, isto não é para ouvir uma vez e ficar esclarecido. É para ouvir uma vez e ficar intrigado. Uma intriga que até dura bastantes audições. Está-se a tornar um caso sério, este projecto de Chechu No.

8.5/10
Fernando Ferreira

Lasting Maze – “Thunder”

2021 – Edição de Autor

Segundo EP desta banda brasileira que representa uma boa surpresa para quem gosta da melodia ao serviço das guitarras pesadas. O estilo é um pouco difícil de definir e essse é também um dos motivos do impacto ser tão bom. O outro é obviamente a voz de Grazy Mesquita, que tem uma voz forte e cativante que facilmente nos fisga. Aliada a bons temas, não existem grandes defesas para com “Thunder”, uma boa apresentação a uma banda com potencial enorme.

8/10
Fernando Ferreira

Progeny Of Sun – “Dark Wanderer”

2021 – Inverse Records

Segundo EP dos Progeny Of Sun que soa bastante a pouco. Será dia de celebração nacional o dia em que analisar um EP que tenha um som que goste e que não me queixe de ser curto mas a verdade é que esta sonoridade é fresca o suficiente para deixar o ouvinte cativado por um álbum inteiro pelo menos é essa a impressão com que se fica com estes três temas que nem chegam a atingir os quinze minutos. Death metal melódico mas a passar ao lado de grande parte dos lugares comuns ou pelo menos a tentar. Diria que estão (estamos) prontos para o álbum. Venha ele.

8/10 
Fernando Ferreira

Hermanos – “A Different View”

2021 – Epictronic

Não era preciso ler no comunicado de imprensa de que este projecto/álbum é a mistura de rock/pop e new wave/rock gótico a lembrar a década de oitenta. É o que fica claro desde o primeiro momento. Obviamente que quem tem nostalgia e/ou gosto pelo estilo em questão, fica satisfeito. No entanto, mesmo que não exista um especial gosto por este estilo de som, as canções em si têm força suficiente para conseguir cativar, ainda que por instantes. Com arte de quem sabe mover-se neste estilo, “A Different Love” poderá satisfazer as necessidades nostálgicas para quem não encontra pós-punk ou rock gótico com facilidade nos dias de hoje.

6.5/10
Fernando Ferreira

Mitsein – “I Will Find My Way”

2020 – Edição de Autor

EP de estreia dos brasileiros Mitsein que apresentam uma sonoridade que é bastante familiar e que faz lembrar aquela que os Oratory tinham, ou seja, a junção de uma voz meio operática, com uma estética power metal e com uma produção cristalina. Temos bons temas que ainda estão longe de ter aquele punch que nos conquistem – e não por demérito das composições mas principalmente quando se sentra por domínios mais sinfónicos e orquestrais, a competição é mesmo feroz. De qualquer forma e como início de discografia, o potencial está à vista e vontade de trinfuar é mais que muita.

6/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.