WOM Reviews – Sensory Amusia / Necrophobic / The Great Equalizer / Ara / Question / Writhing / Skarz / Crown The Unholy

WOM Reviews - Sensory Amusia / Necrophobic / The Great Equalizer / Ara / Question / Writhing / Skarz / Crown The Unholy

Sensory Amusia – “Bereavement”

2020 – Lacerated Enemy Records

Que jardona fantástica! Vindos da Austrália, os Sensory Amusia trazem um death/grind cheio de dinâmicas e com um poder que até dá para inverter o movimento de rotação da Terra, só à castanhada. O comunicado de imprensa fala em influências de Benighted, Aborted e Dying Fetus e são nomes que nos surgem também em mente, sem que tenhamos uma cópia de qualquer espécie. Um grande EP, recomendadíssimo, mesmo para aqueles que dizem que não gostam de modernisses na são porrada sonora. Nem dão por ela aqui.

9.5/10
Fernando Ferreira

Necrophobic – “Mirror Black”

2020 – Century Media Reccords

Single como nos bons velhos tempos, com um tema novo no lado A e com uma gravação ao vivo inédita do lado B do clássico “Darkside”. Não chega a dez minutos e esta é garantidamente uma peça de coleccionador que é sobretudo indicada para quem gosta de vinil – 7” vinil que só estará disponível a 900 cópias. O tema-título é mesmo bom indicando que “Dawn Of The Damned” será um grande álbum.

9/10
Fernando Ferreira

The Great Equalizer – “Intentional Act”

2020 – Edição de Autor

Excelente surpresa, esta nova entidade do underground nacional – mesmo não estando propriamente a residir em Portugal. Márcio Leiria não é estranho ao metal extremo, tendo sido parte integrante da cena ribatejana ao ter feito parte dos In Cunt e da formação embrionária dos Lux Ferre, quando estes ainda eram um duo. Aqui numa vertente death metal, assumidamente uma paixão sua que não é surpresa para quem já acompanha o seu canal do YouTube My Shitty Guitar Covers. Deicide é a grande referência e é o nome em que se pensa mais ao ouvir estes três temas originais – e ainda temos uma cover dos Fight, “Into The Pit”, um tema de heavy metal musculado que resulta também muito bem nesta roupagem death metal. Apesar da bateria programada e de ser um one-man show, a primeira impressão deixada por este primeiro trabalho é muito boa e ficamos a aguardar por mais.

8/10
Fernando Ferreira

Temple Of Dread – “World Sacrifice”

2020 – Edição de Autor

Para quem tem a concepção (errada) de que o death metal é limitado e unidimensional, é porque não conhece de todo o estilo. E depois aparecem bandas como os Ara que juntam toda uma ambiência que eleva o género a um patamar de verdadeira excelência. “Jurisprudence” é o segundo álbum da banda norte-americana e apresenta-se como um verdadeiro colosso. Mais bruto e violento que a estreia mas ainda assim conservando aquela veia técnica. Com isto, não é preciso dizer que é um álbum fácil de ouvir. Não é, mas é essa dificuldade que faz com que se tenha que voltar mais vezes, com temas intrincados e desafiantes. Desafios que dá gosto assumir.

9/10
Fernando Ferreira

Question – “Reflections Of The Void”

2020 – Chaos Records

Chega-nos do México mas bem que poderia chegar-nos da Inglaterra. Não de agora mas para aí de 91 ou 92 do século passado. Demorou a sair (seis anos após a estreia “Doomed Passages” e ignorando os Eps de 2017 e 2018) mas sem dúvida que mereceu a espera, já que este álbum é para lá de bom. Death meal old school mas sem soar (ou cheirar) a bafio. “Reflections Of The Void” não tem concessões e não tenta chamar a atenção para além dos esperados principais argumentos. Por vezes é só mesmo o que precisamos.

8/10
Fernando Ferreira

Writhing – “Eternalised In Rot”

2020 – Redefining Darkness Records

Austrália em força e com uma banda que vai dar no campo do death metal mais técnico e peculiar. Os Writhing não têm muita informação acerca de si e o facto de termos aqui apenas dois temas, também não ajuda. É daqueles casos, todavia, em que apesar de não termos muita matéria para fazer um julgamento definitivo, aquilo que temos dá para ficarmos entusiasmados. E para manter o entusiasmo durante os tempos que vai demorar para aparecer nova música. Esperemos que não seja muito tempo.

8/10 
Fernando Ferreira

Skarz – “What Remains”

2020 – Edição de Autor

Bom início de discografia por parte dos gregos Skarz. Tenho que confessar que apesar deste “What Remains” não ter despertado logo ao início, com a devida rodagem, o seu death metal vintage cresceu bastante. Não sendo perfeito apresenta os argumentos essenciais para todos os fãs do género. Bons riffs, uma voz com presença e vontade para continuar a ouvir mais vezes. “What Remains” é death metal, sem grandes invenções. E por vezes o que nos faz falta na vida é mesmo isso.

7/10
Fernando Ferreira

Crown The Unholy – “Empirical Death”

2020 – Edição de Autor

Se é mais comum termos propostas de death metal que são old school hoje em dia, também temos a vertente mais moderna que tem igualmente expressão no género. No caso dos Crown The Unholy (que até têm um nome bem moderno), temos uma espécie de death/groove moderno old school, ou seja, produção mais crua e tudo um bocado rústico. O que não é problema nenhum, pelo contrário. Há o factor nostálgico que nos faz recuar uns bons quinze ou vinte anos, mas os méritos de “Empirical Death” falam por si só.

7/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.