WOM Reviews – Phantom Elite / Inhuman / Soilwork / Unverkalt / Ann My Guard / Thanateros / A Line Of Crows / Höst

WOM Reviews - Phantom Elite / Inhuman / Soilwork / Unverkalt / Ann My Guard / Thanateros / A Line Of Crows / Höst

Phantom Elite – “Titanium”

2021 – Frontiers Music

Os Phantom Elite foram criados em 2016 pela vocalista do Exit Eden Marina La Torraca e cantora de suporte ao vivo dos Avantasia. Agora lança o segundo trabalho acompanhada por uma nova banda composta por elementos oriundos da cena musical holandesa e com produção do ex-guitarrista e produtor dos After Forever, Sander Gommans.

A sonoridade é uma mistura contemporânea de metal melódico sinfónico e progressivo com algumas utilizações de partes eletrónicas, muito densa e pesada onde a faixa de abertura é daquelas que nos fazem querer saltar e de punhos erguidos tentar cantar cada uma das notas debitada pela voz da magnifica Marina que por vezes parece soar algo abafada pela intensidade que sente em cada um dos temas.

Globalmente gostei e achei um trabalho a ter em conta numa área também ela com muita oferta, mas onde os Phatom sabem, com toda a certeza, o melhor caminho a seguir para a sua afirmação.

9/10
Miguel Correia

Inhuman – “Contra”

2020 – Alma Mater Records

Confesso que este álbum surpreendeu-me. E bastante. Como já disse anteriormente na review que fiz anos atrás a “Foreshadow”, esse álbum desiludiu-me por mostrar uma banda manifestamente diferente daquilo que prometiam tanto na demo “Pure Redemption” como no álbum de estreia “Strange Desire”. Principalmente pela mudança quase radical na voz de Pedro Garcia que tinha um vozeirão de impor respeito. Vinte e dois anos depois, este álbum consegue finalmente trazer os Inhuman ao nível que mereciam. Isto até para além daquilo que “Strange Desire” tinha como potencial. A voz de Garcia poderá não estar ao nível que está antes a nível de brutalidade, mas está sem dúvida mais versátil e a um nível superior. Já a música, essa está simplesmente fantástica, com uma aura que se apoia no metal gótico mas está longe de ser previsível. “Contra” vai ao encontro de tudo o que desejávamos e não sabíamos. Um trabalho de luxo que cheira quase a estreia. Estreia, não, renascimento.

9/10
Fernando Ferreira

Soilwork – “A Whisp Of The Atlantic”

2020 – Nuclear Blast Records

Para quem, como eu, por vezes relega para segundo plano a importância de um EP, este formato poderá servir muitas vezes como balão de oxigénio entre fases, poderá servir para apresentar uma nova era numa banda ou simplesmente chamar a atenção para uma banda à qual tenha passado despercebida ou deixado de prestar atenção. Confesso que o impacto dos Soilwork dos primeiros anos foi diluído conforme o tempo passou. Uma banda tem que evoluir, tem que experimentar e simplesmente tem que continuar a fazer música e nem sempre essa música me cativou ou chamou a atenção. O álbum anterior foi bem recebido mas  este EP surge como uma verdadeira surpresa principalmente por conseguir surpreender. O tema título é um épico viciante que junta melodia e peso e até um espírito progressivo totalmente inesperado. Provavelmente é uma coisa única que não deverá indicar um caminho a seguir mas o resultado é tão entusiasmante que vale por si só todo o trabalho. Mas há muito mais por aqui. Temos quatro temas onde estas qualidades surgem todas. Ou então são os meus ouvidos que ficaram contaminados com a primeira música. Mas a verdade é que estes temas são das melhores coisas que ouvi da banda nos últimos tempos.

9/10
Fernando Ferreira

Unverkalt – “L’Origine Du Monde”

2020 – Edição De Autor

Não adoram estreias que vos deixam a pensar “de onde raio é que isto veio?” É o que senti ao ouvir este álbum de estreia dos Unverkalt. Difícil de categorizar – tanto podemos colocar em cima o rótulo de pós-qualquer coisa como progressivo ou alternativo que faz sentido. As guitarras têm um tom que lembram bastante as incursões que as bandas de doom ou death metal melódico fizeram por paragens mais acessíveis, sendo que o verdadeiro peso está contido na emocionalidade, sobretudo na entrega vocal por parte de Demetria Kv. Está aqui o primeiro capítulo de uma banda que tem mesmo muitas emoções musicais – ou músicas emocionais – às quais não conseguimos deixar de ficar presos.

8.5/10
Fernando Ferreira

Ann My Guard – “Furia”

2020 – Edição de Autor

Os Ann My Guard foram uma daquelas boas surpresas que nos surgiu num concerto. A primeira parte que fizeram para os Maiden United no RCA Club, foi o primeiro contacto e apesar de ser um concerto atípico (acústico), deu para ficar com o seu nome registado. Agora com este “Furia” a surgir no final do ano, foi uma boa forma de os ouvir no seu próprio terreno. Um rock/metal que deve tanto ao gótico como alternativo e que consegue cativa de forma fantástica. Uma boa introdução à banda.

8/10
Fernando Ferreira

Thanateros – “Insomnia”

2019 / 2020 – Echozone / Bob-Media

A mistura entre o gótico e o folk metal é algo difícil de conseguir, pelo menos a tempo inteiro. Há sempre um dos elementos que acaba por prevalecer mas aqui é capaz de ser o exemplo mais equilibrado que tive nos últimos tempos. Os Thanateros conseguem impressionar com “Insomnia” porque é mesmo um registo onde ambos os mundos se fundem de forma perfeita e refrescante. Claro que temos muitos lugares comuns e a componente folk acaba por estar em minoria já que é o violiono o seu maior representante, mas as melodias que sacam fundem-se tão bem com tudo o resto que nem sequer estamos a pensar se é mais ou menos folk. Questões estilísticas aparte, este é um grande álbum, editado no ano passado e agora reapresentado com ua série de temas instrumentais. Para quem não apanhou à primeira, poderá aproveitar agora.

8/10
Fernando Ferreira

A Line Of Crows – “Devil’s Cure”

2020 – Echozone

Há algo de fascinante em como certas sonoridades nos conseguem transportar logo para um outro plano de existência – que existe apenas na nossa cabeça mas que não deixa de ser real. “Fleur De Nuit” a intro para este trabalho dos A Line Of Crows tem esse dom e abre logo o caminho para o resto do trabalho. Podemos dizer que há por aqui uma mistura de rock com gótico mas ambos dominados pelo feeling Americana/folk norte-americano, mas com imensas soluções e caminhos a seguir pelo meio. Esse poderá ser o ponto que temos a apontar a “Devil’s Cure”, a forma como se estende por vários géneros e até transcende os mesmos. A voz feminina faz um excelente contraste com a femina embora raramente se encontrem. É um álbum que atrai qualquer um que goste de world music e de algum misticismo à mistura, dois sentimentos que estão presentes – “The Tide” é um excelente exemplo.

8/10
Fernando Ferreira

Höst – “The Heart Of October”

2020 – Edição de Autor

Esta banda foi-nos apresentada por Filip Carlsson, que foi vocalista dos Corporation 187 e baixista dos Satanic Slaughter. Foi iniciada pelo próprio em 1994, lançaram algumas demos nos anos seguintes mas depois não deixaram rastos de actividade… até agora. “The Heart Of October” é um EP que os traz de volta à actividade embora com uma sonoridade diferente. Mais próximo do doom e death metal melódico embora haja aqui e ali aproximações a estéticas black metal. Confesso que há um sentimento de déjà vú ao ouvir estes temas mas esse sentimento não é negativo. É uma sensação de familiaridade, tal como quando encontramos um velho que nunca conhecemos realmente bem. Consta que no futuro próximo há mais música para ser lançada, no Inverno que se avizinha. Aguardamos com expectativas altas porque estes temas estão acima da média.

8/10 
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.