WOM Reviews – Timo Tolkki’s Avalon / Phoenix Rising / Laurenne / Louhimo / Silent Winter / Quartz / Secret Alliance / Sonic Blast / Social Scream

WOM Reviews - Timmo Tolkki’s Avalon / Phoenix Rising / Laurenne / Louhimo / Silent Winter / Quartz / Secret Alliance / Sonic Blast / Social Scream

Timo Tolkki’s Avalon – “The Enigma Birth”

2021 – Frontiers Music

O finlandês, Timo Tolkki, está de volta com outro álbum do projeto Avalon. Timmo surge com um punhado de convidados de luxo e falamos de James LaBrie, Caterina Nix, Fabio Lione e Marina LaTorraca. Aqui dez das doze músicas incluídas neste álbum têm um vocalista, com as outras duas apresentando Brittney Slayes dos Unleash The Archers. Consequentemente, as músicas têm a sua própria identidade com base, não apenas nos vocais e no estilo implementado por cada um dos vocalistas, mas também nos diferentes elementos musicais que nos são dados a ouvir, que vão desde o metal moderno, power metal ou metal sinfónico. E, como sempre com Timo Tolkki, há refrões cativantes, melodias de poderosas e solos incríveis. Quem sabe…sabe!

10/10
Miguel Correia

Phoenix Rising – “Acta Est Fabula”

2021 – WormHoleDeath

A formula não é nova mas é bom que continua a haver espaço para continuar a explorá-la, ainda para mais quando há originalidade por trás. Neste caso, Phoenix Rising faz-nos lembrar imediatamente Rhapsody (antes dos prefixos e sufixos) pela forma como tentavam (e conseguiam) unir o mundo da literature de high fantasy e o power metal, além do potencial cinematográfico e sinfónico. Os espanhóis fazem-no apresentando um livro (em castelhano) “Acta Est Fabula” e com a banda sonora a acompanhar. Obviamente que o foco é o som, já que o meu castelhano não está na melhor forma. É um álbum surpreendentemente bom, que não se preocupa em evitar clichés e apenas faz aquilo que sabe fazer melhor – power metal sinfónico de grande qualidade. O facto de ser cantado em castelhano só lhe dá maior carácter. Muito boa surpresa.

9/10
Fernando Ferreira

Laurenne / Louhimo – “The Reckoning”

2021 – Frontiers Music

A colaboração entre as poderosas vocalistas finlandesas Noora Louhimo (Battle Beast) e Netta Laurenne (Smackbound) é o resultado deste brilhante disco. Elas trazem-nos um álbum de metal melódico com a colaboração de Nino Laurenne nas guitarras e Sampo Haapaniemi na bateria. Aproveitando a paragem forçada imposta pela situação pandémica que todos vivemos as duas decidiriam deitar mãos à obra e trabalhar num projeto distinto aproveitando de forma inteligente aquilo que de melhor cada uma tem para dar. Noora Louhimo, é conhecida como frontwoman dos Battle Beast e Laurenne, dos Smackdown e as suas vozes misturadas soam de forma poderosa e devastadora e o resultado é brutal! Só posso dar 10 pontos?

10/10
Miguel Correia

Silent Winter – “Empire Of Sins”

2021 – Pride & Joy Music

Segundo álbum dos Silent Winter e novamente ujm bom impacto. Devo dizer que ainda mais que o primeiro. Um entusiasmo quase ingénuo e juvenil ao estilo como já há muito não sentia. Claro que por estas palavras já se subentende que temos alguns lugares comuns por uma vez na vida os mesmo funcionam de forma positiva. Das guitarras, aos ataques uptempo assim como aquele mid tempo dos quais os refrões memoráveis fazem muito bom uso, há muita matéria para consumo. Apesar de sabermos que realisticamente é hoje difícil um álbum sobressair-se no meio da muita música disponível, se fosse uma questão de mérito, este seria sem dúvida um dos destaques de 2021 no power metal. Aliás, para nós já o é.

9/10
Fernando Ferreira

Quartz – “Satan´s Serenade/Nantucket Sleighride”

1980/2021 – Golden Core Records

Reedição em vinil e ultra-limitada dos singles “Satan’s Serenade” e “Nantucket Sleighride”, lançados originalmente em 1980 pelos Quartz. Os Quartz são uma das bandas clássicas da chamada New Wave Of British Heavy Metal que depois de três álbuns, cessaram funções em 1983. A banda voltou no início da década passada à actividade mas o interesse assenta sobretudo nos primeiros álbuns. Para quem é fã daquela época, excitante, do heavy metal, tem aqui uma oportunidade única para agarrar um item único de colecção. Valerá bem a pena.

9/10
Fernando Ferreira

Secret Alliance – “Revelation”

2021 – Punishment 18

A estreia “Solar Warden” foi lançada no ano passado mas a banda não demorou muito a lançar o segundo trabalho. E como por vezes a quantidade não é amiga da qualidade, é importante salientar que o que se tem aqui é um excelente trabalho. “Revelation” vai beber um pouco ao hard’n’heavy tradicional e junta-lhe também um pó ou outro de progressivo – notando-se sobretudo nos arranjos dos teclados que são um espectáculo à parte. “Revelation” é um álbum forte de uma banda que por acaso até nasceu como um projecto a solo e que se distingue pela música de nível elevado de qualidade.

8/10 
Fernando Ferreira

Sonic Blast – “Humanity Divided”

2021 – Boersma

O início poderá ser sempre algo como que a apontar em diversas direcções. Nem sempre se verifica isso mas por vezes temos casos como o de “Humanity Divided”, onde os gregos Sonic Blast têm o seu primeiro álbum. Dependendo do momento, podemos encarar a banda como tendo laivos progressivos, hard rock ou heavy metal. Com um cariz clássico e a oscilar entre estes três registos – principalmente os dois últimos – a estreia é bastante interessante mas falha em deixar-nos uma impressão positiva. Tal como a capa aliás. A ideia está fantástica mas a execução, sujeita a um escrutínio maior, deixa a nu as suas fragilidades.

6/10
Fernando Ferreira

Social Scream – “From Ashes To Hope”

2021 – Soman

Antes de mais, não, não é o novo álbum da banda grega pouco menos de ano depois de “Organic Mindset” embora no Metal Archives esteja indicado como tal. Trata-se de uma compilação de temas dos dois primeiros álbuns regravados. Devo dizer que como regravação não me impressiona muito, embora não tenha termo de comparação já que não os conheço. E para referência futura que são os álbuns “Epiclesis” de 2014 e “Initiation To The Myths” de 2018. Produção crua e até estranha, não é um som que consiga cativar facilmente embora os temas em si sejam assumidamente bons. Se houve algum apelo à acção que resultou deste disco foi o querer ir ouvir os referidos álbuns para comprovar as diferenças.

6/10
Fernando Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.